Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamTwitterRSS

14 de março de 2012

Massa Crítica: A Ditadura do Mimimi e a Queda do Metacritic

(Publicado simultaneamente no Gemind)

Husk Na semana passada, um exército de zumbis cibernéticos produziu uma sangrenta invasão, com sangue nos olhos para destroçar toda a esperança, espalhar o Caos e massacrar os seus inimigos. Era o lançamento mundial de Mass Effect 3. Mas se engana quem pensa que eu estou falando dos Reapers, os inimigos da vez do novo épico de ficção-científica. Estou falando dos fãs e “fãs” indignados que marcharam como uma turba furiosa em direção ao sistema Metacritic com forcados, foices e tochas acesas. Um linchamento se iniciava. Enquanto a crítica especializada está dando uma média de 93 de 100 para o jogo da Bioware, os usuários baixaram a nota para um humilhante 35 na versão PC.

O Metacritic é um serviço baseado em uma excelente ideia: agregar notas de diversos sites de análises diferentes, oferecer link para as críticas na íntegra e disponibilizar uma média que deveria servir para o consumidor se orientar sobre um determinado filme, jogo, programa de TV ou álbum de música. Para fins de comparação e também porque tudo é social hoje em dia, o Metacritic caiu na armadilha de oferecer um espaço para análises de usuários comuns, gente como eu ou você que sua para comprar alguma coisa e gosta de dizer se gostou ou não. Nada que a Amazon já não tenha construído um modelo de negócios em cima.

O sucesso do Metacritic é tamanho que ele pode derrubar governos e coroar reis. O que poderia servir apenas como um guia de sugestões de compra, se transformou em um site sagrado, considerado por muitos como o senhor absoluto da verdade, principalmente na área de jogos. Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos revelou que jogos com média no Metacritic abaixo de 80 vendem mal, muito mal, raramente ultrapassando a marca de 100 mil unidades. Os 216 títulos com média acima de 90 lançados em 2011 conseguiram vender em torno de 700 mil unidades. Para boa parte dos consumidores, a nota 80 é o muro que separa os excluídos, que determina o que comprar e o que não comprar, independente das peculiaridades de cada título.

Homefront Um dos casos mais emblemáticos deste julgamento implacável foi o lançamento do jogo Homefront. O título produzido pela THQ foi uma grande aposta da empresa, com um investimento maciço em marketing. Porém, o jogo não era exatamente a segunda vinda de Mario na Terra. Suas notas iniciais no Metacritic foram abaixo do limiar dos 80. Resultado: queda nas ações da THQ no mesmo instante. Para jogadores e investidores os números falaram mais alto do que qualquer análise e o pânico se espalhou. Na verdade, as vendas de Homefront foram bastante expressivas, impulsionadas pela pré-venda. Mas os acionistas enxergaram a má recepção como um sinal para se desfazer dos papéis da THQ. Hoje, Homefront acumula uma média de 70 no Metacritic, o suficiente para passar em qualquer escola, mas a THQ continua em crise.

Porém, o verdadeiro bug no meta-sistema está no abuso perpetrado pela massa de manifestantes raivosos que agrega ruído à comunicação.

Megafone do Inferno

Mass Effect 3 já foi acusado de tudo e atraiu uma tempestade de reclamações poucas vezes vista. Para muitos, a série abandonou suas raízes de RPG e abraçou a jogabilidade de ação menos cerebral e mais parecida com os FPS. Essa mudança seria um plano de longo prazo da Bioware para maximizar as vendas, uma estratégia que já teria sido implementada em Dragon Age 2, sob ordens da nefasta EA. Para mim, é impossível julgar, já que ainda não me aventurei nem por uma franquia, nem por outra. De todas as acusações, a mais grave diz respeito ao DLC no dia zero. Contra a antiética prática de segurar conteúdo de um jogo para vendê-lo  no mesmo dia ou semanas depois na forma de DLC, realmente não há argumentos. Mas a solução mais óbvia, o boicote do DLC “From Ashes”, é uma abordagem inteiramente descartada ou praticada somente por uma minoria.

