Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamTwitterRSS

4 de junho de 2012

Jogando: Dead Island

dead-island-sam-b

Dead Island, a experiência zumbi da Techland, é um trem prestes a descarrilar. É um jogo que tinha tudo para dar muito certo assim que você tirasse ele da caixa, bastava entregar as expectativas emocionais levantadas por aquele trailer antológico. O que aparece na tela é algo que você precisa fazer um esforço enorme para curtir, que precisa segurar no braço e, com muito traquejo, colocar de volta nos trilhos. Uma vez que o jogo desiste de tentar te frustrar, ele funciona a contento.

Antes mesmo do lançamento, todo mundo já sabia que o tom de Dead Island não seria sequer parecido com o drama reverso do primeiro trailer. Obra de marketing fabulosa, os desenvolvedores tiveram que gastar um bocado de saliva para dizer que não seria exatamente daquele jeito. Tivessem insistido na mentira, o desastre seria inevitável. Cheguei no jogo já esperando um semi-RPG de mundo aberto com zumbis vagando por aí, missões de busca e salvamento e nada mais do que isso.

Infelizmente, os poloneses da equipe técnica da Techland estavam deslumbrados com as possibilidades de seu motor gráfico Chrome Engine 5. Dead Island usa e abusa de efeitos e está para a claridade estourada como Doom 3 estava para a escuridão. Não quero nem imaginar como este jogo roda em uma placa compatível com DirectX 11, porque na minha cansada nVidia 9400GT o jogo já é um carnaval. Se o seu personagem vira para olhar para o lado, há desfoque de movimento. Se ele corre, há desfoque de movimento. Se ele ataca, há desfoque de movimento. A impressão é que eu estou controlando o Flash e não um cantor de hip-hop. Há tanto bloom e FOV em cena que eu estava certo de que o protagonista ainda estava de porre da festa da noite anterior. Quando um zumbi ataca, fica tudo tão borrado que eu aperto os botões sem saber o que estou fazendo. É um milagre não morrer na primeira luta. O framerate não é dos melhores, mesmo na opção "Best Performance" do painel de controle de gráficos.

Para piorar minha primeira impressão, o botão de correr desativa sozinho depois de 2 segundos, um bug conhecido que ainda não foi corrigido, meses depois do lançamento. E a Techland ainda tem a petulância de anunciar uma versão "Game of the Year", como se Dead Island tivesse ganho algum prêmio relevante. Talvez em sua terra natal, a Polônia. A solução para a corrida? Dar ALT+TAB para sair do jogo e depois voltar. A partir daí, a tecla SHIFT funciona normalmente...

Ressuscitando

Pesquisando na internet, descobri que existem formas não-documentadas de alterar os gráficos do jogo. Envolvem edição de arquivos .DAT, .SCR e outros espalhados pelo diretório de instalação e pela pasta Meus Documentos. Felizmente, uma alma caridosa criou um aplicativo leve e gratuito que ajusta tudo que você quiser sem precisar sujar as mãos! O Dead Island Helper é perfeito. Através dele você pode corrigir bugs de mouse e teclado, desativar o bloom, desativar o FOV, habilitar sombras simples, desativar o desfoque de movimento, até mesmo tornar o clima menos ensolarado! E ainda permite criar um ponto de restauração nas configurações do jogo, caso você não fique satisfeito com o resultado (ou quebre alguma coisa...). Aprendeu, Techland?

Com tudo que me incomodava desabilitado e com a resolução configurada para 1280x720 (muito abaixo dos 1920x1080 que tenho), Dead Island é outro jogo. O framerate se tornou perfeito, a visibilidade do cenário ficou clara. Mas a pele das pessoas continua parecendo plástico...

Animei-me a continuar jogando e, aos poucos, fui sendo cativado pela atmosfera de desolação e pelo sistema de combate. Com armas improvisadas e sangue-frio, você vai destruindo os zumbis mais repulsivos já criados para um jogo. O título também estimula a exploração, a busca por mais dinheiro e novos tipos de armas. Para um Explorador como eu, não poderia ser melhor. É possível subir o nível das perícias e até realizar upgrade de armas.  Há um toque de S.T.A.L.K.E.R. na jogabilidade, mas, no lugar de uma região de perpétuo céu nublado, temos um paraíso tropical para descobrir.

