Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamTwitterRSS

6 de agosto de 2011

Saudades de Morrowind

Talvez seja o fato de eu estar jogando outro RPG da Bethesda ou todo este clima de Quakecon no Steam, mas a verdade é que bateu saudades de Morrowind. Se você não consegue entender como este jogo pode ter um apelo tão forte junto a mim e a outros jogadores, recomendo que leia meu alerta: "Não Jogue Este Jogo". Por que, mesmo não fazendo parte da minha lista de favoritos, eu me pego pensando nele com mais freqüência do que os títulos aclamados. Vvardenfell chama.

Outros andarilhos daquela terra mágica com mais talento do que eu conseguiram expressar suas saudades através da ilustração. Confira agora trabalhos sensacionais inspirados pelo estranho e acolhedor mundo de Morrowind. E tente não se sentir sugado de volta...

J. Nicholas Arnold mora nos Estados Unidos e diz que seu jogo favorito é Mass Effect 2. Curiosamente, a maior parte de seus trabalhos expostos no DeviantArt são baseados em Morrowind.

Morrowind - Telvanni Tower (by Demi_urgic) Morrowind (by Demi_urgic) Minttu Hynninen mora na Finlândia e Morrowind está entre seus jogos favoritos! Junto com Portal, Left 4 Dead, Neverwinter Nights 1 e 2, Guitar Hero, Assassin's Creed, Thief, Prototype... Mas adivinhem qual é o jogo que mais aparece homenageado entre os trabalhos da moça?

Morrowind - Bitter Coast (by TheMinttu) Morrowind - Netch Plantation (by TheMinttu) Morrowind - Grazelands Caravan (by TheMinttu)Alexey Kutyrev mora na Rússia e entre seus jogos favoritos estão Fallout e Planescape:Torment. Mas isso não o impediu de criar uma magnífica reconstituição de Balmora em seus mínimos detalhes:

Morrowind - Balmora (by Saito00)

Ouvindo: Nobuo Uematsu - Illusionary World
Seu apoio é muito importante! Ajude esse blog a crescer! Patreon

10 comentários:

Marcos A. S. Almeida disse...

Aquino, me desculpe , mas não vi nada de sensacionalismo na matéria do Fantástico.Pelo contrário, teve a opinião de uma psicóloga e um pai favorável ao jogos violentos; O único erro que vejo é a insistente informação de que a Noruega ( e não algumas lojas) suspenderam a venda de jogos.De resto , o que ficou em meu modo de ver , é que os pais devem estar atentos ao comportamento do filho diante dos jogos , até mesmo para não ocorrer o vício nos mesmos (sejam eles violentos ou não) e isso eu acho extremamente saudável, até porque acho que todos concordamos que se o jovem for problemático , o jogo poderá desencadear algum distúrbio em sua mente.Acho que não deveria haver discussão sobre se há ou não malefício em jogar games violentos, mas já que a discussão está posta então que seja discutida de maneira saudável e imparcial , ouvindo-se os dois lados.

C. Aquino disse...

Essa desinformação sobre a Noruega em um momento em que as Organizações Globo divulgam uma declaração de "princípios editoriais" está entalada na minha garganta. E o Fantástico tem um alcance maior do que uma matéria no Globo online que o usuário pode clicar ou não, que some da primeira página, etc. Apesar do programa ter tentado equilibrar o debate, o mote é sensacionalista (ainda que bem longe do tom daquela terrível "matéria" da Record). Cria-se um clima de paranóia desnecessário. Se amanhã acontece um crime aqui no Brasil injustamente atribuído aos jogos eletrônicos e todas as lojas resolverem remover títulos das prateleiras, vai ter muita gente aplaudindo a iniciativa.
Sou 100% a favor da classificação indicativa e da autoridade paterna para regular o uso dos jogos. Qualquer atividade que prejudique o desempenho escolar, social ou familiar de um jovem tem que ser controlada também. Mas, por favor, sem histeria. Tem que ter diálogo, tem que ter proximidade com os filhos.
Os jogos violentos de hoje são os substitutos dos jogos violentos reais do passado: guerra de estilingue, polícia e ladrão, briga de gangues, futebol truculento no campinho e outras atividades competitivas em uma época de desequilíbrio hormonal e auto-afirmação. Acreditar que isto dessensibiliza para a prática de assassinatos é uma noção equivocada do psicólogo consultado, uma noção que já foi contestada em diversas publicações e vai de encontro às milhões de unidades vendidas de GTA, CoD e Halo.

