Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamTwitterRSS

13 de agosto de 2012

Sangue de Zumbi!

Blood of  the Zombies Há exatos trinta anos atrás, a dupla Steve Jackson e Ian Livingstone davam mais um passo para a conquista definitiva do coração e mente dos apaixonados por fantasia e lançava o livro-jogo O Feiticeiro da Montanha de Fogo. Essa história você já leu por aqui. Para celebrar a data, o velho mestre Livingstone, agora um poderoso executivo do império da Games Workshop e Presidente Vitalício da Eidos, descolou um tempo e sentou para escrever um novo livro. Desde 2007, quando foi o autor de Eye of the Dragon, Livingstone não se envolvia com os livros-jogos. Inicialmente, foi cogitada a hipótese de um retorno ao cenário da Montanha de Fogo ou uma volta de Zagor, o antagonista da primeira história transformado em protagonista em uma série própria. Mas Livingstone resolveu ser moderninho e aproveitou a onda que todo mundo está surfando: zumbis.

Blood of the Zombies foi lançado na Inglaterra no dia 2 de agosto e segue a tradição de outras histórias de terror que já apareceram na franquia Fighting Fantasy. No enredo, você foi raptado e aprisionado em um castelo em uma parte remota da Romênia. Para seu azar, seu algoz é um cientista louco que está criando um exército de mortos-vivos com seus prisioneiros e a fila está andando. Armado com um machete e uma metralhadora, cabe ao jogador escapar e dar um fim aos planos megalomaníacos. Mais clichê, impossível. Difícil dizer se Livingstone está atualizado e roubou ideias de Amnesia - The Dark Descent ou se está seguindo a cartilha old school e copiando Wolfenstein na cara dura mesmo. De qualquer forma, originalidade nunca foi o forte da franquia que conseguia entreter pela boa combinação de uma atmosfera bem-descrita com a interatividade das decisões e do sistema de combate. A arte da capa ficou por conta do desenhista Greg Staples, veterano da 2000 AD e famoso por seu trabalho com o Juiz Dredd.

Fanfarrão, Livingstone declarou que curtiu muito escrever Blood of the Zombies, fez inspirado pelos fãs e espera que eles considerem o novo livro uma boa adição à série, "presumindo que eles sobrevivam aos zumbis".

Ouvindo: Lycia - Resigned
Seu apoio é muito importante! Ajude esse blog a crescer! Patreon

27 comentários:

Hawk disse...

România é um país fictício ou a intenção era escrever Romênia?

C. Aquino disse...

Erro de tradução da sinopse. Corrigido!

Jimmy Fischer disse...

E WAR Z????Tá um hype danado por aí, nem vou comprar ARMA 2 pra testar o mod DAY Z..

Shadow Geisel disse...

o engraçado dessa coisa de reciclar ideias sobre zumbis é que ninguém tenta fazer nada de diferente, nem que seja em pequenos detalhes (pois estão reciclando, óbvio).
eu tenho uma ideia muito boa sobre zumbis que tive quando comecei a jogar Resident Evil 4. claro que não vou dizer qual é, pois uma boa ideia colocada em palavras perde muito de seu impacto. infelizmente não sou escritor, mas se fosse escreveria um livro sobre essa ideia que tive. de fato, zumbis nunca saem de moda.

Jimmy Fischer disse...

MAs RE4 não tem mais zumbis...
É aquele "mistério" pertinente à CAPCOm.Quando zumbis viraram moda, o RE fez questão de tirar os zumbis, que são a sua marca registrada e tirar o clima de terror(dando chance para outras franquias de terror da concorrência se catapultarem ao sucesso).
E a CAPCOM continua insistindo nisso, a unica franquia que escapa de suas cagadas é o Street Fighter!

Breno disse...

"MAs RE4 não tem mais zumbis..."

Tem sim! São zumbis mais limpinhos,rsrs!

Mas falando sério, o que define se uma criatura é zumbi ou não? O fato dos "zumbis" de RE4 articularem palavras e estrategias fazem com que eles deixem de ser zumbis?

Jimmy Fischer disse...

Zumbi pra mim é um ser que morreu e voltou à vida depois de um acidente nuclear ou bacteriológico(possessão demoníaca vale?Alô REC2).
Se está vivo não é zumbi... pode ser maratonista ou ter algum tipo de inteligencia, mas tem que estar morto!

Marcos A. S. Almeida disse...