Em torno da mesma bandeira do ódio, Mass Effect 3 conseguiu reunir ao mesmo tempo RPGistas da antiga e homofóbicos de plantão. Em pleno século XXI, uma significativa parcela de usuários está insatisfeita com o fato de que a Bioware permitiu que outras pessoas possam jogar com um protagonista gay. Sem conhecimento de causa, influenciados por alguns vídeos e fotos circulando por aí, caem na fobia de que o jogo inteiro teria virado uma versão space opera de O Segredo de Brokeback Mountain. Primeiro: as situações que fazem alusão a um relacionamento homoerótico são esparsas e claramente sinalizadas; só embarca no papel quem está a fim. Segundo: assim como o citado filme, são tão contextualizadas e naturais quanto qualquer relacionamento heterossexual que já existe desde o primeiro jogo. Terceiro: se ainda estivéssemos nos anos 20, estaríamos reclamando do Shepard mulher; se ainda estivéssemos nos anos 60, estaríamos reclamando do Shepard negro. Contraditoriamente,  um dos linchadores de Mass Effect 3 escreveu no Metacritic (já removido): “Se alguém me fizesse escolher entre ser estuprado no reto por um padre ou jogar este jogo novamente, eu preferia ser sodomizado“. É, este é o nível das “críticas”.

Protestar contra tudo que acha errado no jogo não se resume a xingar muito no Metacritic. Na verdade, há uma petição em andamento para mudar o final de Mass Effect 3. Na improvável hipótese de que a Bioware aceite as exigências de uma minoria efusiva, seria a primeira vez na história da cultura que uma obra autoral é alterada porque a audiência não gostou. Criar-se-ia uma realidade paralela onde a arte não existe, onde Humphrey Bogart termina com Ingrid Bergman em Casablanca, onde Romeu e Julieta continuam vivos e onde Guernica nunca é colocada em exposição, porque é muito feia e faz lembrar coisas ruins. E ainda querem que jogos sejam considerados arte? Ou tudo não passa de um hambúrguer que você prefere sem cebolas?

Picasso - Guernica Picasso - Guernica

A maior parte dos ataques a Mass Effect 3 foi realizado no dia do lançamento, por pessoas que não jogaram, por pessoas que leram ou ouviram dizer sobre o DLC, sobre a existência de um modo multiplayer, sobre a opção gay ou sobre qualquer outro “defeito” que mobilize um indivíduo a criar uma conta e postar rancor. Não são análises. São gritos. Na expectativa de colocar para fora uma raiva cega sabotam a discussão de qualquer problema real que possa existir em Mass Effect 3. Ao invés de argumentos, ofensas (algumas pessoais aos desenvolvedores). Ao invés de conversação, imposição. O efeito danoso a médio prazo não afeta apenas a nota do jogo, mas toda a credibilidade do Metacritic. Essa massa vociferante atua no sistema como um  Google Bombing ou um DoS, alterando artificialmente em prol de sua própria agenda.

Talvez o Metacritic volte a ser como deveria ser e perca sua aura de guardião da Nota Suprema. Talvez se torne refém dos vândalos. Talvez perca totalmente seu sentido. Por que, não se iluda, além da Razão e da Civilidade, ele é a verdadeira vítima de toda esta história.

Mass Effect 3? Contra 686 reviews negativos, a Bioware responde com 900 mil unidades vendidas somente no primeiro dia.

Mass Effect 3

Ouvindo: Heimataerde - Dona nobis pacem

73 comentários:

Marcos A. S. Almeida disse...

Eu infelizmente tenho que discordar de vários aspectos de seu texto e melhor, você me apresentou uma razão á mais pra discordar quando diz "O sucesso do Metacritic é tamanho que ele pode derrubar governos e coroar reis".Isso é saudável pra quem se utiliza dele como fonte informação? É realmente interessante a concentração de tal poder em um só site?
Se existe um ponto pacífico na internet é quanto á liberdade de expressão.E todos nós gostamos de ter, praticá-la e exaltá-la por razões óbvias.É claro que como qualquer pessoa de bom senso eu desejo que ela seja exercida com o mais profundo respeito e educação , o que infelizmente não aconteceu nesse caso e foi o que invalidou o movimento.Mas protestar contra DLCs ou finais ruins eu acho totalmente legítimo, mesmo que injustamente acabe diminuindo a média da nota do jogo.O Metacritic que aprenda e faça um mecanismo mais eficiente, separando as dua médias definitivamente.O que nos garante que em outros jogos a análise por parte de jogadores/analistas não tenha sido equivocada também, mesmo que em menor proporção?Eu sinceramente não engulo as notas de Duke Nukem Forever até hoje , que no caso do Metacritic quem avacalhou a média foi justamente a "imprensa especializada".Quanto á homofobia não é necessário uma longa dissertação pra dizer que é uma idiotice de "trolls" , que é um mal que assola a nossa vida virtual , seja leitor ou dono de blog e até na nossa vida real, seja no trabalho ou na escola.Enfim , o protesto educado , em qualquer forma eu sou á favor e a internet nos proporciona isso como nenhum outro meio de comunicação.Se fugir disso , tô fora.E no final das contas , acho que deram uma dimensão á esse fato que sinceramente eu não entendo.

