Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamTwitterRSS

20 de outubro de 2011

Contos da Cripta

Panada Um jogador de Fallout 3 comete o erro de matar Panada, a única comerciante disponível no DLC Point Lookout. Movido pela ganância, ele pega todos o dinheiro de seu cadáver caído e volta para o cenário principal do jogo. Ao chegar nas Terras Devastadas ao redor de Washington, ele não encontra mais viva alma. Rivet City, desprovida de habitantes, é uma paisagem lúgubre. Absolutamente nenhum NPC pode ser encontrado. Ninguém em Megaton. Ninguém em Tenpenny Tower. Ninguém na Citadel. Confuso, ele decide retornar a Point Lookout para verificar se o estranho desaparecimento também aconteceu por aquelas bandas. Mas não há ninguém tomando conta do barco. Ao sair da cabine, ele se depara com a cena bizarra: centenas de habitantes do jogo avançam em direção ao barco querendo vingança, lançando granadas, disparando mísseis. Cada um dos NPCs desaparecidos está lá e hostil. Encurralado, em clara desvantagem tática, ele recua de volta para a cabine do barco, onde é feito em pedaços por um projétil de FatMan. O jogo congela e reinicia sozinho. De volta ao momento anterior à morte de Panada, a misteriosa cigana vendedora do parque abandonado de Point Lookout.

Serial Killer Um defeito no Playstation 2 travou o GTA: San Andreas de outro jogador à região de Tierra Robada. Qualquer tentativa de sair provocava a morte do protagonista CJ na mão dos policiais. Em um dos reinícios, CJ reapareceu sozinho no cenário, exceto por um único pedestre. Usando roupas de faroeste e usando chapéu preto, o pedestre balbuciava coisas incompreensíveis para si mesmo e seguiu a pé até Bone County. Movido pela curiosidade, o jogador foi atrás. O estranho NPC entrou em um Bobcat e não foi possível roubar o carro. Ao invés disto, CJ entrou no banco do carona e seguiu viagem com o NPC no volante. O que antes era incompreensível, tornou-se mais claro. O homem de preto repetia incessantemente: "em breve, meu amigo, em breve". Quando o carro parou e o estranho saltou, o jogador tentou fugir com o carro. O único NPC do jogo atirou contra os pneus e depois matou CJ. No próximo reinício, os outros pedestres estavam de volta. Assim como o homem do chapéu preto. Ele provocava brigas e atirava a esmo contra os demais NPCs. E repetia: "em breve, meu amigo, em breve". O Playstation 2 desligou sozinho. E  na próxima vez que o jogo iniciou, o homem estava lá, esperando. Ele atirou contra CJ e gritava: "um de nós, um de nós". O sangue que saía na tela era mais realístico do que o convencional. No final, as letras "The End" apareceram escritas em sangue, o jogo reiniciou e o homem de chapéu preto nunca mais foi visto.

Em um servidor de Minecraft, um grupo de quatro amigos usando um mod que permitia voar resolveu testar os limites da estratosfera virtual. Determinados e pacientes, eles atingiram a marca de 65 mil metros de altitude. Um deles resolveu parar a fim de aguardar os outros dois que estavam atrás. O quarto amigo tomou a decisão de não esperar e se adiantou para níveis ainda mais altos. Impetuoso, ele alcançou 70 mil metros, 80 mil metros, 90 mil metros. Seu objetivo era atingir os 100 mil e lá permanecer enquanto os demais não subiam. E foi o que ele fez. A 100 mil metros de altura, completamente sozinho, sobre o mundo gerado proceduralmente do jogo, ele aguardou. Vinte minutos se passaram e nenhum sinal do resto do grupo. Inconformado, ele deu de ombros e prosseguiu para cima. Foi o seu erro final. Apenas dez metros acima daquele limite, o sol desapareceu e o céu tornou-se negro. Ele estava parado em um ambiente negro, uniforme, sem nenhum traço dos blocos quadrados que compõe o universo de Minecraft. Ele conta que não estava mais sozinho na escuridão, havia algo ali em cima com ele, olhando para ele, algo que até hoje se recusa a definir ou nomear. Daquele dia em diante, ele nunca mais jogou qualquer título online, passou dois meses em terapia com psicólogos e avisa que não se deve olhar em lugares onde você não deveria estar. Existem coisas que não deveriam ser encontradas.