John Sinamoi - Gente fina De se lamentar talvez é a ausência de medo no jogo. Em nenhum momento me senti dentro de um survival horror, talvez pela facilidade das primeiras lutas. A trilha sonora até se esforça para gerar suspense, mas os zumbis parecem mais vítimas do que algozes e seus ataques desajeitados são tranquilamente defletidos com um chute bem dado ou um botijão de gás arremessado nas têmporas. Mantendo a calma, o que não é difícil quando se consegue enxergar o que se está fazendo, é só arrematar a luta com um golpe bem dado na cabeça. Para minha surpresa, há instantes em que o impacto emocional da situação bate fundo, mas não são devidamente valorizados pelo jogo: o protagonista sequer fala! Ainda assim, ao final de uma sessão de jogo, ao completar uma missão, espantei-me com a alegria de conseguir salvar um grupo de sobreviventes e alojá-los em um lugar mais seguro.

De alguma forma, a mágica de Dead Island me capturou. Eu quero salvar essas pessoas, eu me importo com a história. Mesmo sem a garotinha.

Ouvindo: Nine Inch Nails - God Given
Seu apoio é muito importante! Ajude esse blog a crescer! Patreon

31 comentários:

Hawk disse...

Comprei o jogo estes dias e a dica do "Dead Island Helper" é muito bem vinda. Obrigado.

LocoRoco disse...

Pô Aquino, nem perde tempo com esses jogos FPS genéricos de ação, que você já jogou, mas estavam com um outro título. Tem outros jogos ou coisas melhores para se fazer.

Jimmy666 disse...

Zerei o DI piratão online com um amigo uma vez...o jogo até que é legal, só que se fosse um pouco mais profundo em termos de enredo e gameplay, tipo um fallout de zumbis seria perfeito.
A história beira o rídiculo, missoes do tipo "atravesse milhares de zumbis para trazer duas caixas de suco" tentam destruir qualquer tipo de imersão.
Pra mim o problema principal do jogo é o fato de que a primeira fase na ilha é muito legal, depois que vai pra cidade, floresta e prisão você vai ter saudades da primeira fase pois as outras são muito chatas.
As possibilidades de customização de armas é o ponto forte do jogo além dos combates corpo a corpo.Não é legal se encher de pistolas, rifles e shotguns... o divertido é esmagar os zombies de porrete, facão e outras ferramentas.
Meu amigo jogava numa Geforce 9400 e a performance é bem prejudicada pois o jogo não roda liso...
Enfim, jogo pra zerar, se divertir e nunca mais rejogar.

Jimmy666 disse...

Enfim, alguém joga o mod DAYZ de ARMA 2?Algum amigo aqui do retina me recomendou mas não lembro quem é, ta virando febre e dizem ser muito bom, talvez eu compre ARMA 2 pra ver qual é!

Marcos A. S. Almeida disse...

Aquino, Dead Island seguramente não será o melhor jogo que você jogou, mas acho que têm chances de ter uma nota 8 (de 10).Destes defeitos que você citou o único com que sofri foi o do botão de correr.Não precisei instalar mais nada pra corrigir os gráficos ( aliás, nem sabia que existia algo pra isso).Diminui o brilho e desci a lenha(literalmente) nos zumbis!A única falha grave que demorei á aceitar foi no momento em que ele acorda e está tudo meio escuro.Neste momento a textura dos objetos fica parecendo um borrão na tela e eu pensei que era alguma falha de minha placa!
Fique tranquilo (ou não)pois com o desenrolar do jogo , mudarão os cenários e consequentemente os zumbis, e você sentirá alguns calafrios com os urros de alguns (desculpe se isso é spoiler)!Não no nível de Dead Space, mas ainda assim sentirá.É um bom jogo e acredito que não se decepcionará , pois têm missões variadas, cenários variados e a possibilidade de poder construir novas armas alimenta o círculo.Você verá que é realmente interessante(e necessário) vasculhar todas as bolsas ,malas e carteiras.Apenas uma dica:não execute TODAS as missões, pois o jogo que já é relativamente grande ficará ENORME!Eu particularmente não gosto de jogos longuíssimos.

