Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamTwitterRSS

31 de outubro de 2014

Resultado da Promoção 7 Faces do Terror

fear-3-family

A sina foi determinada! Os Arquidemônios do Caos giraram seus dados randômicos e decidiram o destino de sete mortais...

Que todos contemplem, então, o capítulo final do Outubro do Horror!

  • Edyr Faciola venceu outros 5 concorrentes e vai lamentar ter ganhado o jogo F.E.A.R..
  • Fausto Albertoni derrotou outros 3 concorrentes e sofrerá os horrores de F.E.A.R. 2: Project Origin.
  • Chico teve mais sorte(?) que os outros 3 participantes e vai se apavorar com o jogo F.E.A.R. 3.
  • Tiago Gomes Miguel foi o vitorioso sobre 5 interessados e foi amaldiçoado com o jogo Harvester.
  • Victor Hugo foi o vitorioso sobre 15 participantes(!) e se arrependerá amargamente de ter concorrido ao jogo System Shock 2.
  • Vagner foi o vitorioso sobre 7 competidores e acordará suando no meio da noite, com o jogo Bad Mojo: Redux ao seu lado.
  • Lucs derrotou 6 interessados e terá a eternidade para conhecer o jogo I Have No Mouth, And I Must Scream.

Todas as vítim... digo, todos os ganhadores serão contatados por e-mail nas próximas horas, até a meia-noite.

E nunca mais ouviremos falar deles.

Boa noite a todos.

E até o próximo Outubro.

Ouvindo: Pink Floyd - Money

Adeus, Prey 2

Prey2Não se trata de rumor, não se trata de boato ou especulações de fãs. Pete Hines, Vice-Presidente da Bethesda, declarou com todas as letras: Prey 2 está cancelado.

Depois de um longo silêncio e palavras vagas sobre o destino da sequência, Hines foi encostado na parede pela equipe da CNET e abriu o verbo durante um evento na Austrália:

"Era um jogo em que acreditávamos, mas nunca sentimos que ele chegava onde precisava estar – nós nunca vimos um caminho de sucesso se o tivéssemos terminado.

Não estava de acordo com nossos padrões de qualidade e nós decidimos cancelá-lo. Não está mais em desenvolvimento. Aquela não foi uma decisão fácil, mas é uma que não irá surpreender muita gente dado que nós não vínhamos falando a respeito.

"A Human Head Studios não está mais trabalhando nele. É uma franquia em que nós ainda acreditamos que podemos fazer algo a respeito – nós só precisamos descobrir o que esse algo é."

Completa-se a maldição da série e encerra-se mais de um ano de vigília pela continuação agonizante. Descanse em paz, Prey 2.

E volte dos mortos, quando puder.

prey-2

Ouvindo: Dream Theater - The Great Debate (London, UK 7-24-2011)

29 de outubro de 2014

(não) Jogando: GRID

GRID 05

Existe uma divisão bem nítida dentro do gênero dos jogos de corrida: arcade e simulador. O primeiro é mais tranquilo, para quem só curte velocidade, belas paisagens e jogar o adversário para fora da pista. O segundo é focado em quem curte controle absoluto sobre um gigante metal e potência e sente prazer em calibrar forças da física com marchas, reduzidas precisas e aceleradas fulminantes sem riscar a lataria.

Aprendi essa diferença dolorosamente quando tentei jogar Cart Precision Racer, da BigMax 15. Reaprendi quando tentei jogar um título que emulava o circuito oval das 500 Milhas de Indianápolis. "É só andar em círculos, qual é a dificuldade?", pensei momentos antes de me estraçalhar no muro e provocar um engavetamento.

Em algum ponto da minha carreira de velocista, incentivada por um Need for Speed aqui, um POD ali, eu esqueci essa lição.

GRID me relembrou.

Antes de mais nada, preciso esclarecer que GRID tem sim problemas de design que afetariam até mesmo o maior amante de simuladores do planeta, aquele sujeito que montou um cockpit em volta do PC e só joga com tudo no máximo. Os menus são lentos, lentos demais para um jogo de 7 anos atrás em uma configuração bem superior à recomendada. Como se a resposta dos cliques não fosse ruim o bastante, o jogo tem telas demais para você dar OK e uma navegação confusa para quem quer dar uma simples corrida.

