Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamTwitterRSS

31 de julho de 2014

Time de Sonhos

Team Indie

Todo mundo gosta de crossovers. Batman vs Predador, Hulk e Homem-Aranha trabalhando juntos, Marvel vs DC, Smash Bros, Kim Possible encontrando Lilo e Stitch... bem, talvez só eu tenha curtido esse último. Mas a verdade é que grupos de sucesso como Liga da Justiça ou Vingadores surgiram justamente daquela velha pergunta atormentando seus editores: "e se a gente combinasse o sucesso desses caras individuais em um lugar só?". O que nos traz para o inusitado encontro entre Family Guy e os Simpsons, por exemplo.

Então, por que não fazer isso  nos jogos eletrônicos? Sem que os personagens tenham que se estapear em uma arena, porque essa ideia já foi seguida à exaustão...

Team Indie consegue o impensável e junta nove personagens de jogos independentes em um único título, cooperando entre si para resolver puzzles. Você tem Tiny, de Tiny and Big in Grandpa's Leftover, usando seu arpão para puxar coisas; você tem o BraidDude, de Braid, usando seu poder de manipulação temporal; você tem Dustgirl, de Dustforce, usando sua vassoura e por aí vai. O jogo irá contar também com personagens de Runner 2, Knytt Underground, Awesomenauts, Super Crate Box, Badland e The Great Jitter, cada um usando sua habilidade especial para ajudar Marvin, o gato protagonista, a passar pelos obstáculos.


Team Indie Alpha Gameplay Video - Indie DB

O jogo ainda está em desenvolvimento e deve chegar ao Steam até o final do ano.

Independente do sucesso da empreitada, as portas agora estão abertas! Que outras empresas se unam e sigam o caminho. Ou você irá negar que não gostaria de ver Lara Croft investigando a Ordem dos Templários com a ajuda de um Assassino e do Agente 47 ou Raiden, Bayonetta e Dante unidos contra uma horda de inimigos simultâneos? Eu sei que eu gostaria de ver Gordon Freeman finalmente esbarrando em Chell.

E por que parar por aí? É um sonho antigo meu, mas um cruzamento entre MMORPGs seria um evento épico que ficaria na memória dos jogadores por anos a fio. Cidades arrasadas, Orcs lutando ao lado de Jedis, Conan comandando um exército contra um Rift, Asuras gerando portais para o mundo de Elder Scrolls, um jogo sendo completamente obliterado e reconstruído, como FFXIV foi. Possibilidades infinitas de crise.

E você? Que encontro de personagens você gostaria de ver?

Ouvindo: Violent Work of Art - Funny Farm

(não) Jogando: Zeno Clash

ZenoClashExpectativa é um mecanismo cerebral ingrato. Está mais ou menos relacionado a preconceito, onde você acredita firmemente em algo, antes mesmo de ter qualquer prova daquele fato. É o que pauta as categorias Surpresa do Ano e Decepção do Ano na postagem de final de ano do blog. Por que, às vezes, você espera que um jogo seja aquilo que seus desenvolvedores nem imaginavam.

Zeno Clash é uma pérola indie de nossos vizinhos (não-fronteiriços, mas culturalmente) do Chile e tira leite de pedra da engine Source, sendo um irreconhecível filho bastardo de Half-Life 2 com ervas que fariam Carlos Castaneda esboçar um sorriso, se vivo estivesse.

Nas profundezas do meu cérebro obtuso, o jogo era um RPG de ação muito louco, com lutas e um universo bizarro a ser explorado. Errei feio e subestimei tanto a quantidade de lutas quanto o aspecto insano do título.

Comecemos com o lado bom: Zeno Clash é pirado. Esqueça Outcast ou qualquer outro jogo de ficção-científica que você tenha conhecido. O mundo aqui apresentado é realmente alienígena para os parâmetros humanos: criaturas, hábitos, armas, sociedade, vestuário, tudo é tão deslocado do real que não dá para imaginar a Ace Team produzindo isso sem consumir substâncias ilegais.