Lucs disse...

Uma prova que um marketing estupidamente incrível não salva um jogo.Pelo contrário,quebrou as expectativas dos que esperavam uma nova visão de um apocalipse zumbi.

Pelo que falam,esse Dead Island parece uma cópia de Dead Rising,com uma ilha no lugar dos Shoppings. Mesmo o Resort que prometia parece que não foi aproveitado.

Quero jogar mesmo assim :)

Bruno disse...

Eu entendo que esse jogo sofreu com expectativas demais, mas é um ótimo jogo. Joguei até zerar (nao lembro a duração exata, mas deve ser umas 30h) durante alguas semanas sem interrupção... depois ainda joguei um pouco com outro char.

Jimmy666 disse...

Eu já tinha escrito um monte de coisas mas só depois que li:"Bruno"....
kkkkkkkkkkkkkkkkkk...
Pensei que era "breno"... :P

Gledson A. disse...

Pelo jeito o Breno ja virou seu arqui-inimigo hein Jimmy666, kkk.

Ja zerei Dead Island (pirata), até que não achei tão ruim, só não entendi o tal do bug do shift, só tem no original esse bug? Porque eu não me lembro de ter passado por algo assim na minha jogatina.

Shadow Geisel disse...

"A impressão é que eu estou controlando o Flash e não um cantor de hip-hop."

acho que a versão de PC foi muito desfavorecida. fiquei chocado com os problemas que vc relata no post. não passei por nenhum deles jogando no PS3. nem reconheço o jogo que vc descreve.

quanto a ser um semi-rpg, será que aquele trailer prometeu esse tipo de coisa? a Techland chegou a afirmar que o jogo seria um RPG sandbox de mundo aberto? ou foram os jogadores que criaram expectativas irreais sobre o jogo? acho que eu consegui aproveitar DI melhor por não criado nenhuma expectativa sobre ele. a única coisa que tinha visto sobre o jogo foi um review do Game Trailers. me irritei com alguns problemas, como o sistema de save; as expressões zumbificadas (desculpe o trocadilho. não resisti) dos personagens; algumas quests sem muito sentido (pegar um ursinho de pelúcia? wtf). de resto, ele é um jogo bastante climático e bonito. de 0 a 10, um 8 com certeza.

Breno disse...

O trailer só dizia que o jogo tem zumbis, crianças zumbis e combate corpo a corpo! A propaganda enganosa ficou por conta das crianças zumbis! O resto é imaginação fertil da galera!

Agora,suspeito que Dead Rising seja melhor,porque tem milhares de zumbis e é mais engraçado(se a intenção for essa)!

Shadow Geisel disse...

como eu suspeitava: DI sofreu do mal do hyperhype...

LocoRoco disse...

Shadow,

Mas é claro que sofreu uma expectativa absurda. Em um mercado que temos, em sua maioria, jogos genéricos, qualquer um que assistisse o trailer ficaria maluco com a sua temática e proposta. Eles podem até não ter falado que iria ser do clima do trailer, mas porque o fizeram desse jeito então? Foi uma grande propaganda enganosa, e se ainda o jogo em si se sustentasse.

Jimmy666 disse...

Breno não é inimigo não, mas se o post fosse dele ao invés do Bruno ia ficar estranho, huuehueheuheuheuheu...

Breno disse...

"qualquer um que assistisse o trailer ficaria maluco com a sua temática e proposta".

A questão é que não há tematica e proposta no trailer,apenas um video em CGI!

As pessoas tem que se ligar mais no que o desenvolvedor tem a dizer sobre como vai ser o jogo,ao inves de olhar trailers em live-action com dubstep ou qualquer outra porcaria que o dep. de marketing invente para atrair a atenção dos consumidores!

Breno disse...

errata:no caso, não há tematica nem proposta para o jogo em si! o trailer é apenas um curta-metragem!