Jimmy666 disse...

O motivo de toda essa choradeira é o final do jogo!



*****S P O I L E R*******





Apesar de poder usar os saves do 1º e 2º jogo da série, não importa a decisão que você tome durante o jogo, no final Sheppard morre!
Eu nunca vi final de jogo mudar a nota dele, estou até estranhando esse borburinho todo.
Os fãs mimadinhos querem que a bioware lance um DLC para mudar o fim do jogo!
Nunca vi alguém mudar o fim de um livro ou de um filme porque algum fã não aprovou, ademais, a Bioware já alertava que a série não ia acabar, mas que seria a última com Sheppard como protagonista... acho que aí já residia um belo semi-spoiler do que poderia acontecer.
Eu ainda não joguei, achei a demo maravilhosa e se o jogo for do mesmo nível as resenhas estão condizentes com a realidade do jogo!

Jimmy666 disse...

Sempre que aparece uma promoção de um jogo desconhecido no STEAM, eu automaticamente rolo a página para baixo e vejo a média do metacritic de determinado jogo... se for abaixo dos 70 raramente comprarei...
Não acho poder excessivo, até porque o site em si não emite nota, ele apenas faz uma média dos revies que saem por aí.
É só olhar os jogos que ocupam a lista de melhores de todos os tempos no metacritic, são jogos que realmente merecem as notas que levam, simples assim.
E sobre os que reclamam dos elementos de RPG de ME, a Bioware lançou um sistema que desconfio que vai virar modelo nos RPGs que sairão daqui pra frente:
Você escolhe 3 modos quando começa o jogo:
Action mode, Story mode e RPG mode.
Em Action mode os dialogos são automaticos e voce se concentra na ação, em STory Mode o foco é nos diálogos e nas decisões com combates mais faceis e em RPG mode o jogo segue o esuqema de sempre.

Marcos A. S. Almeida disse...

Ehehehe, taí o "poder" do Metacritic:"se for abaixo dos 70 raramente comprarei..."

C. Aquino disse...

Jimmy, eu jurei que dedicaria ódio eterno àquele que entregasse o final de Mass Effect 3! Mesmo com seu aviso de spoiler, eu não resisti... Felizmente, era exatamente o final que eu imaginava, então me sinto muito mais aliviado agora e não vou odiá-lo para sempre... muito.

Marcos, o problema de meus textos longos é que eu eventualmente me perco e a essência do texto fica escondida. Então, permita-me esclarecer: também acho que o Metacritic tem mais poder do que deveria, também sou a favor da liberdade de expressão (naturalmente), também sou contra DLCs construídos com conteúdo que poderia caber no lançamento. Por medo de perder a essência do texto, coloquei em negrito uma única frase: "na expectativa de colocar para fora uma raiva cega sabotam a discussão de qualquer problema real que possa existir em Mass Effect 3". Esse é o problema: haters e fanboys poluem o debate e, na boa, queimam o filme dos demais "gamers". Seria muito mais produtivo se todos os "críticos" de Mass Effect 3 ficassem nos fóruns da Bioware, onde suas reclamações encontrariam ouvidos (ou não, mas aí é problema da empresa). Sem contar que o discurso de "não joguei, mas sei que é nota zero" não ajuda em nada...

Shadow Geisel disse...

meio difícil omitir uma opinião sem ter jogado o jogo. quanto a sites como o metacritic, não sei do que os jogadores tanto reclamam pois, em geral, a média das notas do público é sempre maior que a do site.

