Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamTwitterRSS

27 de julho de 2011

Jogando: Fallout 3

Fallout 2 Antes mesmo de seu lançamento, Fallout 3 foi o centro de uma polêmica envolvendo aqueles que defendiam a perspectiva isométrica tradicional da série e a decisão da Bethesda de produzir o jogo em primeira pessoa. Quero deixar claro de imediato que isso é uma bobagem. Existem RPGs em primeira pessoa que são completamente diferentes entre si (vide Deus Ex, Elder Scrolls 3: Morrowind e Eye of the Beholder), existem RPGs isométricos que são completamente diferentes entre si (vide Diablo e Baldur's Gate 2) e existem RPGs em terceira pessoa que são completamente diferentes entre si (vide Risen e Knights of the Old Republic). É tudo, literalmente, uma questão de ponto de vista. Fallout 3 não perde por ser como é.

Outro argumento utilizado pelos detratores antes do jogo chegar às prateleiras é que ele seria um título de ação, um FPS ambientado no universo de Fallout e não um RPG como seus antecessores. O capítulo criado pela Bethesda é abundante em NPCs, tem o sistema de criação de personagens e evolução praticamente idêntico ao original, tem diálogos para todos os lados e até decisões morais. De fato, se Fallout 3 fosse julgado apenas no quesito ação, seria um jogo sofrível: os controles são rígidos para um FPS convencional, a resposta das armas é estranha e a quantidade de combates entediaria qualquer um capturado pelo chamado dos modernos jogos de tiros. A ação em Fallout 3 se beneficia imensamente do VATS, um sistema tático que permite pausar a ação e escolher pontos do corpo do inimigo para serem atingidos, e das estatísticas de acerto fornecidas pelo nível de habilidade do personagem (e não do jogador). Não se deixe enganar: Fallout 3 é até "mais RPG" do que outros títulos classificados erroneamente dentro do gênero (como o disfarçado FPS Dark Messiah of Might and Magic) ou medalhões como Deus Ex.

Eliminados estes preconceitos da minha análise, vamos aos problemas verdadeiros de Fallout 3.

As Criaturas Mutantes do Futuro Radioativo Sem Esperanças

O trabalho de dublagem do jogo é mais um sucesso na longa lista de bons trabalhos realizados pela Bethesda. Infelizmente, os personagens digitais não correspondem ao esforço colocado pela equipe de dublagem. Feche os olhos e você terá um mundo imersivo de boa interpretação. Abra os olhos e você se verá cercado por aterradores bonecos de plástico que dizem suas falas com lábios serrilhados fora de sincronia e olhar vidrado. O fato dos personagens frequentemente repetirem os mesmos diálogos, esquecerem que já discutiram sobre este ou aquele assunto contigo ou ficarem estáticos enquanto conversam quebram a credibilidade da história. Para um jogo de 2009, esta falta de vivacidade na engine é inadmissível.

Fallout 3 se esforça para passar por cima de suas limitações e tenta a todo custo criar uma atmosfera palpável. A cena da criação de personagem, que começa pelo seu nascimento e se estende até a idade adulta é um prodígio de criatividade que consegue ao mesmo tempo introduzir a mecânica do jogo, apresentar o cenário e criar familiaridade com seus habitantes. É uma pena que a proposta é destruída com uma constrangedora cena de aniversário onde os convidados permanecem em suas marcações aguardando a interação do protagonista.

Festa

E como explicar a economia de rostos disponíveis no jogo? Quando você encontra em um vilarejo pequeno como Megaton dois personagens com as mesmas feições, diferenciados apenas por um tapa-olho, fica claro que a Bethesda não aprendeu nada com equívocos anteriores. Quando dois corpos largados em lugar público permanecem no mesmo ponto por dias e as pessoas ao redor ignoram o fato, você precisa de toda sua concentração para entrar no clima.

Para meu espanto, a paisagem devastada pela guerra nuclear é menos impressionante do que eu imaginava. Decepção foi o primeiro sentimento que tive ao sair do abrigo e ver a imensidão monocromática se estendendo para o horizonte. O senso de distância, que funcionava bem em Morrowind, aqui também contribui para a quebra de imersão. Megaton é mais próxima do Vault 101 do que a padaria em relação à minha casa. Para quem viajou pelas ruínas da Zona em S.T.A.L.K.E.R., os ambientes exibidos em Fallout 3 são uma pálida e defasada visão da destruição.

Além da Cúpula da Decepção

Se tecnologicamente falando, a engine Gamebryo de Fallout 3 dá claros sinais de desgaste, do ponto de vista narrativo o RPG da Bethesda tem seus momentos de glória. Se os NPCs parecem plástico, cada um deles até agora mostrou para mim que tinha alma. Se o panorama é feio, a viagem é prazerosa. Com pouco mais de três horas de jornada, o que salta aos olhos, salta aos olhos, mas o enredo vai criando raízes...

Começo

Desde a abertura inusitada até o momento em que a vida do protagonista vira de cabeça para baixo, você consegue sentir o abrigo respirando ao seu redor. Temos alcoólatras, lares destruídos, poetisas amargas, conspiração, delinqüência, espaço para cavalheirismo e espírito de porco. Optei por ter um personagem que fosse heróico, um perpétuo otimista diante do horror do mundo do futuro, um homem de raciocínio e agilidade e não um guerreiro. Em meus primeiros minutos fora da suposta segurança do abrigo, abordei de peito aberto um estranho e fui recebido a bala. Em uma curta batalha, tinha produzido meu primeiro desmembramento. Fallout 3 é brutal e não é lugar para mocinhos.

Megaton - Marshall

Uma decisão equivocada mais tarde e uma pessoa boa e honesta pagou com a vida pela minha escolha. No dia seguinte, encontrei uma criança, elemento raro nos jogos atuais. Era o filho do homem que morreu por minha culpa. Fallout 3 não tenta colocar um peso em minhas costas, mas o fato da culpa estar lá e de eu me importar com o futuro daquele menino é uma manifestação da capacidade de absorção do universo. Cada infante que eu esbarrei nas Terras Devastadas é uma testemunha de seu horror e todos tem uma história de perda e sofrimento. O que fornece a conexão perfeita com o próprio objetivo do protagonista. Fallout 3 é brutal.

Fanatismo, esperança, preconceito, justiça. Há um micro-cosmos em Megaton e isto é apenas a ponta do iceberg da imensidão pós-guerra.

Eu ainda me pego tentando dialogar com estranhos fora dos limites da cidade. Ainda me pego tentando cessar hostilidades com tiros nas pernas ou nos braços, para incapacitar o oponente. Mas tudo termina em conflito, tudo termina em amputações sangrentas. O gosto salgado da radioatividade está se impregnando na boca do meu personagem e sua visão otimista vai se pragmatizando. Meu Karma está alto, mas tenho armas de reserva escondidas em um refrigerador abandonado. Vamos ver até onde meus princípios permanecem intactos.

Ouvindo: Coil - Tiny Golden Books
Seu apoio é muito importante! Ajude esse blog a crescer! Patreon

48 comentários:

Fabio Sooner disse...

Pelo que deu pra entender do ponto em que você está, fique calmo, que já já a verdadeira escala do jogo aparece. Megaton é a padaria da esquina sim, mas logo você verá que isso é proposital. Se o Vault 101 é um (belíssimo) tutorial, Megaton é o equivalente à primeira dungeon cheia de ratos em um RPG medieval.

José Guilherme Wasner Machado disse...

É verdade, Megaton coincide de estar próximo ao vault inicial. Lembro também que o jogo se passa num cenário menos amplo do que nos títulos anteriores, englobando apenas a capital e suas cercanias imediatas. Ainda assim, você verá que há MUITO terreno para percorrer. Com relação à Gamebryo, infelizmente é o Calcanhar de Aquiles de F3. Recomendo olhar alguns MODs embelezadores no Fallout Nexus - não vai resolver, mas vai melhorar bastante alguns problemas. De resto, é um ótimo jogo, eu gostei bastante. Mas New Vegas é bem superior.