É um bem-vindo sopro de criatividade e fiquei com a impressão que um pouco do realismo fantástico do também vizinho Gabriel García Marquez vazou na criação. É uma visão tão refrescante (e exótica) quanto algumas loucuras cometidas no Leste Europeu (como You Are Empty e todo o trabalho da Ice-Pick Lodge e da Amanita).

Infelizmente, a Ace Team parece ter medo de soltar o jogador neste mundo que grita para ser explorado em open world. O que recebemos em troca são mal-disfarçados corredores no meio da floresta e inimigos que brotam de lugar nenhum quando cruzamos determinado ponto do caminho. É um jogo com menos curvas e vielas do que o próprio Half-Life 2 de onde pega emprestado o motor gráfico.

Zeno Clash - Luta

A história se revela a conta-gotas e funciona como um tosco pretexto para infindáveis sequências de luta corporal. Em determinada parte, o protagonista conta para sua companheira em flashback: "conheci fulano e fulano era assim. Lutamos". Entra você para lutar com o inimigo. Imediatamente, em seguida, o protagonista conta: "também conheci beltrano e sicrano e eles eram de outro jeito lá". E adivinha? O enredo morre aí e vem mais luta. É isso. Duas, três frases e o couro come.

Os combates em si são satisfatórios. Você sente o ritmo da luta. Cada oponente tem um conjunto de gingados e táticas e você precisa estudar esses movimentos. Não é fácil. Na verdade, apanhei e apanhei muito. Mas cada golpe que você encaixa tem a sensação certa de triunfo e cada vitória vale o esforço.

Zeno Clash - Outra Luta

Mas a Ace Team ficou deslumbrada com o sistema de luta mano a mano que criou e empurra ele a cada dois minutos. É como um filme de kung-fu, sem os exageros. Entre um arranca-rabo e outro, você tem algumas frases trocadas ou péssimas partes onde você usa armas de fogo da pior estirpe contra a fauna hostil. Mas é tudo tão frustrante que é melhor abandonar as pistolas e bestas encontradas e partir para cima dos animais com chutes e pontapés.

Zeno Clash - A Pior Arma Já Vista em um FPS

Com 88 minutos jogados, sei menos sobre o mundo de Zeno Clash do que gostaria e já cansei de trocar sopapos. Esperava uma aventura em terras inusitadas. Encontrei um jogo de luta, sem variedade ou alma.

Maldita expectativa.

2014 Avança

  1. Outcast
  2. The Walking Dead
  3. Paper Sorcerer
  4. Necrovision
  5. Zeno Clash
  6. The Witcher
  7. GRID
  8. Dungeonland
  9. Race the Sun
  10. Sang-Froid
  11. Foreign Legion
  12. Hotline Miami
  13. STALKER Call of Pripyat
  14. The Bridge
  15. Brothers
  16. Papo & Yo
Ouvindo: Phantasmagoria - Rage

30 de julho de 2014

Resultado da Hiper Promoção Retina Desgastada

BastionFinalmente, saiu o resultado! Foram 95 participantes no total concorrendo a 30 jogos naquela que foi a maior promoção da história do blog.

Agradeço mais uma vez aos camaradas Bruno Donabela, Tais Fantoni (do blog Colchões do Pântano), Hewertton Avelar, Marcos A T Silva, ao blog Neogamer, e ao Vadio Randômico, que contribuíram com boa parte dos jogos sorteados hoje.

Bastion foi o jogo mais concorrido, com 12 jogadores ansiosos para levar o clássico indie para casa. Surpreendendo a todos, o obscuro jogo Blackguards levou o segundo lugar na preferência, com 10 concorrentes. Talvez por ser o título mais caro do lote, quem sabe? A edição Deluxe sorteada está saindo por mais de 100 reais no Steam.

Com tantas opções, alguns jogos acabaram sendo disputadas por um único leitor, que acabou fazendo sua própria sorte. Enquanto isso, alguns títulos acabaram encalhados, sem um único interessado: Death Track: Resurrection, Fly'N, Tiny and Big in Grandpa's Leftovers, English Country Tune, Oil Rush, Demolition Inc., Sweet Lily Dreams, Lead and Gold. Esta foi a terceira vez que Death Track: Resurrection entra para sorteio e termina sem dono... ninguém quer esse jogo? A se lamentar a ausência de jogadores concorrendo por Tiny and Big in Grandpa's Leftovers, um bom título.