Todo Mundo em Pânico

Alma As três histórias acima trazem três elementos em comum: são ambientadas em jogos eletrônicos, revelam um mundo de horror e são completamente inventadas. Elas recebem o nome de creepypasta e são uma modalidade focada no terror do copypasta, um tipo de texto criado com o propósito de entreter e se passar por autêntico. Nasceram nos fóruns da internet e podem ser classificadas como a nova geração das lendas urbanas contadas nos corredores dos colégios de décadas menos digitais. Textos como esse são virais por natureza e buscam ser colados em outros fóruns ou repassados por e-mail, daí vindo o termo copypasta, uma aliteração do "copy-and-paste", "copiar e colar", tão popular entre as mentes sem criatividade e vampiros de conteúdo.

Repetindo, para ficar claro: as três histórias acima são assumidamente FALSAS, ainda que seus autores, sempre anônimos, possam tentar passar a impressão errada.

O site Creepypasta Wiki tem uma seção inteira dedicada aos "causos" envolvendo jogos eletrônicos. Noventa por cento deste material é lixo mal-escrito que não assusta ninguém com mais de 10 anos ou onde se nota claramente a falsidade, seja pelos exageros ou pelas contradições. Entretanto, 10% do que pode ser lido alcança o propósito da boa copypasta: entretém e pode confundir os desavisados. As histórias exibidas acima foram bastante resumidas e até alteradas aqui e ali para aumentar o impacto. Você pode ler os originais (em inglês) a seguir: "Point Lookout", "Grand Theft Auto SA - The Serial Killer" e "The Demon of Minecraft".

A imaginação dos criadores de creepypasta chegou aos jogos eletrônicos. Enquanto o mercado editorial convencional possui autores tão talentosos como Stephen King ou George R.R. Martin, capazes de trazer o grotesco e o bizarro para os detalhes mais insignificantes do cotidiano, quanto tempo falta para uma grande história de terror nascer de verdade desta relação entre o mundo real e o virtual? Até agora, tudo que tivemos são tentativas amadoras ou filmes constrangedores.

Ou será que, de fato, existam coisas que não devam ser descritas?

Ouvindo: Wumpscut - Capitolo Finale
Seu apoio é muito importante! Ajude esse blog a crescer! Patreon

9 comentários:

Fagner P. disse...

Nossa, gostei muito dos textos, não conhecia por esse nome, Creepypasta, uma pena não ter em português. Me fez lembrar de algumas histórias, como a do Pé-Grande do GTA: San Andreas, e do Herobrine (suposto irmão morto do criador Notch). Eu acreditava nas duas, e confesso que procurei por essas criaturas nos jogos. Mas existe uns relatos muito bem feitos na internet, que dá até pra acreditar.

breno disse...

A primeira foto do artigo consegue assustar mais do que todas essas estorias juntas.é impressionante como um jogo de 3 anos atras consegue parecer mais datado do que jogos de 10 a 15 anos atras.

Agora bugs tende a ter um efeito mais comico do que assustar ou impressionar.

Breno disse...

Fagner:Acredito que o pé grande do GTA sejá algum mod que alguem fez e que outras pessoas pensaram que ele estava incluso no jogo original. Ao que parece,a ignorancia em relação ao assunto é o fator principal para a criação dessas histórias.

Poa Kli-Kluu disse...

Eu lembro que havia assistido há muito tempo um vídeo sobre tenebroso sobre pokémon. Na hora eu fiquei "O__________O" lol

Como tem relação com o post, aqui está o vídeo:
http://www.youtube.com/watch?v=ktooKYecV90&list=FLoGwnMS16FWsmJuuctQmtvA&index=325

É muito bem elaborado e realmente bota medo XD

Marcos disse...

cara, só não chegamos a ver filmes ou livros de terror se baseando num jogo por que logo de cara jogos são fictícios, e colocar um terror exterior ao jogo aumenta ainda mais a falácia.

quem se lembra daquele filme chamado "Stay Alive" sabe do que estou falando. Detalhe: o filme é uma bosta

Marcos A. S. Almeida disse...