Abraços!

jmtstorres disse...

Hehehe, bom texto mlk. Review em forma de poesia.
Já joguei Fallout 3, e entendi o que tu disse sobre a criança. (Spoiler de leve, acontece na primeira meia hora de jogo) também quis evitar a explosão da bomba e isso acabou com o xerife morto.
Muito bons textos, tu devia divulgar mais teu blog.

João Luiz disse...

FO3 tem a melhor ambientação de um jogo que já vi.

os detalhes de cenário, as várias pequenas coisas espalhadas pelo jogo, que dão "vida" a um mundo pós-apocalíptico, as pequenas tragédias que o jogador descobre lendo os computadores, bilhetes, grafites, tudo isso faz de FO3 uma imersão fantástica.

isso, claro, se o jogo não travar sem explicação nenhuma, coisa que aconteceu direto comigo...

breno disse...

Aquino tenta jogar um personagem com inteligência baixa para ver se o sistema de criação de personagem é "praticamente idêntico aos originais".Tente completar o jogo em 10 minutos!Tente também matar crianças com a versão vanilla do jogo! As criticas de detratores não são apenas aborrecentes reclamando da falta de combate em turnos (e mesmo nesse ponto eles tem razão) mas o fato do próprio jogo ser um retrocesso em relação ao original.sites especializados em rpg tiveram um olhar mais critico em relação ao jogo, diferente de sites populares que ovacionaram o jogo como uma grande reevolução(muitas vezes demonstrando inexperiência com o gênero e sem sequer jogarem os fallouts anteriores).a bethesda pelo menos teve sensibilidade de lançar um jogo no mínimo descente, pois foi a propria interplay que afundou a série, preferindo lançar um fallout clone de diablo para consoles ao inves de investir no projeto van buren.pra terminar deixo esse link com uma crítica interessante:http://www.nma-fallout.com/article.php?id=47347só mais uma coisa, fallout 3 é de 2008 e não de 2009 como o senhor fallout(hehe).

Marcos A. S. Almeida disse...

Fallout 3 = 2008
Fallout 3 : GOTY Edition = 2009

José Guilherme Wasner Machado disse...

Breno, respeito sua posição e não discordo de tudo o que disse, mas, sinceramente, esse pessoal do NMA é MUITO chato. Eles são xiitas demais. Acho que F3 está longe de ser perfeito, mas é um bom jogo, trouxe a franquia de volta do limbo onde estava e conquistou um grande público para bem além do limbo dos CRPGs tradicionais. Se dependesse do pessoal do NMA, a franquia continuaria enterrada e restrita a meia dúzia de iniciados iluminados. Longe de extremos, acho que a Bethesda fez um bom trabalho em trazer a série para os dias (e gostos) atuais. Um jogo tem que se viabilizar economicamente, e não acho que seria possível fazê-lo, hoje em dia, com jogabilidade complexa e hardcore do Fallout original. Também gosto mais dos dois primeiros títulos, mas é preciso ser pragmático e fazer concessões. Perto do desastre que poderia ser em mãos menos competentes (Duke Nukem, alguém?), fico feliz com o resultado. Talvez F3 nunca seja considerado um Fallout "de verdade" pelos fãs mais xiitas, mas é um bom RPG pelos seus próprios méritos, dentro do que é viável nos dias atuais. Se tivesse outro nome, talvez não tivesse sido objeto de tanta ira. Para os fãs de uma jogabilidade mais old school, sempre teremos RPGs indie. Há muitos bons títulos por aí. E se F3 está longe das sutilezas, do nível de escrita e da flexibilidade dos dois primeiros títulos, pelo menos não cai na mediocridade dos RPGs "God of War" que parecem ser a tendência futura, e onde o "fator RPG" e a tática praticamente inexistem, em favor da ação pura.

Abraços!

breno disse...

Wasner:
Eu acredito que o pessoal do NMA foi bastante pragmatico com Fallout 3, quando eles falam que Fallout 3 é um arpg descente.e francamente eu não to interessado em viabilização economica de rpgs.O argumento que eles apresentam é bastante simples:Fallout 3 não é um rpg do nível de fallout 1 e 2(mesmo em questão de gráficos e direção artistica, os primeiros ainda se saem bem, pois eles envelheceram melhor que o FO3)quando se trata de suas mecanicas e complexidade. Agora o que enche mesmo o saco não chega nem perto de sites como NMA ou RPG codex. O pior são os jornalistas que adoram babar ovo de produtoras,vomitando desinformação no que conserne a CRPGs e jogos em geral.É por isso que perolas de escrita jornalistica como Diablo foi o primeiro WRPG ou Kotor foi um rpg revolucionario(é rir para não chorar)aparecem em portais e revistas "especializadas".Se for para escolher entre pensamento crítico ou overhype de jogos eu prefiro o primeiro.Quanto a malfadada gamebryo, eu acho que o jogo Divinity 2 faz melhor uso dela em relação a graficos.

João Luiz disse...

FO1 e FO2 sempre tiveram gráficos péssimos, mesmo pra época deles. além de uma jogabilidade tosca, e bugs, muitos bugs (em especial o 2). mas isso o pessoal da nma nunca comenta, preferem sempre criticar o FO3 a qualquer custo.

a pior das críticas que já li sobre FO3 foi que no final teu personagem ficava quase invencível, sendo que nos dois primeiros acontecia a mesma coisa!!!

e sobre acabar em 10 minutos, isso demonstra o que? qualidade? opção? grandes jogos também não permitem isso, é só uma questão de opção dos programadores. prefiro poder acabar o jogo em 5 minutos, mas isso não quer dizer maior ou menor qualidade do produto.

os dois primeiros jogos são excelentes, em especial o 1, mas não envelheceram bem (é só ver que a nova geração nem chega perto), nunca venderam bem (comercialmente os jogos foram ruins) e tem histórias totalmente overrated. se espremer, são tão bestas quanto a do 3, somente com melhores npcs e side-quests (o que, na minha opinião, são o grande problema do FO3).

e sobre a parte gráfica, FO3 é muito bom, apesar de ter coisa bem melhor, mas decepção mesmo pra mim é o new vegas, que tem gráficos idênticos ao FO3 mesmo tendo sido feito bem depois.

Fabio Sooner disse...

Bato palmas e faço reverência para cada palavra que o João Luiz escreveu.

O povo que reclama de Fallout 3 enxerga os dois primeiros com o típico olhar seletivo da nostalgia, aquele que apaga os defeitos e obscurece o fato de que o formato antigo não é mais necessário agora que a tecnologia evoluiu.

Também é uma consequência natural (infelizmente) do terceiro jogo ter sido feito por outra companhia quase 10 anos depois da parte anterior (estou desconsiderando aqui spin-offs e ports). Nesse sentido, não à toa que muitas companhias em tal situação tentam aproximar as novas edições de algo mais moderno: reconquistar o público original - que provavelmente encolheu nos anos do hiato, parando de jogar ao chegar a certa idade - é uma tarefa hercúlea. Eu dou toda razão a elas.

Essas críticas não são de aborrescentes reclamando da falta de turnos, de forma alguma. São de *gente que envelheceu mal* e se revolta sempre que algo não permanece exatamente como era, independente do resultado final da novidade. Sabe aquele tiozinho de 50 anos que veste jaqueta de couro, usa topete de James Dean, e não cansa de falar que o rock morreu depois do Elvis ou algo do gênero? Esse pessoal do NMA é o equivalente no mundo dos games, e as críticas a Fallout 3 têm o mesmíssimo fundamento.