Haverá novas promoções no futuro, incluindo os jogos que não saíram desta vez e uma lista inédita de outros jogos que já foram doados ou captados nesse meio tempo. Aguardem...

Os Ganhadores

Blackguards

  • Brenno Torres não teve concorrentes e levou o jogo Alpha Kimori.
  • John Rat também não teve concorrentes e levou o jogo Antisquad.
  • Ricardo teve mais sorte que os outros 4 camaradas e faturou o jogo Nekro.
  • Thiago Moreira Zolini teve mais sorte que os outros 7 camaradas e faturou o jogo The Longest Journey.
  • Vagner teve mais sorte que os outros 5 participantes e vai aproveitar o jogo ARMA II.
  • Nathan Igor Dias Furlan nem viu nenhum dos outros 4 participantes e levou o jogo Hotline Miami.
  • Nelson Silva nem viu nenhum dos outros 5 concorrentes e ganhou o jogo Overcast - Walden and the Werewolf.
  • Antonio não teve concorrentes e levou o jogo SOL: Exodus.
  • Jobs venceu seu único concorrente para ganhar o jogo Jagged Alliance Gold.
  • Wyslas não teve concorrentes e levou o jogo Spirits.
  • Fagner Pelicioni derrotou 3 concorrentes e levou para casa o jogo Bridge Constructor.
  • Marcus Mauro venceu seu único concorrente para ganhar o jogo Aquaria.
  • Thiago Costa foi o vitorioso sobre 4 camaradas e levou para casa o jogo Limbo.
  • Ronyclay Barreto De Souza venceu outros 12(!) concorrentes e levou o jogo Bastion.
  • João Wilian nem viu nenhum dos outros 4 competidores e vai aproveitar o jogo Little Inferno.
  • Marcos A. S. Almeida não teve concorrentes e levou o jogo Guardians of Middle-earth.
  • Pedro Ricardo derrotou 5 camaradas e levou o jogo Warhammer 40,000: Dawn of War II - Retribution.
  • Francisco Vicente foi o vitorioso sobre 5 concorrentes e ganhou o jogo FlatOut.
  • Elton Vilas Boas nem viu nenhum dos outros 4 concorrentes e levou o jogo Memoria.
  • Aléxis Kiosia venceu seu único concorrente para ganhar o jogo A New Beginning.
  • Alessandro Antônio Fonseca Da Costa venceu outros 10(!) competidores e ganhou o jogo Blackguards - Deluxe Edition.
  • Gustavo teve mais sorte que os outros 6 competidores e vai aproveitar o jogo Sid Meier's Civilization IV.

Os ganhadores serão contatados pelo Steam ou por e-mail nas próximas 24 horas. Tenham paciência, porque foi uma promoção bem grande!

Agora, para quem tem velocidade: o primeiro que anotar seu steamid abaixo, leva o desprezado Death Track: Resurrection!

Ouvindo: Fallout - 01Hub

28 de julho de 2014

Prorrogação!

O sorteio da Hiper Promoção Retina Desgastada está oficialmente adiado para o dia 30 (próxima quarta-feira) por motivos de "tem jogo demais para sortear e o tempo é curto".

Até o momento, já são 84 participantes(!) e, se você ainda não se inscreveu, a hora é essa!

Ouvindo: Radiohead - Airbag

24 de julho de 2014

O MMO Que Se Recusa a Morrer

Meridian 59 - Esqueletos

Quando eu passei por Meridian 59 no ano passado, houve momentos em que eu era a única alma vagando pelo servidor. Para um MMORPG, onde a primeira letra da sigla significa "Massivo", esta é uma sentença de morte.

Mas Meridian 59 não irá morrer jamais. "Mesmo que todo mundo vá embora, eu irei continuar adicionando conteúdo novo pelos próximos 50 anos", declarou um dos desenvolvedores/jogadores.