Marcos, como vc já terminou o me3?

essa opção de estilo de jogo é ótima. eu amo RPGs, mas nem todo mundo tem paciência pra aguentar meia hora de diálogo antes de começar a jogar. é horrível quando um jogo como o Oblivion é ótimo na parte RPG, mas peca completamente na parte da ação (que também é crucial para o sucesso de um jogo, afinal, jogos ainda precisam ser dinâmicos e ter interatividade que vá além de ler ter e escolher frases). aí, fazem um jogo feito o Skyrim, que é muito competente na parte da ação, e um bando de haters desocupados ficam fazendo beicinho por que ele não é tanto RPG quanto os outros. ah, vá pentear macaco!

C. Aquino disse...

Jimmy, esse esquema de Story Mode, Action Mode e RPG Mode pode ser uma boa solução para agradar gregos e troianos.

Shadow, complementando seu comentário, recentemente uma ex-escritora da Bioware insinuou que achava interessante a ideia de colocar um botão "pular combate" da mesma forma que existe a opção "pular cena". Veja bem: escritora, ela estava querendo dar uma OPÇÃO de privilegiar a narrativa para quem curte um jogo só pelo enredo. Foi perseguida na internet, ameaçada de morte(?!), xingada no Twitter e chamada de "câncer da Bioware". A mulher acabou perdendo a compostura e tentou brigar com os trolls, só piorou. Aí, quando a mesma Bioware coloca foco no combate em seus jogos e sacrifica a história, vem gente reclamar, ameaçar de morte...

Marcos A. S. Almeida disse...

Shadow , eu não comprei o ME3.O que disse é que o protesto é legítimo,no sentido de que é um direito, desde que feito com educação.Mas não disse que o final era bom ou ruim.Ou que o jogo era bom ou ruim.

Jimmy666 disse...

Marcos, se você se deparar com um jogo em promoção no STEAM e a nota dele no metacritic for de 49/100 por exemplo, você compraria cegamente?
- Sobre o final, acho que todo mundo já esperava isso, a própria Bioware alertou que não era o fim da franquia, mas sim o fim da Franquia com Sheppard!
Eu não zerei o jogo, mas foi tanta choradeira com esse tal final que não resisti e fui ver qual era!

Jimmy666 disse...

Já tentei jogar o Mass Effect 1... o jogo é maravilhoso mas tem tantos defeitos que comprometem a qualidade do jogo em si.
Mesmo frustrado com o ME1 dei uma chance ao ME2, o jogo me fez ficar de queixo caído, um dos melhores jogos da atual geração.
Baixei a demo do ME3 no Origin, gostei do que vi, o jogo está praticamente perfeito e alucinante!
Em ME2 a história se desenvolve à conta-gotas, dizem que a do 3 é num ritmo frenético...
Não vou baixar e jogar o pirata como fiz com o 1 e 2, como estou sem tempo vou deixar para pegar o original quando o preço estiver melhor ou eu estiver para entrar de férias como fiz com o Skyrim.

Jimmy666 disse...

Enfim, essa opção de pular os combates me parece interessante.
Poderia ser uma opção do modo "story", e como é uma opção, usa quem quer...por isso acho que as pessoas reclamam demais.

Marcos A. S. Almeida disse...

Jimmy é claro que é muito cômodo aceitar só a nota do Metacritic como última palavra , pois está ali junto com o jogo e no Steam que tanto confiamos.Mas vale pra vida , vale pros jogos: procure uma segunda opinião, conteste , não aceite uma única verdade por mais fácil e tentadora que ela seja.49/100 eu ficaria com uma pulga atrás da orelha mas aliada á um bom preço eu tentaria baixar uma demo ou ao menos ver um gameplay.Mas só o Metacritic , nunca.

Marcus Gonzallez disse...

Pelo que tenho lido o problema não é o final do jogo e sim, as decisões que se tomam durante os jogos não influenciarem em nada o final. Sendo assim, acho justa a reclamação. É muito frustrante você jogar um jogo que te promete decisões impactantes no universo do jogo e no final tudo vira bosta, como diria Rita Lee. Joguei apenas o 2, tenho o 1 e o 2, mas o primeiro não me pegou e eu sinto muito por isso. Vou jogar o 3, mas espero não me decepcionar. Na verdade nem estou tão empolgado em comprá-lo, o que me surpreende tendo em vista o quanto eu gostei do 2.