Fabio Sooner disse...

Aliás, vide F.3.A.R., que está em situação parecidíssima, apenas com um intervalo bem menor. Feito por uma empresa que só tinha trabalhado em ports do primeiro (ainda que sob supervisão da criadora original, a Monolith, mas os detratores obviamente vão ignorar o fato), F.3.A.R. é o mais shooter de todos os jogos da série e o que mais se conforma aos padrões do gênero atual.

Aí o pessoal chora, faz mimimi, reclama de multijogador... E esquece que o primeiro É UM SHOOTER, tem um multijogador comum feito só por obrigação, tem os corredores mais estreitos e repetitivos já criados em qualquer game do gênero, te faz passar 90% do tempo atirando nos mesmos soldados com a mesma técnica (câmera lenta, mata alguns, se esconde para "recarregar" o efeito, começa de novo), e tem uma história ultra-esparsa contada em gravações sem muita coerência (principalmente depois de experimentar Bioshock, que usou esse recurso de forma muito mais coesa). O game só se salva pelos efeitos sonoros, pelas (pouquíssimas) cenas de terror, pelo pioneirismo de ser um shooter de terror e pela *fantástica* inteligência artificial dos soldados.

Isso tem nome, é nostalgia seletiva - o pior mal que pode acometer qualquer pessoa que se proponha a analisar qualquer coisa.

Paladino222 disse...

Olá galera, vocês poderiam me dar uma ajudinha?
É que eu estou com muita vontade de começar a jogar Fallout 3 e vocês poderiam me dizer qual é a melhor versão ou a mais recente?
E outra versão vanilla e gotty??????wtf...
E parabéns pela matéria era a inspiração, a gota d'água que faltava para transbordar o copo, para eu começar a jogar...

C. Aquino disse...

Paladino222, eu sugiro a versão GOTY que, além de ser a mais recente, tem todos os cinco DLCs criados pela Bethesda. Com uma boa promoção, o preço compensa muito. Fallout: New Vegas é um outro jogo (mais recente) que não precisa de Fallout 3 para ser jogado ou compreendido, uma vez que se passa em outra parte do mesmo universo pós-apocalíptico. New Vegas, por sua vez, também tem um punhado de DLCs, mas ainda não tem uma versão GOTY. Finalmente, se tiver curiosidade e seis dólares sobrando, você pode comprar o primeiro Fallout de 1997 no GOG (http://www.gog.com/en/gamecard/fallout) e descobrir como tudo começou. Grande abraço!

breno disse...

Acho que o pessoal só enxerga sempre um lado da história! O NMA,Gamebanshee ou rpg codex sempre apontaram os defeitos dos antigos fallouts(sim eles não eram perfeitos),e eles sempre tiveram um interesse em ver uma sequencia de qualidade que superasse o original como um rpg(não foi o que eles acharam).O Wasner tem razão em dizer que FO3 teve benefícios para a serie(tanto em termos de popularidade como também no ressurgimento do projeto van buren(bom quase,ver F:NV))mas isso não blinda o titulo de CRITICAS. Agora eu acredito que fabio sooner desconhece totalmente o conceito de sequencias em jogos.Quando uma empresa promete uma sequência de um jogo, mais do que uma continuação narrativa, os CONSUMIDORES esperam um jogo mais complexo,com mais conteudo.é por isso que Dragon Age 2(onde o nosso amigo Wasner ficou fazendo "mimimi"do jogo no blog dele), teve uma das piores recepções de público entre os jogos deste ano, com metacritic de 4.2 para PC e 4.4 para XBOX360(o primeiro tem 60 horas de duração contra 40 do segundo,menos customização,menos escolhas,sem origens,mudança do sistema de batalha, ao inves de melhorar o anterior,etc.).A mesma coisa aconteceu com crisis 2,embora os produtores deste usaram a cabeça para esconder as limitações do jogo com o ambiente urbano. Ambos os jogos até podem ser bons, mas não são boas sequencias. Bom em fim,mesmo que os caras do NMA sejam isso ou aquilo(pra que argumentar se ad hominem é mais facil)eles pelo menos devem saber de alguma coisa:RPGs.E eles não vão sair por ai dizendo que o sistema é identico ao original porque para o bem ou para o mal,não é.
cotação de Fabio:
"O povo que reclama de Fallout 3 enxerga os dois primeiros com o típico olhar seletivo da nostalgia, aquele que apaga os defeitos e obscurece o fato de que o formato antigo não é mais necessário agora que a tecnologia evoluiu".
A tecnologia evoluiu mas parece que a complexidade do jogo diminuio, ou vc vai dizer que Fallout 3 tem mais possibilidades que o primeiro e o segundo?esse é o mesmo argumento que os produtores de XCOM querem enfiar na goela do público deles.Enquanto isso no japão os combates em turnos vão bem,obrigado.Outra coisa que eu não entendo muito em vc Fábio é esse protecionismo que vc tem com as produtoras. Deixa os fans reclamarem o quanto quiserem, isso só vai fazer, no mínimo, com que eles coloquem mais qualidade nos produtos.
P.s Eu joguei os três fallouts em sequencia e posso dizer sem o menor pingo de nostalgia que Fallout 3 é o menos bom(pó mas deveria ser o inverso não, com tanta tecnologia que tem por aí eles já deveriam ter feito um remake de dwarf forttress para os consoles?)!

Paladino222 disse...

Valew
Só mais uma pergunta a versão Goty já vem atualizado ou possui expansões?

Eu quero começar pelo 3, ai vou pro New Vegas e depois começo do primeiro, é que ja estou cansado por enquanto de jogos de visão isométrica, é que recentemente terminei Baldur's Gate TOSC, aí ja passei pro II Shadown of awn e agora quero relaxar com um jogo estilo Oblivion só que com uma temática futurista.

breno disse...

Sobre F.3.A.R,cotação de Fabio: "O game só se salva pelos efeitos sonoros, pelas (pouquíssimas) cenas de terror, pelo pioneirismo de ser um shooter de terror e pela *fantástica* inteligência artificial dos soldados".Bom Fabio eu não joguei as sequencias do primeiro FEAR, mas vc poderia confirmar para mim que se eles melhoraram nesses quesitos que vc afirmou ser o ponto forte do primeiro?Eles conseguiram também eliminar os defeitos do primeiro e do segundo FEAR?Esse é o ponto para saber se F3AR é uma sequencia descente.

breno disse...

Paladino222:Sim a versão goty vem com tudo atualizado,mas sugiro vc dar uma olhada nos mods antes de começar a jogar pra dar uma polida no jogo.Bom, se nada vai te fazer começar do primeiro eu sugiro que vc termine o FO:3 e volte para o primeiro,por que o new vegas funciona como uma continuação do 2,e depois que vc terminar o FO:3 vc não vai aguentar ver tudo de novo em new vegas.

Paladino222 disse...

Blz agora deixa eu seguir o caminho das pedras...

C. Aquino disse...

Galera, os dois primeiros Fallout estão na minha lista de favoritos (http://blog.retinadesgastada.com.br/2008/03/best-top-favoritos-de-todos-os-tempos.html), mas eu tento analisar Fallout 3 como um título isolado, principalmente dada a mudança de perspectiva e a distância do tempo. E algo me diz que vou ter finalmente escrever a análise deles. Há bastante referências à série clássica em FO3 para me deixar entretido e não tacar pedras. Como RPG isolado, ele tem seus momentos e tem suas falhas. Se ele vai conquistar seu lugar no meu pódio ao lado dos outros, é algo que só o tempo de jogatina dirá. Acredito que este vai ser o tipo de jogo cuja análise vai ocupar pelo menos três postagens, como Risen, Gothic 3 ou S.T.A.L.K.E.R.
Lamentavelmente, ontem esbarrei no primeiro bug que me cuspiu de volta para a Área de Trabalho, no meio de um combate. Tanto tempo após seu lançamento, eu não esperava encontrar este tipo de defeito. Ainda não tenho nenhum mod instalado porque quero sentir o jogo como ele foi criado. Então, a culpa do crash é toda dos desenvolvedores. Pelo visto, a Bethesda de Morrowind continua a mesma... mas a jornada continua (espero).

breno disse...

