Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamTwitterCanal no YouTubeRSS

23 de maio de 2019

Fallout no Papel

Fallout RPG

Em 2003, Fallout 3 foi cancelado. Não aquele Fallout 3. Mas o terceiro título desenvolvido por seus criadores originais e produzido pela Interplay. A falência da produtora levou a marca para a Bethesda, mas essa é uma história que você já conhece agora.

Entretanto, antes do mítico projeto Van Buren ter uma única tela concebida ou uma linha de código escrita, o jogo já existia na forma de um RPG de mesa que apenas um punhado de privilegiados teve a oportunidade de conhecer. O mérito da mente incansável coube a Chris Avellone, que também foi o responsável por Fallout 2, Planescape: Torment e Icewind Dale 1 e 2 em um período efervescente de apenas cinco anos que mudou a face do RPG no computador.

Encerrado o ciclo de desenvolvimento do segundo Fallout,  Avellone estava disposto a começar o terceiro. Infelizmente, foi informado da falta de recursos da Interplay, que apenas deu carta branca para o projeto. Sozinho, sem capital, o desenvolvedor fez a única coisa que poderia fazer para criar um protótipo de jogo: escreveu no papel. Ainda assim, um gênio compulsivo do seu calibre não se limitaria a preencher cadernos e Avellone produziu um RPG completo e funcional de como seria o seu Fallout 3.

Ele convocou outros profissionais do estúdio Black Isle para participarem das sessões. O material era extremamente detalhado. Como ele mesmo explicou para a Eurogamer, "para cada área, eu escrevi um módulo à respeito, incluindo a documentação de design de arte, arte referencial para os personagens, artes referenciais para as principais paisagens e locações. Então, basicamente cada seção do jogo de caneta e papel que os jogadores atravessavam se tornou um documento de design de área".

Avellone

Avellone e seu "pequeno" livro de RPG.

Além disso, o mestre de jogo estava trabalhando com dois times simultaneamente, sem que os jogadores soubessem. Avellone testava assim um conceito que deseja inserir no terceiro jogo da franquia: enquanto o jogador controlava uma equipe, haveria em paralelo uma equipe rival com objetivos similares e suas ações afetavam uma à outra.

Os planos de Avellone iam além: conduzir dois times diferentes na mesa permitia que o desenvolvedor tivesse acesso a uma gama maior de personagens que poderiam ser incorporados ao jogo, assim como diversos estilos de abordagens que precisariam ser levados em consideração na hora de criar as missões para Van Buren.

Quando a Interplay finalmente decidiu se arriscar no projeto, o caminho já estava aberto.

Denver - Fallout RPG

Parte do módulo de Denver no RPG.

Muitas das ideias daquele RPG de papel permanecem inéditas na franquia até hoje. Naquela versão de Fallout 3, o jogador poderia escolher entre ser um humano, um ghoul ou um super-mutante, abrindo diferentes características, vantagens e desvantagens de outras raças que são terreno inexplorado.

A habilidade Speech, na visão de Avellone, iria muito além de uma opção extra no menu dos diálogos. Com essa perícia desenvolvida, o jogador teria acesso a detalhes adicionais de seu interlocutor, o que lhe permitiria navegar de forma mais consciente pela conversação, antecipando resultados. Essa mecânica pode ser vista em Alpha Protocol, da mesma Obsidian que o desenvolvedor ajudou a fundar.

O próprio Pip Boy, icônico na série, teria um papel mais importante em Van Buren. Com módulos sendo adicionados ou desbloqueados, ele se tornaria uma ferramenta para o jogador e não apenas uma metáfora para menus.

O projeto Van Buren acabaria sendo cancelado, mas o RPG de papel de Avellone encontraria uma nova chance anos depois, quando sua Obsidian assumiria o desenvolvimento de Fallout: New Vegas. Cenários e personagens que antes estavam presos em brochuras e na imaginação de seus jogadores agora poderiam ser oferecidos ao mundo.

Do papel, vieram a Represa Hoover, o centro de pesquisas do DLC Old World Blues, a Legião de César e o Burned Man, ainda que com algumas adaptações. Tramas inteiras sobreviveram intactas à transposição, como a loucura dos Nightkin, afetados pelo uso excessivo de Stealth Boys. Father Elijah, o antagonista da expansão Dead Money, também veio daquelas sessões de RPG.

Father Elijah

Josh Sawyer, designer chefe do extinto Van Buren e outro fundador da Obsidian, interpretou dois personagens naquelas mesas do passado: Arcade Gannon e Jean-Baptiste Cutting. Os dois se tornariam NPCs importantes de New Vegas.

Os dados podem ter caído errado para Van Buren, mas a mente inquieta de Avellone não permaneceu nas sombras e os fãs agradecem. Atualmente, ele parece estar prestes a vivenciar outra explosão de projetos e está envolvido como escritor ou consultor no desenvolvimento de Star Wars Jedi: Fallen Order, o remake de System Shock, Vampire: The Masquerade - Bloodlines 2 e Dying Light 2.

Ouvindo: The Beatles - Bad to Me (demo)
Seu apoio é muito importante! Ajude esse blog a crescer! Patreon

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino | Seja um patrono!

Enslaved