LocoRoco disse...

Sim, o que você falou é perfeito, é apenas uma CG, não tem nada de jogabilidade ali. Mas como o markiting serve para vender o jogo, eu pelo menos pensei que aquele clima criado no curta-metragem, tivesse alguma relação com o jogo. Você faz uma propaganda do seu produto com um clima mais pesado, criancinha morrendo, que criou polêmica, algo que parecia survival horror, com uma música Lost feelings e uma CG que simplesmente chegou em todos os cantos da internet. E depois entregam um jogo medíocre do jeito que foi e com nenhuma coisa que você mostrou no seu comercial, isso eu chamo de decepção.
Quando eu vi a CG eu também achei foda, mas eu também pensei que deveríamos ver o gameplay para confirmar se o jogo era isso mesmo. Vi e tanto que não comprei o jogo, por que não era aquilo que eu queria, só joguei alguns horas na casa do meu amigo para uma análise um pouco mais profunda.

OBS: A CG tem simplesmente 9,556,896 visualizações.

Shadow Geisel disse...

" Eles podem até não ter falado que iria ser do clima do trailer, mas porque o fizeram desse jeito então? Foi uma grande propaganda enganosa..."

discordo, LocoRoco. muitos jogos têm trailers que distoam do clima verdadeiro que eles terão no gameplay. acho que o hype em cima do DI foi exagerado e prejudicial.

"As pessoas tem que se ligar mais no que o desenvolvedor tem a dizer sobre como vai ser o jogo,ao inves de olhar trailers em live-action com dubstep ou qualquer outra porcaria que o dep. de marketing invente para atrair a atenção dos consumidores!"

sem mais nada a declarar sobre o trailer. O Breno falou tudo o que tinha pra dizer. se a gente fosse acreditar em trailer...

"OBS: A CG tem simplesmente 9,556,896 visualizações."

como eu disse, joguei sem ter visto muita coisa do jogo, inclusive o trailer, então pude apreciar o game com mais "imparcialidade". acho que é um exagero de um "coração partido" dizer que o jogo é medíocre.

Aquino, você deve ter nervos de aço. sustos levei poucos, mas o clima de apreensão é constante durante todo o jogo. ouvir um grito desesperado de um zumbi a 30 metros sem saber de onde ele vem causa um certo impacto. sobre os zumbis serem vítimas, discordo um pouco de você. claro que uma criatura insana e sem raciocínio vai estar em desvantagem diante de um cara armado até os dentes, imune ao vírus, com itens de cura e inteligência intacta. e lembre-se que os zumbis do DI ainda são humanos. eles levam dano por afogamento e tudo.

Breno disse...

"As pessoas tem que se ligar mais no que o desenvolvedor tem a dizer sobre como vai ser o jogo,ao inves de olhar trailers em live-action com dubstep ou qualquer outra porcaria que o dep. de marketing invente para atrair a atenção dos consumidores!"

Olhando em retrospecto eu acabo discordando comigo mesmo hehehe...
é bom sempre lembrar que desenvolvedores adoram dizer que seus jogos são a 8 maravilha do mundo,quando na verdade existem varios problemas!

Um exemplo classico é a Bethesda e o seu Elder Scrolls: Oblivion. Para quem jogou é interessante olhar o Demo de Gameplay do jogo na E3 e comparar com o jogo que foi lançado!

Shadow Geisel disse...

a diferença é que a Techland não lançou nenhum trailer fake pra enganar os jogadores. eles próprios é que fantasiaram algo que nunca foi prometido. eu, sinceramente, não achei o trailer nada demais, depois que assisti. deu pra ver que era só estilística pra fazer o vídeo ser charmoso.

Breno disse...

Pelo menos pra mim,o mais chocante foi a declaração que não teria crianças zumbis no jogo! Eu bem que gostaria que esse elemento fosse incluso(e que estava no trailer,até porque quer queira quer não o trailer vai mostrar o basico do jogo em forma de cinema,então temos praias combate corpo a corpo,zumbis homens,mulheres e criança zumbi-que não entrou no jogo!)