Tude bem aquino! Mas eu acredito que vc pisou na bola ao dizer que o jogo possui caracteristicas,regras e variaveis identicas aos originais,ai o desinformado que ler essa afirmação vai achar que FO3 é apenas uma versão atualizada e com graficos melhores(muitos dos novos fans de fallout só jogaram o 3 e depois ficam dizendo que os detratores olham com nostalgia,o que é uma falacia). Mas e ai,Voce ainda acredita que os fans dos fallouts originais são retardados por criticar o super GOTY que é Fallout 3?As vezes o que mais irrita são os bajuladores que dão nota 10 para somente perceberem seus defeitos depois,coisa tipica de "jornalista de jogos"(justamente quem passou essa ideia de fans imbecis e jogou o hatespeech nos fans com diversos artigos mostrando como FO3 é revolucionario e tal).

José Guilherme Wasner Machado disse...

Olá, Breno. Mudando um pouco de foco, concordo que 1) críticas, desde que bem acompanhadas de ARGUMENTAÇÃO (mesmo que incorreta), são sempre válidas e devem ser respeitadas. Opinião não tem que ser sempre positiva E 2) devemos evitar fazer ataques ad hominem, sem dúvida alguma. Mas, no caso do NMA e do RPG Codex, é difícil não associar uma certa imagem de "hater". Principalmente no caso do RPG Codex.99% das vezes, eles ODEIAM qualquer RPG que seja mais moderno. Quando você odeia praticamente o mundo inteiro, quem está errado? Você ou o mundo? Não me lembro se foi o Matt Barton (Dungeons & Desktops) ou se foi um cara que faz RPGs indie old school (também não lembro o nome), que definiu muito bem o RPG Codex: "são grandes fãs de RPGs, mas odeiam todos eles." :)

Independente dessa questão, o fato é que eles ARGUMENTAM e, como tal, a discussão tem que focar na argumentação colocada. Sejam eles haters ou não. Certíssimo. Mas como estamos aqui entre amigos, batendo papo informalmente, acho que não há necessidade de sermos tão preciosistas, não? Até porque uma seção de comentários não é um fórum. Fica difícil abordar ponto a ponto as longas resenhas desses sites, até por falta de tempo mesmo. De cara, digo que concordo com muito do que eles alegam. Isso só não me impede de me divertir. Guardados, claro, certos limites que todos temos. Ao que tudo indica, os limites deles são muito, mas MUITO mais estreitos do que os meus.

Abração!

Mdesign disse...

Como sempre é um pouco estranho ver uma review actual de um jogo que saiu a muito. Ver Fallout 3 a luz do mercado actual(2011) é muito injusto, principalmente para um jogo que manteve viva a frachise Fallout. Fallout pode estar desactualizado grafivamente, mas na altura em que saiu havia muito poucos jogos que o equiparassem. Para mais a bethesda irá lançar Skyrim em setembro deste ano, dia 11, com uma engine novinha em folha. O aquino nunca jogou Oblivion, (já li o blog de uma ponta a outra e é essa a informação que tenho), mas deveria jogar e ver que desde morrowind (um jogo que adoro) a empresa evoluiu imenso, e nunca se tentou vender, apenas tentam tornar possivel aquilo que todos os fâs de rpgs, sempre sonharam, quando jogavamos rpgs isometricos e não havia mais nada, pensavamos se pudessemos andar num mundo vasto, repleto de segredos e mitologia, sem entraves, aventurarmo-nos no desconhecido?
É disso que se trata a bethesda. Em relação aos rostos, sempre foi um problema da companhia, acertar nas expressões faciais e na animação das personagens, pois passam muito tempo a criar mundos gigantescos e a escrever centenas de quests para os fãs. Tudo indica que skyrim vem com animações muito melhores e expressões faciais crediveis, o que é um passo tremendo para uma das melhores séries de rpgs de sempre. E stalker é muito mais feio, não sei que configuração o Aquino possui, mas no máximo, Fallout é um jogo deslumbrante.

João Luiz disse...

alguns grandes argumentos contra tirados da nma:

"FO3 tem pouquissimas linhas de dialogo, ao contrário dos 2 primeiros" - depois veio alguém e mostrou que não era bem assim, que era quase a mesma coisa, o que levou a outra:

"os diálogos são horríveis" - primeiro não existiam, depois ficaram horríveis...

"acabou o humor negro" - diminuiu, muito, mas não acabou

"tu fica invencível no final" - já falei antes, aconteceu em todos

"não é rpg" - essa sempre aparece, se o gráfico é bom é claro que não pode ser rpg, né... bah, bobagem

"não segue a história, levou o jogo pro outro lado dos eua" - esse é o argumento mais patético de todos, e vi várias vezes reclamação disso. acontece que o cara imaginou uma continuação pros FO1 e 2, daí saiu diferente e ele "não viu e não gostou".

ps. eu tenho 34 anos, joguei os dois primeiros e gostei do 3. não sou novato e quando vi imagens do jogo tive o mesmo chilique do pessoal da nma. depois vi que fui ridículo em julgar algo baseado em lembranças e sem nem mesmo dar uma chance pro jogo.

ps2. tô loco pra ver a resenha do FO3, e, tomara, do 1 e 2 também...

breno disse...

Mdesign:Stalker é mais feio que fallout 3?Eu acredito que stalker é bem melhor em termos de graficos que fo3(exceto expressão facial,mas não da prá negar que fo3 foi um dos titulos que mais se deteriorou por causa dos gráficos) mas tudo bem.Oblivion ja é outra polemica, e tá longe de ser uma revolução também.
Wasner:Talvez eu esteja com preciosismos,mas isso é uma coisa que realmente falta ao jornalismo de jogos não é?falta de senso crítico, conformismo, jornalistas no payroll de produtoras e etc.você não acha que dragon age 2 sofreu o mesmo que FO3(em nome da "acessibilidade" e dos jogadores de COD MW)?A diferença é que como DA:O foi um titulo recente eles acabaram se dando mal.O problema parece que para os novos fans,isso é apenas uma tentativa de demonizar o jogo(um score de 93 no metacritic mostra que boa parte dos "criticos"não estão preparados para descer a mão em problemas obvios que o jogo tem).Agora em relação ao rpg codex,eles realmente tem um grande ceticismo em relação a rpgs recentes!Porem escolher entre o forum ou reviews deles ou o forum UOL jogos por exemplo eu prefiro BEM MAIS o rpg codex.Ja leste aquele artigo do NMA glittering gems of hatred?
Aquino:
Não tinha percebi esse trecho que vc menciona a criança,mas acredito que vc vai perceber que está aclamando uma das grandes cagadas da bethesda(a não ser que esteja usando mods,claro)!Pra ser cincero, as crianças dos primeiros fallouts são mais memoráveis de uma forma orgânica(pelo fato de eles parecerem crianças e não serem seres imortais).Ainda lembro dos bastardos tentando roubar meu personagem...

breno disse...