LocoRoco disse...

Essa invasão de notas ruins veio, principalmente, do 4chan com seus haters e trolls, que já não gostavam da Bioware depois do Dragon Age 2, SWTOR, e sobrou para o Mass Effect 3, que já era odiado muito antes do seu lançamento. "o Metacritic caiu na armadilha de oferecer um espaço para análises de usuários comuns" duas observações sobre a frase: acho equivocado pensar que seja algo ruim o site abrir um espaço para que qualquer um possa opinar. E segundo, fico pensando o que distancia nós, usuários comuns, da dita "crítica especializada". Para mim a única diferença é que suas opiniões estão em um site muito visitado e por isso são chamados de especializados, por que de resto, são apenas gamers normais. Acredito que o Retina deveria contar como um review do metacritic, tu não é menos "profissional" de games que eles. E para mostrar que o espaço dos usuários é válido, enquanto os especialistas dão 88 de metascore para COD: MW3, com 6 notas 100 e 10 notas 95, os usuários dão 3.2 de 10 com base em 7535 votos.

Raphael AirnMusic disse...

Também acho válida a opção do metacritic de deixar jogadores contestarem as notas dadas pelos especialistas, pra mim dá mais transparência e chega num valor muito mais aproximado da realidade.

O que eu faço, caso o jogo não me pareça interessante já e cara, é ver a nota do metacritic no steam. Dali, clicando no link, abro o site e leio rapidamente as resenhas com notas mais altas e as com notas mais baixas. Assim fica fácil ver se as notas baixas são por bobeira ou se as altas são puxação de saco gratuita.

Não é tão difícil de fazer e permite que seja construída nossa própria opinião, um negócio muito importante como ressaltou o Marcos, afinal se vamos gostar de algum jogo ou não, acredito que depende somente de nós mesmos.

Jimmy666 disse...

Mas o que seria uma segunda opinião se TODAS as opiniões estão reunidas no metacritic?
Pegue os jogos que tem as maiores notas do metecritic e se pergunte se existe algum que não mereça estar ali.Faça os mesmos para os jogos ruins.
Outra coisa, no mundo perfeito das produtoras, elas não oferecem um demo e não querem que você baixe o pirata certo?Então como faço pra saber se um jogo é bom?E o matacritic não é o único, existem outros sites que fazem a mesma coisa e até de forma mais competente.
Parece que existe algum complô dos nerdzinhos do 4chan contra a bioware, po, o jogo mals foi lançado e os caras já tinham zerado?E já tinham zerado de todas as maneiras possíveis pra saber se realmente os finais eram iguais?

Breno disse...

LOL as pessoas achando que o Metacritic agrega resenhas "especialistas",a maioria não passa de aprendizes de burros...

"Segundo: assim como o citado filme, são tão contextualizadas e naturais quanto qualquer relacionamento heterossexual que já existe desde o primeiro jogo." Ai fica até claro que vc não tenha jogado,visto que qualquer relacionamento em Mass Effect é obra digna de fan fiction!

Agora eu achei que muitas pessoas ficaram insatisfeitas com o final pelo fato de eles terem feito uma copia do final de Deus Ex! Show de criatividade!

"Jimmy, esse esquema de Story Mode, Action Mode e RPG Mode pode ser uma boa solução para agradar gregos e troianos."

A afirmação acima é impossivel de se fazer! NENHUM desenvolvedor ira conseguir fazer um jogo que reuna farmville e civilization 2 em um só,sem que haja compromissos que atrapalhe a um ou outro! Ou seja,não da pra satisfazer todo mundo,isso é um mito!

E a opinião de Jennifer(escritora que Aquino citou)é puro lixo!Ela é escritora de jogos,tem que saber como a coisa funciona!Se ela não gosta de jogos,ela pode escrever pra outra coisa!O outro lado da moeda é que a turma da Bioware é bem egomaniaca que não gosta de criticas!Logico que qualquer critica inteligente acabe se perdendo,mas defender só um lado não dá!

Breno disse...