Aí Aquino, já está sabendo do "Mission Improbable", MOD para Half-Life 2?Vi o vídeo de gameplay e fiquei impressionado.
Já que o assunto são zumbis e DayZ , passando pelo WarZ , volto á recomendar o jogo de sobrevivência e MMORPG chamado DEAD FRONTIER, que inclusive percebi que está fazendo uma propaganda maciça via Google. Volto á recomendar pois faz muito tempo que não me empolgo com um jogo como me empolguei por esse.A perspectiva isométrica talvez seja o fator que mais afaste as pessoas , mas eu acho que quem gosta do gênero deveria dar uma chance á ele.Óbviamente não ganho nada com a indicação, estou apenas compartilhando a satisfação de jogá-lo e que vocês sintam a mesma coisa ( ou não).Pra quem quer conhecer um pouco melhor o jogo sem ter que necessariamente jogá-lo ( ou até pra escolher melhor a profissão inicial do personagem) recomendo uma visita ao Wiki do jogo => http://deadfrontier.wikia.com/wiki/Dead_Frontier_Wiki
A interface do jogo é via browser e em alguns aspectos é muito parecido com o MOD DayZ (que aliás estou raciocinando como o Jimmy, vou aguardar o WarZ).

Marcos A. S. Almeida disse...

...ou aguardar o rumor se confirmar , de que o DayZ vai se transformar em um jogo oficial e independente e que continue FREE!

C. Aquino disse...

Eu também estou empolgado com DayZ. Mas nem tanto com WarZ, que me parece mais um plágio descarado e isso tipo de coisa nunca tem a mesma qualidade. Pelo o que eu ouvi falar DayZ vai virar stand-alone, mas não ouvi dizer que continuaria grátis... Enfim, vale uma postagem sobre essa nova onda de mods de sucesso.

Sobre Resident Evil 4, seria possível eu escrever algo sobre zumbis sem deflagrar uma longa discussão sobre o jogo?

Zumbi, enquanto conceito, para mim é todo oponente sem vontade própria, puramente instintivo, que vence pela quantidade e causa repulsa. A Flood de Halo se encaixaria neste conceito, assim como os Borgs. É por isso que gostamos de enfrentá-los: eles merecem ser destruídos, é impossível contra-argumentar, eles não tem qualquer valor moral ou cultural que deva ser preservado. Destruir "zumbis" não tem nenhuma ambiguidade, como matar "terroristas" ou "alienígenas".

Marcos, "Mission Improbable" ganhou um bocado de atenção agora porque foi lançada a versão final do mod. Ele já foi analisado por aqui em fevereiro (http://blog.retinadesgastada.com.br/2012/02/modificando-half-life-2-mais-do-mesmo-e.html), mas ainda era um beta, com apenas dois capítulos. A nova versão aperfeiçoou estes dois capítulos e ainda acrescentou mais alguns. O mod tinha uma qualidade técnica excepcional quando joguei.

Breno disse...

WarZ pelo que parece, tava em desenvolvimento antes de DayZ estourar! Mas isso não impede que os desenvolvedores de WarZ(talvez nem fosse esse o nome) de embarcar na febre pra ganhar alguns trocados! Eu só espero que eles capturem o espirito de jogos como DayZ ou STALKER!

"Zumbi, enquanto conceito, para mim é todo oponente sem vontade própria, puramente instintivo, que vence pela quantidade e causa repulsa."

Acho que os ganados de RE4 se encaixam nessa definição. São os zumbis mais engraçados que eu enfrentei,diga-se de passagem,pela atuação de voz canastrona dos mesmos! Quem não se lembra de perolas como "um forasteiro" e "mata-no"(só tem graça ouvindo)!

Os zumbis mais assustadores que eu encontrei foram os de Thief 1! Embora os modelos estejam mais datados que jogo de C64,o som que eles emanam são de arrepiar os cabelos!

Sobre DayZ ser de graça eu acho que vcs não perceberam uma coisa! Nenhum mod é gratuito por definição! pra um mod ser gratuito,o jogo original tem que ser gratuito também! Não vejo o porque de esperar DayZ sair das asas de ARMA 2:Combined Operations! Vcs comprando esse jogo leva outro de "graça" entendem?

Marcos A. S. Almeida disse...