Bom, já que está se falando em coisas estranhas e contos tenebrosos nos jogos, ouçam essa estranha mensagem do Ratman em Portal 2. http://www.youtube.com/watch?v=MTJpYsfvM_Q&feature=related
Aquino deve saber dessa história melhor que eu pois é aficionado em Portal.Espero não ter estragado um futuro post...

Lucs disse...

Bacana.
Já vi algumas historias desse tipo tratando de pokémon.
que eram muito interessantes de ler,diga-se de passagem.

Marcus Gonzallez disse...

Não duvidem dessas coisas, comigo mesmo aconteceu o seguinte: Estava uma madrugada dessas jogando Lead and Gold com mais dois amigos, um de Moscow e dois americanos, além de outras pessoas na sala. O jogo havia acabado de atualizar pra versão 1.09 e eu estava bem ancioso pra ver as novidades, entre elas um novo mapa. Estávamos neste mapa quando entrou na sala alguém com o nick de Creepy Bastard. O engraçado é que o personagem dele não tinha armas carregava um livro negro ao invés disso, e você não via o rosto dele; Como quando os polígonos dão uma espécie de "tilt" e ficam vibrando, algo assim. O corpo era como o do personagem do cowboy no jogo, mas com o chapéu de cor escarlate. Ao entrar na sala ele ficava teclando onomatopeias de risadas como ASkaOSKaOSkaOSK o tempo todo e correndo pelo cenário. Quando eu estava nas costas do Setmaster, um de meus amigos de jogo, e lhe mirando um "headshot", Creepy Bastard se dirigiu à ele na caixa de chat dizendo: Hey, Setmaster, watch your back old friend. Birds are singing. E quando acertei-lhe a cabeça eu vi a melhor animação de "headshot" que já vi. Em Lead and Gold a animação de tomar um tiro é basica, você cai, mas não naquela noite. A cabeça de Setmaster esfacelou-se em pedaços e seu corpo caiu pesado no chão. Coincidentemente ele foi desconectado na hora e saiu da sala. A partida continuava e eu via um a um pessoas recebendo mensagens lhes avisando sobre sua morte e sendo desconectadas em seguida. "Hey, Buttkicker, mommy will hate to clean this mess. Sorry 'bout your legs. E lá se foram as pernas de Buttkicker quando lhe tacaram uma dinamite. As animações estavam impressionantes, mas eu sentia como se algo estivesse errado naquela madrugada. Tive certeza de algo errado quando ele disse para o Here2KillU, meu parceiro no time: "Watch your Step", e ele pisou em uma armadilha de urso. As armadilhas de urso simplesmente te prendem durante alguns instantes e se seu parceiro atirar nela ele te ajuda a se libertar, mas não era mais assim depois do patch 1.09 ou depois que Creepy Bastard entrou na sala. Here2KillU teve a perna rasgada pela armadilha, presa ainda na armadilha por um emaranhado de carne e ossos, e quando atirei na armadilha o tiro o acertou, éramos do mesmo time, isso não deveria acontecer, e suas costelas se abriram com o tiro da minha espingarda e sua conexão caiu. Logo depois Creepy Bastard se dirigiu a mim: "Hey, Gonzallez"... Resetei o computador na hora, mas pra minha surpresa o jogo não desligou. A imagem ficou congelada, travada com o corpo destruído de meu companheiro caído e a caixa de chat aberta. Ainda me arrepio ao lembrar que pra minha surpresa os caracteres continuaram à se formar me dizendo uma última mensagem:"Hey, Gonzallez... You pussy". Puxei o cabo de força e finalmente o pc desligou. Quando tentei ligá-lo novamente minha instalação do Windows 7 havia sido irremediavelmente corrompida e tive que instalá-lo de novo, perdi muita coisa importante, mas não me arrependo. Não sei se coincidência ou não mas as contas de Buttkicker, Here2Killu e Setmaster estão à exatos 90 dias offline. Desde aquela noite nunca mais joguei Lead and Gold. Era o único jogo online que gostei, mas se você um dia for jogá-lo, ou for jogar qualquer jogo online e entrar algum Creepy Bastard na sala. Amigo, faça um favor pra si mesmo... Saia.

Poa Kli-Kluu disse...

Caracaaaaa! Essa foi criativa!
Eu ainda faço uma! *u*

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino | Seja um patrono!

My Playstation WallpapersXbox WallpapersPC Game Wallpapers

Tooth and Tail