Shadow: Vc diz que Oblivion é um bom RPG com pessimo combate?WTF?entendi errado? O jogo todo é só combate e tirada de perna...

Complementando: Faltou do ponto de vista de Aquino uma diferenciação entre os fãs do jogo,que até PAGARIAM por um final feliz(LOL) e os "trolls",que são os criticos,detratores "just for the LULz",outros... Logico que fazer um trabalho sobre o fã clube da Bioware iria requerer bastante trabalho e danos cerebrais...

Marcos A. S. Almeida disse...

Jimmy pergunta: "Mas o que seria uma segunda opinião se TODAS as opiniões estão reunidas no metacritic?"
Jimmy responde: "...E o matacritic não é o único, existem outros sites que fazem a mesma coisa e até de forma mais competente."
Resumindo: os caras fizeram o certo (protestar) da maneira errada (sem civilidade).Quando se abre um canal pras pessoas externarem sentimentos, não espere apenas elogios.Infelizmente existem pessoas entre nós seres humanos, que não se comportam como tal, é uma infeliz realidade e o próprio Metacritc - ou a Bioware - sabem disso.Se não sabiam, agora sabem!Na verdade isso é um aspecto mais filosófico, pois nós sempre esperamos o melhor do próximo e quando não vêm o melhor existe a decepção.Mas e então, esperamos o melhor ou o pior?Sinceramente não sei...

Marcos A. S. Almeida disse...

Taí, o Breno levantou uma questão muito boa: e se de forma EDUCADA centenas de fãs decepcionados com o final comunicassem á Bioware que pagariam ANTECIPADAMENTE por um final satisfatório?A questão da "obra de arte fechada" iria por água abaixo, mas e daí?Só eu ou vocês conseguem enxergar o aspecto revolucionário que ,caso a Bioware aceitasse, isso traria para os jogos eletrônicos?Dessa data em diante poderíamos financiar um final alternativo!Vejam as possibilidades!Hoje já se paga por um jogo que ninguém sabe exatamente como será, então por que não mais isto?Não deixa de ser um bom assunto para debate...

C. Aquino disse...

O Jimmy pegou pesado com o exemplo do jogo nota 49/100. Essa é nota pra reprovação! Agora, a dúvida mesmo é: nota 70? Você compra ou não compra? Você avalia ou confia na nota?

LocoRoco, a armadilha de permitir notas e críticas de usuários comuns é que não tem como fiscalizar se o sujeito jogou/ouviu/viu/leu mesmo o que está analisando ou se está dando uma nota baseado em outros interesses. Um profissional é um cara que obrigatoriamente experimentou o que está escrevendo (ou pelo menos deveria, sob o risco de perder o emprego). Na teoria, críticos especializados tem um embasamento maior, anos de estudo, experiência etc. Isso é mais verdade na crítica literária e bem mais raro de se encontrar na crítica de jogos, mas acredito que o mercado vá evoluir. Sobre a nota do CoD:MW3, fica a incerteza se os usuários estão com a razão ou se os fãs de Battlefield 3 sabotaram o sistema. É disso que estou falando: excesso de ruído atrapalha o que poderia ser uma avaliação mais honesta.

Raphael, você está 100% certo. Eu sempre leio as notas mais altas E as mais baixas. No meio disso, está a avaliação que eu quero. O que é um defeito para um crítico ou usuário pode ser uma qualidade para mim e vice-versa.

Breno, acredito sim que seja possível um jogo se adaptar a diferentes plateias. Aliás, é uma característica única da mídia que ainda não foi devidamente explorada. Não disse que é uma alternativa fácil, mas a desenvolvedora que conseguir vai fazer milhões.

Marcos, sua pergunta em cima da bola levantada pelo Breno é instigante. Financiar finais alternativos? Pode ser uma solução democrática: o final impactante que revolta é o final padrão, mas os fãs bancam algo mais feliz. Ou ainda mais louco. Infelizmente, acho que já sei onde isso ia terminar: finais em DLC. A desenvolvedora lança um final deprimente como padrão e cobra um por fora pelo final bacana...

Breno disse...