Aquino , a discussão sobre Resident Evil 4 têm uma particularidade: é muito boa!Aliás...
...eu não achei as vozes engraçadas ou caricatas, pelo contrário, elas dão o tom do suspense ou ação.Tanto que tornaram-se épicas como os gritos da Ashley - "Leon, Leon" - os sussurros dos monges - "muere,muere,muere" - ou o grito inesquecível - "Detras de ti, imbesil".Todo o trabalho sonoro do jogo foi fantástico.Aliás, todo o jogo foi produzido com esmero.
Quanto aos zumbis , a definição clássica já não cabe mais nos jogos .O zumbi burro de movimentos lerdos e cadenciados já está entrando em extinção, por incrível que pareça.Os de hoje se organizam e são rápidos.Isso quando não têm habilidades especiais.Eu preferia os antigos, pois eles me permitiam mirar na cabeça ou traçar uma estratégia de ataque.Os de hoje temos que apertar o gatilho o mais rápido possível e descarregar a arma nele.A ação ficou mais frenética.A série de tv The Walking Dead têm os zumbis clássicos.

Jimmy Fischer disse...

Bom, se olhar os primeiros zumbis criados por George A.Romero em "A noite dos mortos vivos"(quem não assistiu ainda se faça esse favor, o original e o Remake.REC também é obrigatório).eram os zumbis clássicos de RE1.O próprio Romero introduziu os zumbis maratonistas, ou os que correm q nem louco em outros filmes, mas não sei se foi ele que os criou .
Vou ver esse DEAD FRONTIER... é só grind ou tem quests e terror?
A questão é que Zumbi é um mortovivo, não consigo outra definição.Se está vivo e parece um zumbi não é zumbi...
Ué, mas a produtora de WARZ só se inspirou ou comprou os direitos de DAYZ?

Jimmy Fischer disse...

Vi um vídeo aqui.Esse Dead Frontier parece muito Nation Red e Dead Horde que já possuo no STEAM.
Tem um mundo enorme ou se resume à partidas com mapas e tals?

breno disse...

Eu lembro de um bug do jogo HALO bem na fase introdutoria do Flood,onde quando eles comecavam a aparecer a imagem do jogo desaparecia e no lugar ficava uma imagem que parecia uma concept art do flood! Um dos melhores bugs que presenciei,pena que o jogo fique um saco nessa parte!

Marcos A. S. Almeida disse...

Jimmy é um mundo ENORME, com os chamados "Outposts" ou Bases , onde basicamente moramos temporáriamente , onde compramos e vendemos itens achados pelo mundo do jogo através de "loot" ou seja, pilhado de corpos caídos distribuídos pelo mapa.Cada Outpost (no total são 4 ) estão em uma zona de dificuldade.Estão bem distantes uns dos outros e para os 2 mais difíceis só é recomendado a ida com um level alto e com armamento e armadura poderosos.Existem missões diárias para se ganhar pontos de experiência e dinheiro.Depois de se executar a missão , o que resta é vagar pelo mundo e pilhar os corpos atrás de itens para vender , fazer dinheiro e comprar armas , alimentos e armaduras adequados ao seu "level status".Cada monstro do mundo lhe dá X de pontos que acumulados em uma escala de 100% possibilitam a subida de level, distribuindo pontos de habilidade á sua escolha para o seu personagem.Como eu nunca joguei antes MMORPG não sei se os outros fazem o mesmo.
Vou verificar esses que você citou no Steam.São free?

Jimmy Fischer disse...

Joguei um pouco desse DEAD FRONTIER, iniciei como "police officer".
REd nation e Dead Horde são isométricos também mas nada a ver com esse mmo, foi só uma impressão inicial depois de ver uns videos.
Dead Horde vc vai passando de fase e Red Nation é tipo KF, onde se sobrevive a hordas de inimigos.
Alguma dica pra um novato?Escolhi uma classe boa?

Marcos A. S. Almeida disse...

A classe é boa , não é genérica como outras que têm por lá, mas hoje eu não não escolheria a que escolhi (boxer) e nem police officer.As dicas são: escolha aumentar machine gun skill e melee skill.Machine gun porque nos momentos de "aggro" ou fúria dos zumbis as metralhadoras são mais eficientes para mantê-los afastados.E melee porque são armas que não gastam munição e não atraem "aggro" .Se um zumbi importuná-lo e você atirar com metralhadora irá chamar a atenção de outros.Já com arma melee não, podendo "lootear" os corpos mais tranquilamente.E á princípio aumente strenght pois é um requisito para machine guns mais pesadas , aras melee mais pesadas e armaduras mais pesadas.Strenght é um requisito para se carregá-las e não um aumento de força.

