Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamTwitterRSS

16 de maio de 2013

Poder Sem Limites - Parte 2

Como vimos na primeira parte desta postagem, existe um parcela efusiva de jogadores cujo prazer reside em se tornar o melhor entre os melhores, em obter o domínio total dos mecanismos do jogo, em usar a matemática como uma arma de destruição em massa. Mas uma tamanha exibição de poder não iria passar despercebida pelos criadores dos jogos...

Guild Wars 2 Os desenvolvedores expandem os limites do que pode ser alcançado nos MMOs e os power gamers atingem a nova meta em questão de dias ou horas. É uma questão de honra, é uma questão de ser o primeiro. Segundo Isaiah Cartwright, designer líder na criação de Guild Wars 2, o level cap (ou nível máximo) do jogo foi atingido em três dias. Foi necessário que o jogador fizesse um esforço contínuo durante os três dias, recebesse a ajuda constante de toda sua guilda para reunir recursos e produzisse seu próprio equipamento. Mas foi feito.

Cartwright não vê os power gamers como inimigos, entretanto. Muitos foram convidados para os testes de Alpha e Beta do jogo. "Fazendo isso nós conseguimos balancear para este tipo de jogador e também nos foi útil para reconhecer os desafios e bugs do jogo muito mais rápido. Foi imensamente importante para nós".

Quando, durante uma atualização em DC Universe Online, equipamento antes restrito a personagens com muitas vitórias em PvP passou a ser vendido a preço de banana para qualquer jogador, houve gritaria e ameaças. Na busca pelo balanceamento entre os participantes, a Sony provocou a fúria dos veteranos. Mas tudo não passava de um movimento calculado... logo depois foi anunciado o seu sétimo DLC , que abriria espaço para raids e missões Tier 5, focadas justamente nos jogadores do mais alto nível possível no jogo. Por meses, os power gamers haviam ficado limitados a equipamento Tier 4 e a pressão nos fóruns oficiais havia explodido. Agora, com poucos dias de disponibilidade, já é possível encontrar jogadores  que criaram novos personagens com os poderes recém-lançados e chegaram ao Tier 3, que me custou meses de dedicação. E, muito certamente, em algum lugar há alguém que já reuniu todo o equipamento do Tier 5.

Ainda que representem uma fração mínima do universo de jogadores, os veteranos e os power players funcionam como divulgadores. Se o jogo lhes é satisfatório, eles constroem Guildas, escrevem guias, gravam vídeos de suas façanhas, inspiram os novatos, viram manchetes de sites e portais (para o bem ou para o mal). Se o jogo não os atende ou para de atender depois de um tempo, o tiro sai pela culatra e eles se tornam os mais efusivos críticos que podem existir.

Forge

Para os criadores do MMO F2P Forge, os power gamers quase afundaram o jogo. Não porque o desafio não estava à altura de suas demandas. Mas justamente porque o título se tornou seu playground privado. Construído para ser essencialmente um título de batalha casual entre jogadores, com partidas que poderiam durar entre 15 minutos a uma hora, os super-jogadores se tornaram uma muralha impenetrável para os novatos. Paul Culp, desenvolvedor do jogo, explica o que aconteceu:

"Nossa primeira geração de jogadores, aqueles que estavam conosco desde o lançamento beta, se tornaram casca-grossa. Jogadores realmente impressionantes. Para complicar nós também tínhamos alguns jogadores profissionais em nossa comunidade e eles simplesmente detonavam qualquer jogador novo que viesse aprender o jogo. Foi um massacre".

No caso de Forge, chegou a um ponto em que nem mesmo os desenvolvedores estavam conseguindo mais vencer uma luta. Culp inocenta os power gamers da responsabilidade e confessa que o time cometeu um erro ao lançar Forge sem um sistema de nivelamento de partidas. Atualmente, o jogo conta com a possibilidade de escolher o servidor e o nível de habilidade do oponente.