Achei que os desenvolvedores amedontraram nessa! Até porque tem jogos recentes que se utilizaram disso(serie Dead Space, Doom 3, Inferno de Dante)!

C. Aquino disse...

Hawk, de nada! É uma pena que os desenvolvedores não tenham facilitado o ajuste dos gráficos. Nem todo mundo gosta ou tem uma placa com suporte para o carnaval de efeitos que rola por aqui. Pode parecer bizarro, mas eu também gostaria de uma opção para tirar o sangue do jogo e o gore. Meu filho se amarra em zumbis de desenho animado, mas não posso permitir que ele veja as tripas voando em Dead Island...

Sobre a polêmica do trailer: eu já sabia que o jogo não iria corresponder. Os próprios desenvolvedores alertaram que não seguiria aquela linha. Infelizmente. Se empolgar com um jogo por causa de um trailer, ainda mais de CGI, não é aconselhável, mas raramente é algo que se consegue. O ideal mesmo é que o trailer chame a atenção, mas que a decisão de compra se baseie em pesquisa sobre as características do jogo e sobre o que mais o atrai. O mundo aberto, o cenário tropical, a ênfase em combate corpo a corpo (ou corpo a cadáver...) me chamaram a atenção. Finalmente, por incrível que pareça, Dead Island também não é um mata-mata descerebrado e existem alguns (raros) momentos de desespero e dor. A música que toca quando se retorna para a base não é de triunfo, mas de tristeza. Algo, ainda que nem tudo, daquele trailer está presente.

Sim. Dead Island poderia ter crianças zumbis. Deixaria o jogo mais pesado, mais triste, mais impactante. Como o Breno lembrou, Dead Space, Doom 3 e Dante's Inferno não se intimidaram diante da possibilidade, que também foi explorada em Prey, Bioshock... A cena inicial do primeiro capítulo de The Walking Dead é com uma criança zumbi e envia uma mensagem clara: "o negócio aqui é barra pesada". Uma vez que Dead Island se diferencia de Dead Rising justamente por não explorar a galhofa, acho que crianças-zumbi não seriam de mau gosto.

C. Aquino disse...

E não, não tenho nervos de aço. Mas Amnesia pode ter cauterizado alguns neurônios...

Com 7 horas de jogo, só morri uma vez. A chave é não se deixar cercar e ter para onde recuar. Os gritos são mesmo de arrepiar, mas os Infected que os emitem, ainda que corram feito loucos, são fáceis de matar. Mantenha a cabeça no lugar e paulada neles!

Devo fazer uma postagem com dicas para Dead Island, mas uma boa é: chute o morto-vivo, ele recua, pule e chute (seu chute será mais forte), o morto-vivo cai, se aproxime e destrua sua cabeça.

Shadow Geisel disse...

tá aí uma coisa que eu achei que facilitou muito os combates: essa opção de esmagar a cabeça dos zumbis caídos.
a falta de crianças deveria ser vista como uma falha, da mesma forma que um personagem humano e comum derrubar uma pedra de duas toneladas no braço (Resident Evil 5) ou das saltos de 8 metros sem se machucar (Resident Evil 4, ainda que isso seja um "atalho" para dinamizar a jogabilidade).
Skyrim, por exemplo, foi o primeiro jogo da Bethesda que eu joguei que tinha crianças. Acho que no Oblivion devia ter um encantamento para as pessoas já nascerem adultas. rsrsrs

"ênfase em combate corpo a corpo (ou corpo a cadáver...)

pensei que só eu tinha gostado da ênfase ao melee combat do jogo. jogar com armas é bem legal. enfrentar inimigos humanos é bem legal também. vai demorar um pouco, mas com certeza você vai gostar, Aquino.

Breno disse...

"da mesma forma que um personagem humano e comum derrubar uma pedra de duas toneladas no braço (Resident Evil 5) ou das saltos de 8 metros sem se machucar (Resident Evil 4, ainda que isso seja um "atalho" para dinamizar a jogabilidade). "

Cara não precisa lembrar o quão estupida a Crapcom é com o desenrolar dos seus jogos. Dei uma olhada nos trailers de RE 6 e vi qualquer coisa,menos um jogo de terror! Mas quando vc fala jogabilidade eu acho que se refere a cutscenes,mesmo que nessas vc tenha que apertar um botão ou 2!