Segundo, há um excesso de desfoque no jogo. Você nem saiu da segunda marcha e o mundo já está distorcido como se você tivesse bebido todas ou se estivesse em um carro-foguete. Ou bebido todas em um carro-foguete, não sei, nunca tive essa experiência. Nenhuma das duas, na verdade. Divago.

Não curto motion blur. Faça o jogo rápido o bastante e meu próprio olho já providencia o desfoque, OK? Um pouco de ilusão de ótica ajuda, mas, em excesso, dá vertigem e fica ridículo para mim.

GRID 02

Olha a velocidade em que estou e olha o nível de desfoque...

De resto, reencontrei meu velho inimigo: a precisão. Em 25 minutos de jogatina, destruí três carros, não ultrapassei ninguém (e fiquei meio tonto no processo). Um toque no teclado e o carro tenta fazer um 180º para um lado. Eu tento contrapor e ele faz um 90º para o outro lado. Ziguezagueio na pista até estabilizar. Não mexo em nada e o carro vai. Vai direto para o muro porque errei a curva.

GRID 03

Atravessado na pista

Incompetência? Certamente. GRID não foi feito pra mim, ainda que o Steam também coloque a tag Arcade nele. Não achei nenhuma configuração que transforme o jogo magicamente em uma celebração da velocidade descerebrada. Mas, com uma nota de 87/100 no Metacritic e quase 100% de aprovação na loja da Valve, sei que estou sozinho nessa.

GRID

2014 Avança

Afasto-me com cuidado, com o mal-estar de quem quebrou alguma coisa na sala e avanço para outro jogo.

  1. Outcast
  2. The Walking Dead
  3. Paper Sorcerer
  4. Necrovision
  5. Zeno Clash
  6. GRID
  7. Dungeonland
  8. Race the Sun
  9. Sang-Froid
  10. Foreign Legion
  11. Hotline Miami
  12. STALKER Call of Pripyat
  13. The Bridge
  14. Brothers
  15. Papo & Yo
  16. The Witcher
Ouvindo: Pink Floyd - One Of These Days

27 de outubro de 2014

Promoção 7 Faces do Terror

O Terror tem muitas faces... e uma delas pode ser sua! Para sempre!

topo_halloween-promo

São tantos jogos disponíveis para sorteio aqui nos bastidores que consegui fazer uma promoção temática, aproveitando o clima de Outubro do Horror. Escolha um dos sete títulos de horror e cruze os dedos:

  • Harvester
  • I Have no Mouth, and I Must Scream
  • System Shock 2
  • F.E.A.R.
  • F.E.A.R. 2 : Project Origin
  • F.E.A.R. 3
  • Bad Mojo: Redux

Os jogos foram doados pelos camaradas Daniel Puia, Gustavo Coelho, RiqueRico e Tais Fantoni. Não me responsabilizo por crises de insônia, ataques de angústia, perda de órgãos ou corrupção de almas. Eles são os culpados. E você, com sua eterna ganância, uma estrada aberta para a perdição!!!!

Você tem a coragem necessária para participar?

Para participar, você precisa ir para a página da Promoção 7 Faces do Terror e seguir as instruções. O sorteio será realizado no dia 31 de Outubro seguindo as orientações dos Arquidemônios do Caos.

Lembrando que cada participante só poderá concorrer a um único jogo. Então, escolha com cuidado... ou arrependa-se por toda a eternidade.

Promoção encerrada! Confira os resultados!

Ouvindo: Aphex Twin - Rhubarb

26 de outubro de 2014

sinto muito,

preferia não ter que indicar este jogo.

mas não tenho escolha. é um vírus. é um meme. é creepy pasta. e não é. assume o controle de sua pasta de arquivos. você nunca terá certeza de que ele terminou. ou se está apenas começando.

respire.

observe o que mudou. no mundo real.

nunca é o mesmo jogo.

outubro do horror toma um rumo inesperado.

eu realmente sinto muito. é real.