João Luiz disse...

mudando o assunto, aquino, tu já achou o dogmeat?

e vai dar uma chance pro planescape?

falow!!!

C. Aquino disse...

Ninguém vai comentar sobre Morrowind? Ok, ok. Ainda não achei o diacho do cachorro e olha que já saí da quest principal várias vezes. Mas o mapa é grande pra chuchu. Planescape continua na minha lista de possibilidades e são grandes as chances de eu jogá-lo. Porém, Fallout 3 vai me ocupar por um bom tempo ainda. Tenho quase 30 horas de jogo e só cheguei na metade da missão principal! Depois disso, tem 5 DLCs para emendar, fora os mods!

João Luiz disse...

só pra constar, adorei morrowind, mesmo sendo muito fácil.

joguei fácil mais de 200 hr dele...

sobre as dlcs de FO3: só gostei de duas, broken steel e the pitt. mothership zeta e anchorage são ruins (zeta é ridícula, e anchorage é um shooter, e além disso ruim, porque FO3 como shooter é ruim...), e point lookout é legal, mas tive tantos bugs que desisti de terminar.

ps. posso falar onde dogmeat está?

C. Aquino disse...

Quando eu terminar o principal, vou ativar todos os DLCs e colocar uns mods. Na verdade, olhando agora, vejo que já completei 33 horas de Fallout 3. 33 horas e NENHUM Companion, o que é frustrante para quem jogou Fallout 1 e 2. Estou nos National Archives atrás da Declaração de Independência e estou sendo auxiliado por uma caçadora de relíquias. Não sei se a NPC vai virar companion depois ou me dar um tiro pelas costas, mas, se aquilo é a interação que um companion normalmente tem, eu dispenso: não recebe comandos, não recebe equipamento, não dá para ver com precisão como está a saúde... espero que isto NÃO seja o padrão para aliados!
E não, não pode me falar onde está o Dogmeat.

João Luiz disse...

ela não é um companion, apenas uma temporária. voltemos a ela quando tu acabar o jogo...

mas os npcs não são bons nesse jogo. e são poucos. não vou listar eles aqui, mas um eu tenho certeza que tu já passou por um deles, não tenho certeza sobre os outros...

Breno disse...

Morrowind foi o primeiro divisor de aguas da bethesda.Muitos old-timers não gostaram da mudança de direção da bethesda,pelo fato de tirar o escopo e ambição de daggerfall(bugado sim como João falou,mas é o titulo mais ambicioso da bethesda).por outro lado,muitos também gostaram da direção artistica de morrowind(talvez este titulo seja o equilibrio entre ambição e qualidade).Infelizmente,sua sequencia Oblivion foi simplificado ainda mais,junto a uma direção artistica mais cliche de fantasia medieval,e erroneamente aclamado por muitos leigos de "melhor rpg de todos os tempos".Ironicamente,se analisarmos fallout 3 como uma sequencia da serie elder scrolls,iremos notar que o titulo representa uma evolução se comparado a oblivion,justamente pela leve inspiração que os produtores tiveram a serie da black isle.fallout 3 poderia ser bem melhor se eles tivessem dado mais enfase nessa area,e tambem se eles contratassem os antigos desenvolvedores para serem consultores.

breno disse...

So uma coisa Aquino.Depois daquele debate todo nos posts de fallout,e agora com sua experiencia em fallout 3,como ficou a sua concepção nesse debate de fans antigos vs fans novos vs fans de todas as interações de fallout?

João Luiz disse...

aquino:

esqueci de mencionar algo: se eu fosse tu, instalava broken steel agora, porque aumenta o nível de 20 pra 30 e acrescenta novas armas e inimigos na main quest.

só sugerindo...

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino | Seja um patrono!

My Playstation WallpapersXbox WallpapersPC Game Wallpapers

Tooth and Tail