Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamMastodonCanal no YouTubeInstagram

1 de janeiro de 2024

Pra Frente Que Se Anda (A.K.A. Lista de Melhores do Ano)

O ano que passou foi ao mesmo tempo um ano de conquistas e frustrações. Por um lado, os desafios financeiros se tornaram mais puxados, porém consegui superar cada um deles com suor, dores nas costas e insônia. É satisfatório perceber que o seu trabalho permite sustentar um estilo de vida.

Em contrapartida, alguns sonhos foram ficando pelo caminho, dando lugar a mais cabelos brancos (ainda são poucos, ninguém diz que estou a poucos dias de completar meio século). A expectativa era encerrar o blog e encerrar a manutenção de meus sites de wallpapers para me dedicar àquele projetinho secreto que não vê a luz do dia. Ledo engano. As horas foram liberadas para rapidamente serem consumidas pela labuta, pela correria. Quando o tempo sobrava, a energia faltava e o horizonte de escape era abrir alguma paisagem digital e desanuviar o espírito.

A meta agora, obviamente, é retomar a direção certa, focar mais naquilo que pode gerar prazer e levantar meu sorriso: criatividade. E me afastar do que provoca ansiedade. A comunicação rápida ainda é um vício em remissão, mas tento substituí-la por uma web mais lenta, um consumo mais regrado de conteúdo. Pode parecer tolo, mas olho para as 348 imagens publicadas no Instagram e me sinto melhor. Sem metas para viralização, sem objetivos maiores, sem polemizar ou sem pretensões de me proclamar fotógrafo digital, apenas postar uma tela de jogo por dia e nada mais.

O ano de 2023 foi pleno em novos jogos, com excelentes títulos e descobertas, principalmente no primeiro trimestre. A RTX 2060 meio que me obrigou a compensar o investimento, finalmente instalando títulos AAA consagrados e exuberantes. Por outro lado, me impus a regra de não abrir mão dos jogos experimentais mais feinhos. Gráfico é somente uma parte da equação.

Enquanto analista do Gamerview, experimentei:

Sea of Stars

Por iniciativa própria, joguei:

Control

O canal do Retina Desgastada chegou perto, mas não bateu a marca de 500 inscritos. Porém, ele seguiu na sua missão: apresentar alguns jogos de ponta a ponta sem comentários, ilustrar jogos que serão fruto de análise e pincelar títulos bem diversos que não chegam a ganhar análise completa. Desta forma, no canal, passaram com exclusividade (sem texto no blog):

Silent Hill: Homecoming

Sem mencionar os jogos que meu filho conheceu e zerou sem minha intervenção:

Fazendo a soma, de alguma forma testei ou completei 70 títulos. Isso não implica necessariamente em uma redução de ritmo, como se poderia imaginar, mas a introdução de jogos mais longos na equação, alguns que sequer foram concluídos a tempo de entrar nessa lista (como Death Stranding ou Might and Magic X). De qualquer forma, a inquietação parece continuar, dada a quantidade de demos, que segue bem alta.

Os Melhores de 2023

Sable

Novamente, tivemos um ano disputado em diversas categorias, o que apenas reforça a qualidade da seleção realizada. Ainda assim, é surpreendente que o melhor jogo tenha sido um que completei em Janeiro. Nos doze meses seguintes, mesmo com excelentes títulos, nenhum deles conseguiu tirar de minha mente a jornada que experimentei por terras áridas em busca de mim mesmo. Sable triunfa ao combinar jogabilidade, estética e proposta em uma viagem contemplativa de descobertas.

  • Melhor Jogo: Sable
  • Maior Surpresa: Defense Grid: The Awakening
  • Maior Decepção: Split/Second
  • Pior Jogo: Panzer Dragoon Remake
  • Melhor Título Cooperativo: The Forest

(recapitulando os anos anteriores: 2008 | 2009 | 2010 | 2011 | 2012 | 2013 | 2014 | 2015 | 2016 | 2017 | 2018 | 2019 | 2020 | 2021 | 2022)

No ano passado, revelei o desejo de experimentar uma lista de jogos, que acabou não se concretizando. De Planet of Lana, testei somente a demo, não curti e sequer publiquei a gravação. Dustborn não foi lançado e talvez se perca no inferno do desenvolvimento. Atomic Heart não veio para minhas mãos, mas tudo indica que é frágil. A versão final de Dead Island 2 tampouco veio para minhas mãos, ainda que a versão de prévia tenha ficado comigo. Stalker 2 não foi lançado ainda.

Ouso fazer uma nova lista para 2024? Ouso sonhar com Half-Life 3? Suicide Squad está vindo, mas a expectativa é dúbia. Haverá um novo Outcast, mas a expectativa também é dúbia. A alegria pode acabar vindo na forma de títulos menos incensados, como Palworld ou Human Fall Flat 2. Bora.

Ouvindo: Guns N' Roses - Sweet Child of Mine

2 comentários:

Raphael Airnmusic disse...

Feliz ano novo, Aquino!

Ano passado me aventurei em Hellblade, me parece um título que você deveria experimentar. Fiquei fascinado com a proposta do jogo e maneira com que foi implementado... e também está pra chegar aí o Hellblade 2 nesse ano ou no próximo.

Abraços!

Anônimo disse...

Não pare publicar aqui. Em tempos de tikoteko os bloggers salvam.

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino

Wall of Insanity