JOÃO LUIZ:comunidades de fans não são uma consiencia unica onde cada um vai mostrar seu ponto de vista de maneira coerente.lá vc vai sempre encontrar trools,spammers,etc. como em qualquer lugar.Agora essa questão que o personagem fica invencivel no final de todos os jogos é pura bobagem.por mais que o combate deles seja mal balanceado vc não fica invencivel simplesmente subindo de nivel(ou tu vai me dizer que o personagem fica com 10 em todos os atributos e todas as skills no maximo,so se a pessoa usar um hex editor).Outro argumento que eu não consigo entender,é aquele que aponta os defeitos dos primeiros FO como se fosse uma justificativa para a bethesda errar também,ao invês de procurar melhorar o jogo nas suas caracteristicas de rpg(não que essa fosse a intensão deles).

Douglas disse...

Caramba Aquino! Que materia polemica vc escreveu. xD

Bom, ja q o povo ta decendo brasa, vou colocar um pouco mais de lenha. FO3 regrediu demais no sistema de reputação (corrigido no New Vegas), falta ambiguidade moral e a IA é horrivel, parece feita pra jogos pré-half-life 1. A perda dos combates em turno não é o problema, o problema é a perda dos combates taticos em si!

E ja q o povo citou Stalker, sim, Stalker é um jogo feio, pesado, graficamente rigido, mas com personalidade, iluminação e uma atmosfera unica. Os modelos rigidos não são em nenhum momento um fardo que atrapalha a imersão e as outtras qualidades, como a IA. Pra mim, Stalker é o extremo oposto do Fallout 3, e esta entre meus favoritos.

João Luiz disse...

breno:

nos 2 primeiros, quando tu chega no nível 20 mais ou menos, tu vira uma máquina imortal e só morre se ratear muito. se ratear pouco, mata quase tudo sem problema. não importa se o special vai até 10 ou não, se as skills estão em 200 ou não, o que acontece é que se tu subiu até níveis altos sabe que o personagem vira um super-homem, igual no FO3.

isso, aliás, não é defeito, vide a cagada que o oblivion vanilla fez quando tentou consertar, fazendo tudo subir de nível. prefiro virar super-homem adiante no jogo que passar perrengue pra matar um mendigo...

os defeitos dos primeiros não servem de justificativa pra bethesda, pelo contrário. agora, o que os fanboys fazem é dizer que o 3 tem mil e um defeitos, enquantos os 2 primeiros são quase perfeitos, o que passa longe da verdade. mesmo quando admitem os problemas dos 2 primeiros, fazem quase que por obrigação.

vide o FO2, o jogo mais bugado que joguei até o fim. várias quests sem fim, várias coisas sem sentido (porque o lançamento foi apressado e não deram o acabamento necessário pra ele).

por que não aceitar que o 3 é bom? por birra? os 2 primeiros são ótimos, ninguém diz o contrário, não é questão de gostar de um e menosprezar os outros..

e a comparação com o DA2 não serve, porque: 1) o DA:O foi lançado 2 anos antes, ainda estava fresco na memória e foi um sucesso (ao contrário dos FO1 e 2, lançados quase 10 anos antes e nunca foram um sucesso de vendas); 2) DA:O era o baldur's gate redivivo. DA2 vem e acaba com isso, virando um action rpg (FO3 não faz isso, moderniza uma série antiga, goste-se do resultado ou não); 3) DA:2 acaba com a customização que tinha o DA:O (no FO3 isso não acontece, perde-se os traits mas ainda dá pra variar bastante o personagem).

finalizando, FO3 tem problemas? muitos. FO3 é um lixo, como diz o nma? não, nem de longe. quais os problemas dele? esperemos a resenha do aquino e os comentários, que ali com certeza tudo será esclarecido...

breno disse...

João Luiz:Ai está a questão que eu tenho falado.As duas abordagens que aparentemente existe em FO3(ou vc ama,fechando os olhos para todos os defeitos dos jogos e os que odeiam,fechando os olhos para todas as boas caracteristicas que o jogo possa ter)são falhas.Mas nem por isso eu vou fazer vista grossa se o pessoal não gostar do jogo,afinal e o gosto de cada um.Mas ainda assim eu concordo com eles na afirmação que fallout 3 não é uma boa sequencia(de acordo com o review original deles)pelo fato de eles não superarem os antecessores em relação as suas mecanicas ou um rebalanceamento das novas mecanicas(talvez a unica mecanica que eles melhoraram seja a acessibilidade,pois qualquer rpg contemporaneo pode ser completado sem muito esforço).Voce acha que eles superaram em algun aspecto os f1 e f2?
p.s. a resenha de aquino não vai ser definitiva para todos,mas tambem não deixa de ser valida.

João Luiz disse...

breno:

o 3 superou os primeiros em:
- gráficos (dã... quis dizer comparando com a época em que saíram);
- imersão (desculpe, mas imersão naqueles jogos só pra quem jogou eles na época, os dois não envelheceram bem);
- jogabilidade (graças a modernidade, mas enfim, evoluiu...);
- exploração (conectado com a imersão. FO3 é enorme e tem muita coisa "paralela" pra fazer. ler os computadores é quase um jogo à parte, descobrir lugares escondidos, enfim, fuçar vale a pena e o jogo recompensa isso.)
- o "mundo" (a recriação da capital wasteland tá muito legal. a capital devastada é muito legal de explorar e o jogo transmite uma sensação de vazio e depressão condizentes com um pós-guerra nuclear. nos primeiros, até por limitações, isso não era possível).

enfim, por ora é isso. as vantagens dos primeiros nem preciso falar, história e npcs. não é por nada que eles são dois dos melhores rpgs da história e tem tanto fanboy (ou melhor, fan-old) por aí...

falow!

breno disse...

João:
Graficos:eu prefiro os graficos em 2d em relação aos graficos 3d com texturas pobres e npcs feiosos de f3(mas isso é uma questão de gosto).A direção artistica dos primeiros tambem acho melhor(em f3 ta tudo muito exagerado ao meu ver)

Imersão:não sei quanto a vc mas eu me senti bem imerso nos primeiros fallouts(em especial o 1) e olha que eu joguei eles na mesma epoca que f3.quanto a jogos contemporaneos como Stalker,fallout 3 perde nessa questão, mas ele tem seus momentos.

exploração:novamente perde para os primeiros,em minha opinião.f3 tem quantidade mas a qualidade não balancea bem(vc encontra muitos lugares iguais).Eu to até jogando um jogo de rpg de 1993(betrayal at krondor)e acho que este ainda tem melhor exploração que f3.

interface,sistema de batalha,skill-checks:Eles mudaram o sistema special para fazer com que qualquer build de personagem consiga ganhar o jogo,isso pra mim é retrocesso.também vamos encontrar menos skill-checks,npcs imortais(todas as crianças e alguns adultos) e mais linearidade que os originais(retrocesso mais uma vez).
O mundo:nesse caso se encontram todas as falhas de coesão e buracos no roteiro,onde a bethesda exagerou(o fallout 2 também é vitima disso em parte).vc tem computadores funcionando em tudo que é predio abandonado,agua encanada,etc,etc..sem contar alguns dialogos fracos.