Marcos A. S. Almeida disse...

É verdade Aquino , o chute neste jogo é tão importante quanto ter uma arma em perfeitas condições.Quanto á música também notei isto (e gostei), é muito melancólica.Alguns gostariam de um "rock pauleira" mas a Techland fez bem e inseriu a música apropriada.Quando inicialmente falaram que o jogo iria dar ênfase ás armas melee e que elas se quebrariam confesso que torci o nariz, mas a implementação dessas características ficou tão boa que não senti falta alguma de armas de fogo , apesar delas serem importantíssimas contra inimigos mais fortes.Percebi que você já está procurando por Mods.Vai experimentar um antes de jogar o Ryder White?

Shadow Geisel disse...

"Mas quando vc fala jogabilidade eu acho que se refere a cutscenes..."

Não, Breno. falo em tempo real mesmo. se você teve a chance de jogar Re4 deve ter se deparado (logo no começo) com umas escadas de 6 metros de altura. imagina ter que subir aquilo "degrau" por degrau. uma tortura. então, a Capcom coloca uma animação do personagem dar um salto que, na vida real, resultaria em duas pernas quebradas e algumas fraturas expostas.
quanto ao trailer de Re6, infelizmente concordo. acho que a Capcom deve estar achando que jogo de terror é jogo escuro. o pior é que eles já fizeram algo nesse sentido, na expansão Lost in tem Nightmares, na qual revisitamos a visita de Chris e Jill à mansão Spencer, atrás de Wesker. se não não viu, dá uma olhada no Youtudo. tem clima de terror; enigmas no estilo clássico; muita tensão (pois vc só conta com duas armas fracas e pouca munição) e uma boa atmosfera. podiam fazer isso no RE6 tranquilamente, se quisessem. mas parece que os games estão passando pelo mesmo processo vicioso que vem dominando o cinema há algum tempo: os filmes não podem inovar muito ou serem completamente originais, pois precisam agradar àqueles que entram num cinema para ficar se agarrando com a/o namorada/o ou que não entendem bulhufas de cinema ou do filme em questão. ou seja: as obras estão atadas à necessidade vampírica que a indústria impõe de vender ou ganhar dinheiro com bilheteria.

Marcos, concordo com vc sobre a escolha da música. não tem nada pior quando um jogo tem aqueles rockinhos mela-cueca feitos pra agradar adolescentes retardados (Devil May Cry). foi o caso do jogo Never Dead. eu tinha sentido pouco interesse pelo jogo, pois algo baseado em uma premissa tão estúpida raramente consegue ser original e bem acabado. depois que eu assisti a vídeos com aquelas músicas de rock, meu interesse foi do zero ao negativo. Metallica não é capaz de salvar um jogo ruim por natureza. se o DI tivesse esse tipo de trilha sonora, aí sim é que ele não teria nenhuma atmosfera de suspense ou terror.

Brebno disse...

Shadow: Não me irritei com os pulos de 8 metros. Se Leon fizer parkour então ta beleza! Agora Chris Derrubar uma pedra de 8 toneladas é ridiculo!

C. Aquino disse...

Marcos, eu pesquisei por mods, mas, por enquanto, não pretendo instalar nenhum. A maioria deles ou pretende aumentar drasticamente o nível de dificuldade ou, pelo contrário, se propõe a transformar o jogo em um banho de sangue de zumbis. Curiosamente, a dificuldade do jogo é justamente algo que me satisfez até agora. Eu não tenho o DLC Ryder White e ainda não decidi se pretendo comprá-lo. Alguém recomenda?

João Paulo Ferreira disse...

Shadow,a trilha do Never Dead é do Megadeth,e não do Metallica.

Shadow Geisel disse...

fica canastrão do mesmo jeito. mas veleu pela correção

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino | Seja um patrono!

My Playstation WallpapersXbox WallpapersPC Game Wallpapers

High Hell