TAKE TIME

Ouvindo: -

22 de outubro de 2014

Tiros e Arte

Enquanto na Polônia, uma empresa de jogos ressuscita o antigo espectro do mau gosto e tenta arrastar os jogos de volta para o fosso da polêmica desnecessária, na vizinha Alemanha, um artista plástico vai na direção oposta e usa o outrora controverso Duke Nukem 3D para criar uma experiência sensorial.

Bartholl - Come Get Some

Hurt Me Plenty está em exposição em uma galeria de arte em Berlin(e agora, Ministra?). São seis semanas inteiras dedicadas a mostrar este trabalho de Aram Bartholl. De acordo com a descrição oficial, Bartholl "propõe um novo discurso que desafia o debate corrente sobre vigilância versus as aparentemente antiquadas noções e imagens de 'ciberespaço'".

Em instalações colossais, mas pixelizadas, a mão do observador funciona como um "símbolo de nós entrando no espaço virtual". Onde tantos enxergaram um título a ser proibido, Bartholl enxerga uma manifestação de sua época e um representante do conflito entre o real e o virtual.

Ouvindo: Velvet Underground - Sister Ray

21 de outubro de 2014

Xingando Muito no Twitter

Paranautical Activity - Tela

Ontem deveria ter sido o grande dia de glória de Paranautical Activity. Depois de uma bem-sucedida campanha de Kickstarter, uma passagem tranquila pelo Steam Greenlight e um necessário período de incubação no famigerado Early Access, o elogiado roguelike-FPS iria finalmente ser lançado oficialmente no Steam.

Mas deu tudo errado.

Primeiro, o jogo apareceu brevemente na área de destaque da loja virtual da Valve. Mas havia um problema: o selo Early Access, que para muitos (eu, inclusive) funciona como um repelente de consumidores, ainda estava visível na campanha.

Paranautical Activity

Foi o estopim para que o desenvolvedor Mike Maulbeck fosse no Twitter liberar toda sua fúria contra o Steam:

Não é uma boa ideia xingar a loja onde você está tentando vender seu produto de "o mais incompetente pedaço de m***da do c***lho". Mas Maulbeck foi além.

Em um tuíte já apagado, ele esbravejou: "Eu vou matar Gabe Newell. Ele vai morrer".

Para a Valve, foi a gota d'água. Paranautical Activity foi expurgado do Steam, sem dó nem pena. Em um e-mail enviado para o desenvolvedor, a empresa explicou: "Ameaças de morte cruzam uma linha. Nós decidimos encerrar nosso relacionamento comercial com você e a desenvolvedora". O jogo não vende mais na loja e a desenvolvedora Code Avarice teve sua conta de administração cancelada. O Community Hub do jogo ainda existe, para que os jogadores possam chorar juntos.

Maulbeck seguiu xingando no Twitter, afirmando que cansou de fazer jogos eletrônicos e que é impossível se sustentar sem o Steam.

gabe-newell

"Fala na cara, quero ver se tu é macho!"

Após uma noite de insônia e, possivelmente uma chamada do resto do time da Code Avarice, Maulbeck anunciou hoje que está se desligando da empresa para não prejudicar os outros desenvolvedores. Ele pede desculpas pelas suas mensagens exaltadas e diz que é inaceitável a ameaça de morte que fez, mesmo sem ter qualquer intenção de cumpri-la.

Maulbeck revela que vendeu sua parte na Code Avarice para outro membro da equipe, que abdicou dos direitos sobre Paranautical Activity e que não irá mais receber qualquer percentual sobre as vendas do jogo.

Por enquanto, a Valve não se pronunciou se irá voltar atrás em sua decisão. Espero que sim, quando está claro para todos que o responsável "falou" sem pensar e que a punição talvez seja extrema demais comparada com o delito.

Ouvindo: Chico Science - Macô

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino

My Playstation WallpapersXbox WallpapersPC Game Wallpapers

Clementine