Shadow Geisel disse...

alôôô!!! desde quando eu disse que os inimigos do RE4 são zumbis? eu falei que tive uma ideia (que eu acho) original enquanto jogava o resident 4.

e quais franquias famosas ocuparam o nicho da antiga série de RE? Left4Dead? Dead Island? Faz-me rir...

Wallacy Wagner disse...

C. Aquino, já faz um bom tempo que eu leio o seu blog e acho realmente muito bom, as opiniões são bem interessantes. Você já pensou em fazer um podcast do retina? Acho que seria legal. Você já participou de algum podcast de jogos?
Flw!

C. Aquino disse...

Wallacy, não sou muito favorável a podcasts. Acredito que no tempo em que se leva para produzir um razoável é possível escrever pelo menos dois artigos de peso. E no tempo em que se leva para ouvir um, eu poderia ler até cinco bons artigos. Enfim, sou um ardente adepto da palavra escrita... o que não me impede de ver vantagens em podcasts (é possível ouvir enquanto se lava louça ou trafega pro trabalho, por exemplo) ou, quem sabe um dia, participar de um. Imagino que você já conheça o trabalho do Arthur Protássio (http://vagrantbard.com/category/games/ludobardo-games/), o melhor podcaster/videocaster de jogos que eu conheço. Senão, confira!

Wallacy Wagner disse...

C. Aquino, você tem razão, concordo com tudo que você falou. Mas acho que podcast é uma mídia muito mais acessível. Nem todo mundo gosta de parar pra ler um texto gigante na internet. Mas aí vai do objetivo de cada um.
Escutei um podcast com o ludobardo, umas semanas atrás, mas não conhecia ele antes disso. Vou olhar mais de perto o trabalho dele agora, com sua indicação.

Jimmy Fischer disse...

Ja parei pra ouvir os podcasts do gamevicio e é muito tempo enchendo linguiça!
Os videos do guilherme gamer são legais, mas só tratam do "mainstream" dos games...
Prefiro matéria mesmo, se tem preguiça de ler se mate, vai dizer que nunca leu um livro na vida!

Marcos A. S. Almeida disse...

"... vai dizer que nunca leu um livro na vida!" Jimmy em se tratando dessa geração , há o risco de ouvir um sonoro "não!" para essa pergunta e "sim!" para a primeira.Lembro-me de na infância ter lido quase toda a coleção de Monteiro Lobato.Não li Aritmética da Emília , Emília no país da gramática e Geografia de Dona Benta porque eram muito didáticos e o que eu gostava mesmo era de aventuras.E frisando que lia tudo isso com muito prazer.Hoje infelizmente os professores têm que obrigar ao jovens á ler livros.Meus filhos , nesse caso, não seguiram meu exemplo.Mas ao menos gosto pelos jogos como eu eles têm, eheheheh!
PS: falando de Monteiro Lobato , Aquino, lembrei do livro "Reinações de Narizinho" quando li o título do seu post "Reinações Eletrônicas".Você já leu Monteiro Lobato?

C. Aquino disse...

Li sim, Marcos. O título "Reinações Eletrônicas" é uma referência mesmo: no livro de Lobato, a menina Narizinho vai para a casa da avó e vive aventuras. Meu filho foi para a casa da avó e viveu aventuras eletrônicas.

Li bastante Lobato quando garoto, incluindo Emília no País da Gramática, que lembro de ter gostado (apesar de não ter entendido algumas partes).

Shadow Geisel disse...

faz um tempão que não assisto a um video do Ludobardo. nem me lembro se enchiam linguiça, mas os vídeos são bem interessantes sim.
os do Guilherme Gamer eu não gosto não. ele não demonstra quase nenhuma opinião. tudo pro cara é o máximo. assisto ao Gamer Point vez ou outra mais para ficar sabendo das notícias que pelo conteúdo dos vídeos. O mesmo vale para os vídeos do Zangado: não têm muita opinião mas são engraçados.

Wallacy Wagner disse...

Acho que fui mal interpretado pelo companheiro Jimmy Fischer aí em cima. Em nenhum momento eu quis dizer que não gosto de ler, e muito menos que não gosto de ler o Retina, que pra mim é o melhor blog de games que leio atualmente. Falei só que algumas pessoas não gostam de ler na internet e que um podcast tem mais alcance. Só isso.
Flw ae!!!

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino | Seja um patrono!

My Playstation WallpapersXbox WallpapersPC Game Wallpapers

High Hell