Mas e o que acontece quando são as desenvolvedoras que resolvem testar os limites dos jogadores? Entram em cena os Mega Bosses, criaturas de lendas e pesadelos...

Fúria de Titãs

Talvez o exemplo mais famoso de desenvolvedora abusando do direito de dificultar as coisas seja o infame Pandemonium Warden. Para quem joga Final Fantasy XI Online, é um nome para ser dito em sussurros ou lembrado com horror.

Pandemonium Warden A criatura, um Notorious Monster do universo do jogo, foi introduzido em 2008 e logo se tornou assunto em sites de jogos. Uma guilda, chamada ironicamente de Beyond the Limitation ("Além das Limitações") enfrentou o chefe por dezoito horas seguidas sem conseguir vitória. Estamos falando aqui de 36 jogadores de alto nível, organizados e determinados, jogando até o ponto de exaustão. Há relatos de pessoas desmaiando ou vomitando devido o esforço. Pelo menos um dos participantes nem mesmo levantou para urinar. E o Pandemonium Warden? Firme e forte. O chefe muda de forma dez vezes, cada uma com uma quantidade absurda de pontos de vida e, ao final, reverte para sua forma original para precisar ser vencido mais uma vez. Sem contar os monstros-satélite que ele convoca para auxiliá-lo, cada um deles um desafio em si.

Depois da derrocada da guilda, a Square-Enix foi acusada de exagero e optou por reduzir as habilidades do Pandemonium Warden, além de uma trava de tempo. E publicou uma nota recomendando que todos os jogadores "não esqueçam sua família, seus amigos, sua escola, seu trabalho". Atualmente, Pandemonium Warden tem um cronômetro de duas horas: se ele não for derrotado dentro deste prazo, ele desaparece sozinho. Desde então, várias guildas conseguiram vencê-lo.

Deathwing

Falando em limite de tempo, Deathwing, de World of Warcraft, tem um dos mais cruéis: 15 minutos. Não sem merecer, o dragão/deus era o chamariz da expansão Cataclysm. Além de possuir 858.000.000 de pontos de vida e ser a criatura com mais HP de todo o jogo em seu lançamento, Deathwing ainda mudava de forma e precisava ser derrotado em diferentes instâncias. Em sua forma final, The Madness of Deathwing, ele precisava ser derrotado em 15 minutos. Não porque ele iria desaparecer, mas porque ele iria infligir um dano colossal de 1.500.00 em todos os jogadores, literalmente trazendo o apocalipse para o mundo do MMO.

Em Lineage 2 existe um dragão chamado Antharas que não se contenta com meras guildas. Para derrotá-lo, é necessário o esforço coletivo de todos no servidor. Todos. E, ainda assim, a batalha se estende por horas a fio. Depois que os jogadores atravessam uma dungeon de sete camadas, com um exército de monstros, só para chegar no dragão. Às vezes, a jornada até o chefe é mesmo o mais complicado. Em Everquest, por exemplo, para enfrentar Cazic Thule, os jogadores precisam cruzar todo o Plane of Fear antes de encontrá-lo. E quando ele aparece, todas as criaturas mortas antes ressuscitam. E vão em seu auxílio...

Sleeper

Mas o testamento supremo de que os jogadores estão à altura do desafio é a história do Sleeper, em Everquest. O dragão fantasma precisa ser despertado de sua tumba e a única forma de fazer isso é derrotando outros quatro dragões anciões. Ao final da batalha, Sleeper Kerafym acorda e decola para espalhar a morte e o caos no servidor, matando tudo e todos que cruzarem o seu caminho.

O que diferencia o Sleeper de seus colegas de profissão é que, inicialmente, ele foi projetado para ser invencível. Invencível de verdade. Mas a Sony Online não contava com a determinação dos usuários. Um coletivo de diversas guildas se organizou em um servidor e resolveu emboscar o chefe-que-não-pode-ser-derrotado. Diante da possibilidade da vitória impossível, organizadores do MMO interferiram e resetaram o encontro, alegando que havia um bug no sistema. Naturalmente, houve protestos e gritos de "roubalheira". A Sony voltou atrás e prometeu deixar a lenda seguir seu rumo.