Em uma extensa reportagem publicada na The New Yorker, foi revelado que o pai de todos os MMORPGs está chegando no Steam, provavelmente em 2015. Atualmente, o jogo gratuito só pode ser baixado no site oficial, cujo layout parece ter parado nos anos 90 assim como a velocidade de download.

Os próprios desenvolvedores confirmam que é difícil encontrar mais de 20 jogadores online ao mesmo tempo. Muitos deles são veteranos com 10, 12, 18 anos de Meridian 59, que simplesmente não conseguem largar o jogo. Eles sabem que se desistirem, o jogo morre com eles. Então, em nome das amizades, da familiaridade, do hábito, das memórias, continuam voltando e voltando. Alguns já tentaram migrar para outros MMOs, mas Meridian 59 continuam puxando-os de volta.

Meridian 59

Matt Dymerski, de Ohio, é um destes jogadores permanentes. Ele também se juntou ao desenvolvimento e foi o cara que jurou adicionar conteúdo por mais 50 anos. E explica: "embora haja certamente maiores MMOs, eu não sei se existem jogos melhores. Então nós permanecemos em Meridian 59, combatendo as mesmas duzentas pessoas que nós conhecemos por nossa vida inteira, sempre esperando pela próxima grande atualização que irá 'consertar' o jogo e nos dar esperança outra vez".

Ouvindo: Depeche Mode - Policy of Truth

22 de julho de 2014

Minimalist Effect

Um certo yteci tem talento para o minimalismo e conseguiu captar com olhar preciso e poucas linhas o universo de Mass Effect em uma seleção de bons papéis de parede:

mass-effectmass-effect-2mass-effect-2-02mass-effect-3

 

As imagens em maior resolução podem ser baixadas aqui.

Ouvindo: Bravely Default - World of Scattering Flowers

21 de julho de 2014

O Retorno de Minsc

Less talk, more fight!

Treze anos depois de ser visto pela última vez em Throne of Bhaal, a única expansão de Baldur's Gate 2, Minsc está de volta! E com Boo, o Hamster Espacial Gigante Miniatura!

Legends of Baldur's Gate

Infelizmente, a dupla não retorna para um aguardadíssimo terceiro jogo da saga, mas para protagonizar uma minissérie em quadrinhos: Legends of Baldur's Gate.

Como parte das celebrações dos 40 anos de Dungeons & Dragons, a Wizards of the Coast encomendou a publicação para a editora IDW. A IDW é famosa por adaptar, nem sempre com sucesso, franquias de outras mídias para os quadrinhos, como Ghostbusters e Ben 10...

A dupla responsável pela ressurreição de Minsc (e Boo) é composta pelo escritor Jim Zub e o artista Max Dunbar.

Não há muitos detalhes sobre o enredo, exceto que Minsc é, de alguma forma, transportado para o futuro, cem anos depois dos eventos retratados no último jogo. O mundo ainda é de espada e feitiçaria e o ranger de pouca conversa e muita ação passa a liderar um outro grupo de aventureiros contra uma nova ameaça.

Legends of Baldur's Gate - Capa Alternativa

Capa alternativa da primeira edição

Na verdade, o salto no tempo foi essencial para situar o herói do passado no mundo de Tyranny of Dragons, a linha de enredo adotada pela 5ª Edição das regras de Dungeons & Dragons. Mas, de acordo com Zub, a história terá autonomia própria, podendo ser lida e compreendida por qualquer um que ainda não tenha jogado o novo D&D ou qualquer Baldur's Gate.

Inicialmente, a minissérie está prevista para durar cinco edições. Entretanto, dependendo da resposta do público, pode haver outras minis em sequência. O primeiro número chega às lojas em Outubro, nos Estados Unidos.

Da minha parte, mesmo sem confiar no trabalho da IDW, só posso desejar sucesso à empreitada e uma justa homenagem à altura de um dos NPCs mais queridos dos jogos eletrônicos. Que a lenda continue e se estenda.

E que venha logo Baldur's Gate III.

Ouvindo: Gabriel Knight - Main Theme

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino

My Playstation WallpapersXbox WallpapersPC Game Wallpapers

The Walking Dead