João Luiz disse...

breno:

a questão dos gráficos eu parei aqui. FO1 e 2 têm gráficos péssimos. e as texturas do FO3 não são ruins, mas enfim... e os npcs dos 2 primeiros são melhores devidos à "vida" deles, não os gráficos...

eu não me senti nada imerso nos primeiros jogos. gráfico conta muito pra isso, é impossível dissociar imersão e gráfico. eu não sou oriundo de rpg de mesa, talvez seja esse o problema, mas com aqueles gráficos toscos não dá pra ter imersão.

sobre a exploração: TODOS os lugares dos 2 primeiros são iguais, quase nada muda! sim, no 3 tem muitos lugares repetidos (a la oblivion) mas nem se compara com os 2 primeiros. e a quantidade de locais diferentes está coerente com o cenário, afinal o que mais se repete são as estações de trem, assim como as casas e prédios, que são parecidas entre si, o que condiz com a realidade. ou não?

quanto lineariedade, discordo. dá pra cortar grande parte das quests e avançar muito no jogo, além de algumas das quests terem várias soluções. ele é mais linear na main quest, mas tá longe de ser um jogo linear.

os diálogos quase todos são fracos, isso ninguém discorda. mas sobre os computadores, se tu notar eles sempre dão um jeito de estarem ligados a alguma bateria. e ademais, grande coisa, isso é um jogo. nos dois primeiros não tinha comida e nuka cola? e o carro do FO2? tão tosco quanto o que colocou...

e quais são as falhas de coesão? o cenário é muito bem feito, sempre o jogo tenta dar um ar de realidade pro que tu vê, eu não entendi isso que tu colocou.

crianças não podiam ser mortas sem um patch no 2, lembra disso. se bobear, deve ter um mod permitindo isso no 3 (nunca procurei).

e achei ótimo todas as builds poderem terminar o jogo. assim, dá pra jogar várias vezes de maneira diferente, sem se preocupar em descobrir, tardiamente, que tu criou uma bosta de personagem e não consegue avançar.

eu joguei betrayal, e se não estou enganado ele gera grande parte do mapa aleatoriamente. portanto, nem dá pra comparar com o trabalho feito no FO3, que criou todo um mundo pra explorar.

Paladino222 disse...

Jogo polêmico com certeza e também um divisor de águas...

Valber disse...

Joao Luiz, vc afirmou que a jogabilidade de fallout 3 evoluiu em relação aos dois primeiros jogos. Isso é MUITO questionável. Claro, ja vi sistemas de combates por turnos muito melhores que o de fallout. O combate por turnos de Fallout nao era a oitava maravilha do mundo, mas o sistema de evolução (SPECIAL) era um excelente complemento e fazia com que cada skill, stats ou perk alterasse drasticamente a maneira como se jogava. Vc nao sente esse mesmo impacto em Fallout 3, pois apesar de suas quests e NPCs, a Bethesda resolveu focar na exploração dos cenários (ruínas, estações de metrô, ad infinitum), em que vc passa a maior parte do tempo matando tudo o que vê pela frente (e Aquino vai perceber isso mais pra frente).Tem hora que da ate pena dos ghouls :(.

E falar que todos os lugares sao iguais em Fallout 1 e 2?? Nao me refiro so ao lado físico dos cenários, mas às diversas situações e problemas que vc encontra em cada local (varias cidades) que vc visita. Em falout 3 vc tem as belíssimas ruinas de Washington, mas o que vc encontra? Mutantes pra matar, a cada passo que vc dá. Essa foi minha maior decepção com relação ao 3. A bethesda deveria ter aproveitado esse cenario belissimo e ter adicionado mais variedade de situações, ao inves do típico mata mata. Por esse motivo, eu idenfiquei Fallout 3 mais com Diablo do que com os outros jogos.

Em fallout 3, o foco maior é nas habilidades de combate, apesar das outras habilidade em que vc pode investir (que nao tem tanto impacto). Acho que o New Vegas balanceou isso bem melhor(as outras skills se tornam quase tao importantes ao longo do jogo quanto as de combate). O que quase desgraça New vegas sao os bugs e crashs.

Deixando a crítica de lado, eu consegui gostar bastante de fallout 3, apesar dessas decepções (e tem que ver que o estilo da Bethesda é diferente). E assim como existem os fãs "xiitas" dos dois primeiros jogos, os fãs de Fallout 3 poderiam perceber que muitas críticas sao válidas, sem fazer com que o jogo perca suas qualidades.

breno disse...

Valber:De fato eu tenho mais receio dos fans de FO3(sem ofensas joao luiz),pelo fato destes serem os novos jornalistas que geralmente não tem nenhum censo critico do que escrevem.

JOÃO LUIZ:
Na minha opinião Gráficos 2d envelhecem melhor que gráficos 3d,agora o que me impressiona é esse fenômeno de achar que tudo que é imersivo tem que ser em primeira pessoa ou ter gráficos fotorrealistas(super metroid é bem imersivo, assim como quake 1,castlevania,etc..).Não da pra entender...

Quanto a betrayal at krondor ele não gera o mapa aleatoriamente e só usei ele como exemplo de como ele usa bem a exploração(ele também é visto por muitos como um dos rpgs mais bem escritos até hoje,e eu pude constatar isso também). Quanto aos lugares de fallout 1 e 2 serem repetidos,eu sugiro vc rejogalos pra ver que não é bem assim(eu ainda me lembro bem de muitas cidades que eu visitei,como the hub,junktown,dungeons interessantes como the glow,etc.).

Quanto a linearidade,fo3 não é linear,eu sei disso,mas também não é tão não-linear quanto os primeiros fallouts(vc sabia que vc pode evitar completamente o combate em f1?será que vc pode fazer isso em f3?)?Cade a evolução nesses aspectos?

Quanto as crianças imortais, o problema foi que o jogo foi censurado em alguns países (cortando completamente as crianças do jogo,ou seja culpa da sociedade hipócrita).Não foi o caso de f3,pois nesse em todas as versões os pivetes são deuses e mesmo tirando eles de consideração o jogo ainda tem muitos npcs imortais.O fato de mods poderem melhorar o jogo não da creditos para bethesda.

JOÃO LUIZ escreveu:
"grande coisa, isso é um jogo. nos dois primeiros não tinha comida e nuka cola?"-bom eles pelo menos simulavam que tavam reconstruindo o mundo,enquanto no 3 fallout que se passa depois dos dois primeiros o jogo aparenta que as bombas acabaram de explodir. parte onde vc fala que isso é um jogo e a chave para entender a nossa industria de entretenimento,que premia os filmes de transformers(representados pelos CODs da vida e em parte pelo FO3)e a serie twilight(jogos recentes da bioware)com notas 10!!!e jogos cerebrais como pathologic,vampire:bloodlines são geralmente ignorados.

Quanto as builds,vc faz parte do grupo de pessoas que preferem não ter dificuldades no jogo,serem guiadas pelos compassos magicos e não ser punido pelas escolhas erradas que vc fez na criação do personagem(ou seja, pessoas que não curtem rpgs).Eu não vejo nada de errado nisso,muitos vão achar f3 o mais divertido,mas consequentemente será o que usa menos elementos de rpg.É por isso que eu entendo a birra dos fans antigos,pois eles querem uma sequencia com mais rpg e em troca ganham uma sequencia com mais ação.

Aquino senti sua falta no debate (pelo menos vc pode falar dos primeiros fo)e tambem seu amigo fabio ficou ausente para responder meus questionamentos.Desculpa se eu peguei um pouco pesado contigo no inicio da sessão de comentarios mas vc também tem que afirmar as coisas com mais propriedade,senão não faz sentido criticar a EGW ou a globo pelas merdas que eles publicam. Até mais!