O que aconteceu? Os jogadores derrotaram o Sleeper. Por que sim.

Ouvindo: Deathstars - Our God the Drugs
Seu apoio é muito importante! Ajude esse blog a crescer! Patreon

8 comentários:

Gledson A. disse...

O.O

robson disse...

(comentário off tópic porque ainda não li o artigo: o script que impede de ver a imagem fora do domínio do site tá meio bugado. Quando acesso pelo leitor rss não mostra, até ai ok. Mas quando venho do leitor para ler no site, a imagem também não aparece. Ai tenho que sambar e abrir o site na integra (em outra janela) pra achar a notícia e ai sim conseguir ler. Meio chato :\ )

C. Aquino disse...

Robson, diz aí qual é o seu leitor RSS para adicionar como exceção. O problema de sair do leitor, cair no site e continuar vendo a imagem preta é um problema de cache. Ainda não sei se é um problema de navegador ou cache de servidor, mas é um velho conhecido aqui. Desculpe o incômodo... :(

estacado disse...

Essa d Everquest foi muito interessante. MMO´s normalmente tem histórias bem legais desse "mundinho" que se cria em volta da mítica do jogo.
Queria ver um dia algum post com um "amontoado" de histórias assim: de bizzaras a de amor, de batalhas etc. eu curto.

Tipo aquelas do EVE ONLINE que foi postada aqui.

Falando em mmo: Aquino, de uma olhada em um mmo free to play que foi lançado esses dias, Neverwinter. Baseado em D&D, com poucas coisas de D&D hehe mas o jogo é muito bom, estilo diferente de jogar; na linha visual de Dragon Age.

abracaocapeta disse...

Só pra informar, o aviso de "não esqueçam sua família, seus amigos, sua escola, seu trabalho" em FFXI sempre esteve ali. Ele aparece quando você loga desde que o jogo foi lançado há 11 anos.

Mas a Square nunca deu muita bola pra ele...

No final de março lançaram uma expansão nova com bichos ainda mais filhos da puta. O pessoal da minha guilda disse que nego com chars super fortes ficaram com medo quando deram "check" nos mobs pela primeira vez(é um comando que te diz mais ou menos a força do bicho em relação a você). Até agora só os japoneses conseguiram acesso a partes mais profundas da expansão. Que ninguém sabe ainda o qual profunda pode ser.

O pior é que descobriram que a Square criou armas com simplesmente o dobro da força das armas mais fortes até então. E as armas mais fortes são dificílimas de conseguir. Demora meses de muita dedicação. Imagine a ira dos veteranos.

Michel Oliveira disse...

Só pra informar, o aviso de "não esqueçam sua família, seus amigos, sua escola, seu trabalho" em FFXI sempre esteve ali. Ele aparece quando você loga desde que o jogo foi lançado há 11 anos.

Mas a Square nunca deu muita bola pra ele...

No final de março lançaram uma expansão nova com bichos ainda mais filhos da puta. O pessoal da minha guilda disse que nego com chars super fortes ficaram com medo quando deram "check" nos mobs pela primeira vez(é um comando que te diz mais ou menos a força do bicho em relação a você). Até agora só os japoneses conseguiram acesso a partes mais profundas da expansão. Que ninguém sabe ainda o qual profunda pode ser.

O pior é que descobriram que a Square criou armas com simplesmente o dobro da força das armas mais fortes até então. E as armas mais fortes são dificílimas de conseguir. Demora meses de muita dedicação. Imagine a ira dos veteranos.

robson disse...

(Aquino, o leitor que uso é o feedly)

Queria ser um power player mas a Net não deixa :(

Edgar Menezes disse...

Joguei muito Lineage 2, ótimo jogo.

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino | Seja um patrono!

My Playstation WallpapersXbox WallpapersPC Game Wallpapers

Tooth and Tail