C. Aquino disse...

Ontem eu completei oito horas de jogatina em Fallout 3. Para um título que tranquilamente vai me tomar 100 horas (incluindo os DLCs), eu acho que 8% ainda é cedo para tomar uma posição definitiva. Mas percebo que Fallout 3 não é tão ruim quanto seus detratores alardeam. Mas também não é tão maravilhoso quanto seus fãs defendem. Faltando 92% de jogo, a balança pode se alterar. Por outro lado, com 8% de jogo eu já sentia que o primeiro Fallout iria me conquistar. Para os próximos dias a tão adiada resenha de Fallout 1 deve sair. Sobre a capacidade de imersão, ela é uma via de mão dupla: depende do jogo e do jogador. Você pode jogar Amnesia, por exemplo, com a TV ligada ou junto com os amigos. Vai ser diferente de quem joga no escuro com fone de ouvido. Eu acho que imersão não depende de perspectiva, primeira pessoa, terceira pessoa, isométrica ou não. Vai depender da disposição da pessoa de mergulhar e da capacidade do jogo de criar uma atmosfera desde os mínimos detalhes. Nesse ponto, tanto Fallout quanto Fallout 3 me envolveram (ainda que este último tome umas decisões técnicas que me irritam e a trama demore para engrenar). Reconheço que alguns clássicos do passado não tem o mesmo poder de captura diante da nova geração, sejam livros, jogos ou filmes. É um fenômeno involuntário e incontornável em alguns casos. Soube disso no momento em que desisti do primeiro Might and Magic.
Finalmente, não vi nenhum jornalista moderno entrando na discussão por aqui (o que é uma pena, diga-se de passagem). Eu vi fãs de RPG, cada um deles defendendo sua opinião com civilidade e argumentos, algo raro na internet. Com tantos comentários, esta é a postagem mais debatida do blog. Fico feliz por ter sido em relação à franquia Fallout e não em relação ao muito mais popular Resident Evil 4, que eu não curti. Tenho certeza de que muita água ainda vai rolar embaixo dessa ponte, pois continuarei relatando minha experiência com Fallout 3 e em breve publicarei resenhas dos anteriores.

breno disse...

Vou colocar aqui comida para o cerebro:
http://www.rockpapershotgun.com/2008/08/20/fallout-3-falls-in/
Aqui Alec Meer chama os fans de "angries".
http://www.destructoid.com/videogame-fans-need-to-shut-up-about-everything-164476.phtml
Aqui o arroz de festa Jim sterling interpreta totalmente errado o review de Vince D. do NMA e vem a falar que os fans não tem senso critico.
http://jogos.uol.com.br/playstation3/analises/fallout3.jhtm
review que diz que o jogo ficou com mais liberdade ainda,para ele os problemas do jogo são pequenos probleminhas tecnicos.Infelizmente ele não se aprofunda muito nas mecanicas e outras propriedades do jogo como no review de 3 paginas do NMA.

Para terminar tem esse link do NMA
http://www.nma-fallout.com/article.php?id=37708
vou ler ele agora!
Então a questão que fica no ar é?devemos ignorar a base de fans original ou devemos ignorar os jornalistas inexperientes?

João Luiz disse...

breno:

um dos maiores problemas do FO3 (que eu sei que tem problemas, ao contrários dos fanboys do 1 e do 2) é essa história do jogo se passar 200 anos depois da guerra mas parecer que isso aconteceu semana passada. isso acontece direto e realmente estraga o jogo em vários aspectos, mas nada que transforme ele numa porcaria.

gráficos 2d envelhecem bem? da onde? me acha mais 5 pessoas que acham isso. acontece que tem gente que parou em 1997 e de lá pra cá tudo é ruim. ora, o gráfico do Fo3 é muito bom, tem coisa melhor sim, mas me diz um rpg da época que tenha gráficos tão melhores assim. DA:O veio depois e o gráfico é bem meia boca, só pra ficar em um exemplo.

sobre as builds: se tu não me conhece, não diz besteira. quem disse que eu gosto de jogo fácil? o que eu não gosto é depois de 40 horas jogando descobrir que não dá pra acabar o jogo porque o personagem foi mal construído. e o jogo deve permitir que termine ele com qualquer build, senão pra que ter a possibilidade de customização? pra ficar jogando e começando até engrenar? e se eu encher o saco e desistir, sabendo que só com a build "X" eu posso acabar? tu acha isso realmente bom?

lembrando que o melhor rpg feito (BG2) permite acabar com qualquer build, algumas com mais dificuldades que outras, coisa que nos 2 primeiros FO não acontece, segundo tu mesmo. isso é bom, tem certeza?

e para de achar que eu sou jornalista que classifica jogo pelo hype! ataca meus argumentos, não a pré-concepção que tem de mim (como fanboy do FO3).

e eu sou jogador velho e conheço bem a "raça": resmungam de tudo, antigamente o mundo era melhor, msx foi a melhor coisa da história, etc, etc. fazer FO3 seguindo a risca o 1 e o 2 seria um risco grande comercialmente, e combate por turnos, por favor, foi legal mas não funciona em todos os jogos, em especial com visão 3d.

aquino:

desculpa alongar, e tô loco pela resenha do Fo1 e do 2. FO1 é, na minha opinião, o terceiro melhor jogo que joguei (perde só pro BG2 e pro planescape:torment).

abraços!

breno disse...

João:
Sobre graficos 2d:
outro exemplo de jogo com bons graficos 2d é o proprio baldurs gate(que envelheceu bem melhor que seu sucessor neverwinter nights e atualmente seu "sucessor espiritual" Dragon Age:Origins(que apenas conseguiu expandir o escopo de escolha,perdendo em todas as outras caracteristicas)).Direção artistica conta muito também para a beleza de um jogo(ainda bem que eu posso jogar jogos recentes e antigos sem me importar com essas questões).
Agora em que momento eu disse que vc é jornalista?o que eu realmente queria dizer com as builds de personagem é que vc praticamente joga da mesma forma em fo3,se vc quiser jogar um jogador burro por exemplo,o fo3 não te da essa opção(ao contrario do que vc falou que fo3 te da mais opções de jogo,mais uma vez eu pergunto pra onde foi a ambição de fallout na sua sequencia??).Desculpe se te ofendi,mas foi a impressão que tu me destes(qualquer rpg recente é 10 vezes mais facil que os antigos,e se vc prefere eles assim,tudo bem,mas nem todos tem a sua opinião).

João Luiz escreveu:
"lembrando que o melhor rpg feito (BG2) permite acabar com qualquer build, algumas com mais dificuldades que outras, coisa que nos 2 primeiros FO não acontece, segundo tu mesmo. isso é bom, tem certeza?"
Segundo a concepção de um rpg, isso é bom sim,embora para o jogador possa ser frustrante.

Quanto a questão do risco comercial:esse é o paradigma da industria atual.Antigamente se faziam jogos que desafiassem o jogador,hoje fazem jogos para as pessoas mais retardados possiveis.

Agora o que me incomoda é o excesso de ad hominem contra os sites de rpg, e na hora de contra-argumentar suas opiniões,ficam dizendo que eles só fazem odiar o fo3.Quero ver alguem contra argumentar em detalhes o review do NMA ou seus artigos(nem faz graça comparar o review deles com o site da UOL jogos por exemplo,que passa um olhar superficial em todo o jogo).

Aquino da uma olhada tambem no artigo deles,glittering gems of hatred,que da uma bom insight do processo de produção de fallout 3 até ele chegar a ser o que é.

João Luiz disse...

BG envelheceu melhor que FO porque SEMPRE teve gráficos melhores, fato. eu nunca disse que BG envelheceu mal.

o NWN nunca teve gráfico top, e realmente, além de ser murrinha, tem gráficos extremamente datados.

e geralmente jogos inovadores envelhecem mal graficamente. starfox, virtua fighter, nwn, etc. tentaram colocar no jogo uma "realidade" impossível de ser conseguida pela limitação da época, então pagam o preço de hoje terem seus gráficos datados.

já jogos mais conservadores, que jogam na retranca, são mais palatáveis com o passar do tempo.

sobre os jogos novos serem mais fáceis, não acho. eles são mais fáceis de se dominar, tem uma curva de aprendizado menor, mas isso não quer dizer que são mais fáceis.

joga o risen, pex. fooooda... e é novo.

acontece que muito jogo velho era dificíl porque se tinha dificuldade de manuseio, me explico, menus ruins de acessar, dificuldade em usar magia (morrowind, hello?), uso de "truques" pra se matar alguns inimigos, além de outras coisas. muitas vezes, a sensação de dificuldade era aumentada pela dificuldade de execução que o jogo impunha.

quer um exemplo? morrowind e oblivion. morrowind tem menus toscos (isso que nem é tão velho assim) ao passo que oblivion é mais user friendly. esse menu acaba dificultando a vida de jogadores mais novos, que não tem essa dificuldade no oblivion, dando uma sensação falsa de dificuldade. só que morrowind é fácil demais, passa um tempo e vira um mero jogo de turismo, já o oblivion (na versão vanilla) não, porque tem a maldita evolução de tudo junto com teu personagem.

e a parte comercial é muito importante. vide a black isle, responsável pelos melhores rpgs da história, e que faliu. imagina se as outras empresas pensassem assim? também acho que a qualidade podia ser maior, mas não dá pra condenar quem quer ganhar dinheiro com jogos. e sim, dá pra unir as duas coisas (qualidade + vendas) como DA:O mostrou.

mas eu noto em ti birra contra o FO3. ele tem muitos defeitos, mas vários que tu citou são apenas coisas pessoais, nada técnico. pensa nisso. e sobre problemas técnicos no FO3, vamos deixar a memória seletiva de lado, FO2 é simplesmente o jogo mais bugado da história, tem quests inacabadas, vários erros de sequência, que os fanboys fazem de conta que não tem nada de mais, mas quando criticam FO3 sempre usam esse argumento...

ps. eu nunca leio review de jogo, com exceção desse site aqui. então, uol, baixaki, ign, etc, podem falar o que quiserem. e o nma também, porque deles só vem lamúria (bua, bua, van buren é que deveria ser o FO3, quero a mamadeira agora, mãe!!!)

abraços

Breno disse...

João:Mas ai vc provou que eu to certo!Baldurs Gate é mais antigo que Neverwinter nights e DA:O e ainda assim é mais antigo que ambos!!
Agora Vc não lé a opinião deles e depois fica chamando eles de fanboys?essa eu fico sem entender!A questão foi mostrar como a midia de jogos ve os fans de fallout e como eles analisam os jogos de forma geral(dica:de maneira bem superficial,tão superficial que vc até desconfia)!Ja disse e repito!eu olho com meus olhares nostalgicos tanto para f1 e f2,quanto para f3(joguei os tres na mesma época).Mas ai eu não quero ficar repetindo que f3 tem problemas(so nesse caso é questão pessoal?),e vc lembrando que os primeiros também tem(o que é verdade).Desse jeito a gente vai ficar sempre andando em circulos.
Sobre risen:eu vou ver se jogo um dia,mas só depois de jogar os gothics(com excessão de arcania,e claro)!

breno disse...

Correção Baldurs Gate é mais antigo que neverwinter e DA:O,mas mesmo assim seus graficos são mais palataveis!

João Luiz disse...

DA:O tem gráficos melhores que BG, eu disse que ele tem gráficos ruins comparados com seus contemporâneos.

NWN é antigo também, 2001, 2002. então, dá pra comparar BG2 e nwn.

e eu leio a OPINIÃO deles, não reviews. leio o fórum, as críticas, artigos, etc. de onde tu acha que eu tirei as críticas que fiz a eles, senão do próprio site nma? eu não inventei, li lá mesmo...

e se tu gosta mais de jogo antigo (que parece mesmo ser o teu estilo) por que tu ainda tenta jogar jogo novo? pra criticar? eu gosto de jogo velho e novo, ainda bem, o que aumenta a gama de jogos disponíveis (apesar que, do ponto de vista da vida social, eu preferia nem gostar de jogar...)

breno disse...

João:
A algum problema em criticar jogos?O tema que eu sempre bati a tecla foi o senso acritico que muitas pessoas tem.O que acaba me incomodando mais são os que aclamam demais o jogo,pois isso leva aos desenvolvedores menos ambição na criação de jogos.Vc mesmo que falou mal de Oblivion,vai dar uma olhadinha no metacritic dele,pra ver se a nota condiz com o que vc experimentou.E como falou um dos veteranos do NMA,os jornalistas de jogos só enchergaram os defeitos de Oblivion um ano depois,quando estavam vendo os previews de fallout 3!

João Luiz disse...

a nota do oblivion condiz com o metacritic, ele é muito bom mesmo. mas tem defeitos, qual jogo não tem?

criticar jogos não tem problemas, SÓ criticar sim. e apresentar como defeitos argumentos pessoais (eu não gostei disso, não gostei daquilo) servem pra ressaltar, e não pra embasar crítica. pelo menos , eu acho isso...

ps. "veterano do nma" é redundância, igual subir pra cima e descer pra baixo... e, como sempre, eles tão criticando FO3 e tudo mais que não o 1, o 2, e o van buren (esses caras são a vitrola mais quebrada da internet, qualquer dia a bethesda vai sofrer um atentado terrorista de gente fantasiado de "the master"...)

João Luiz disse...

edit: ... QUE DEVERIAM SERVIR para embasar....

Breno disse...

Defeitos estes que quase todos os reviews ignoram?para depois dizerem "como era defeituoso jogo x,no jogo y eles melhoraram tudo"!!pelo menos esses erros factuais eu não encontrei no review oficial do nma(o cara é meio sarcastico as vezes,mas o review é justo na classificação de fallout 3:um arpg descente,com escolhas,skill-checks,porém,com um nivel abaixo dos anteriores..).Agora novamente vc vem com esse papo de que só tem assholes no nma.Pó cara,isso tem em qualquer lugar,assim como tem posters descentes.O que vc acha que tem mais influencia sobre a industria:jornalistas do exemplo acima,que geralmente funcionam como marketeiros das produtoras(eu posso até ter exagerado um pouco nessa questão,mas que existe,existe)ou uma comunidade de fans que cresceu jogando rpgs?
P.s:o metascore de oblivion é de 94 para pc,xbox e ps3,enquanto que o user score do metacritic para o mesmo é de 7.7,8.8 e 7.8 respectivamente.Quer dizer, os consumidores tem olhar mais critico do que os proprios criticos!what a shame...

João Luiz disse...

tem "consumidor" no metacritic que dá nota 0 ou 1. e tem os que dão 10 e 10. portanto, se vê o quão confiável a opinião dos "consumidores" é.

tem jornalista, caso tu não saiba, que RECEBE das empresas pra falar bem de jogo, até mesmo sem ter jogado a porcaria. por isso não leio reviews, a não ser muito raramente, porque não sei se o cara tá ali de boa ou no suborno.

tem gente boa no nma, sim. mas a maioria é rancorosa e acha que o mundo parou em 97. é só clicar e ler, se duvida. e o review é justo porque tu concorda com ele, se ele dissesse que o jogo era bom tu ia achar ruim. tô errado?

breno disse...

Se ele dissesse que gostou do jogo,apesar dos seus defeitos(foi quase isso que ele disse),eu concordaria com a opinião dele,assim como eu respeito a sua opinião por fallout 3(apesar do jogo não ser tão ambicioso quanto os primeiros,fato esse que vc não da imporrtancia). Quanto ao primeiro ponto,vc pode perceber que na maioria dos jogos a media do user score é sempre mais baixa que a media dos "criticos"(fato este que indica que eles vem os problemas que os criticos que formam a cabeça deles ignoram).Portanto, os que mais dão notas 9 e 10 são os ditos "criticos"!E como eu falei,eu me importo menos com criticas negativas infundadas(são ruins realmente,mas a frequencia e menor). Agora do pouco que eu naveguei no NMA eu achei o pessoal lá até civilizado,e ironicamente quem parecia um pouco exaltado lá era os novos fans de fallout 3!
Quanto a parte dos jornalistas que vc falou,bem não sei se vc prestou atençao nos meus posts,essa é a tecla que eu venho batendo desde o começo!

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino | Seja um patrono!

My Playstation WallpapersXbox WallpapersPC Game Wallpapers

Regalia