Marcos: Vc seriamente acha isso uma boa ideia? Bom, se vc for algum executivo com certeza,mas como consumidor...Então seria interessante também que os fãs financiassem o gameplay,a história,as armas apos ter pago pelo jogo...Chega de revoluções!!Se eles fizeram um final bosta,eles que arquem com as consequencias!

Breno disse...

Aquino: E eu creio na vinda de Jesus a terra! Mas entre o hiato da vinda dele(jogo que promete agradar hardcore e casual) surgem os falsos profetas(jogos marketeados para hardcores e casuais)!

Ou seja,só acredito vendo! No caso de Mass Effect 3 houve reclamações a respeito das opções de dialogos que ficaram bem menores que os antecessores! Será que isso tem haver com o Action Mode?

Marcos A. S. Almeida disse...

Breno sinceramente EU definitivamente não pagaria por isso, até porque já declarei públicamente ser totalmente averso á QUALQUER tipo de DLC.Mas EU não represento o mercado, e a opinião que EU emitir é um grão de areia no deserto.Mas se existir um um grupo grande de pessoas que pagaria e deseja isso ( como os que são ávidos consumidores de DLCs e afins)porque não?O próprio "crowndfunding" se dito por alguém á alguns anos atrás poderia ser taxado de louco: -"O que?Pagar por algo que não existe?Pela internet? Financiar um jogo sem saber se vai ser bom ou ruim? Isso é coisa de louco, lancem-no á fogueira!"
Sou um cara totalmente á favor da diversidade de escolha ( sou hétero, que fique claro) , não compro roupas pra personagem de game embora seja á favor da possibilidade porque têm quem goste e fico P*&$to quando alguém se acha melhor por jogar CoD do que "Fazendinha".

C. Aquino disse...

"não compro roupas pra personagem de game". E o pacote Steampunk do Killing Floor, senhor Dellphos? Ahahahahah. OK, KF é uma exceção, também comprei um pack de skins por um dólar para criar uma identidade na matança e dar uma força pra Tripwire. Esperta é a Valve que encheu Team Fortress 2 de chapéus...

Red. disse...

Nunca joguei nenhum jogo da trilogia Mass Efect, mas ver os próprios fãs da franquia boicotando o produto é uma coisa triste. Não sei se é a primeira vez que isso acontece em relação a essa mídia, mas dá para perceber que movimentos do tipo tendem a aumentar.

É um dos motivos que me deixam decepcionado com a comunidade gamer atual. Ao invés de direcionar seus esforços para uma causa REALMENTE justa e que beneficie de verdade a todos (contra DLCs abusivos, ou jogos relançados centenas de vezes com uma ou duas diferenças em relação ao original, por exemplo), focam-se em alterar algo que não lhes agrada, simplesmente porque não foi do jeito que queriam.

Com essa mentalidade, recomendo a muitos dessa classe de fãs a largarem os gamepads e pegarem uma mamadeira.

(Não estou criticando quem não gostou de ME3. Para mim todo ser humano tem o direito de gostar e desgostar do que bem entender. Meu comentário refere-se apenas aos atos de parte da comunidade gamer.)

Breno disse...

so uma correção ao post: a primeira foto não é um reaper e sim um husk, uma especie de zumbi!

Jimmy666 disse...

Se a Bioware der pra trás e lançar um final alternativo eu acho que é o começo do fim.

Breno disse...

O começo do fim e o inicio de uma nova trilogia lol!

Valber disse...

Diante dessa polêmica envolvendo Mass efffect e seus fãs, fiquei muito mais fascinado com o outro lado da moeda, que são fãs apoiando estudios com jogos que as publishers nao dão a mínima. O fenõmeno do kickstater tem tudo pra dar um chute no estômago da ganância dos grandes da industria. Como o jogo é financiado por fãs, entao ha uma chance maior do estudio se manter fiel à sua fanbase. Quem diria que Wasteland 2, um RPG relegado ao esquecimento, seria anunciado! Com estilo semelhante aos primeiros Fallout, e combates por turno, quando ninguem mais apostava nisso.

Ah, e Baldur's Gate Enhanced Edition foi anunciado. Será isso um sinal do fim do mundo?? Aliás, o que é Mass Effect mesmo? hahahahahh

Marcos A. S. Almeida disse...

Eheheheheheehehheehehehehe! Eu sabia que alguém iria falar sobre essas skins!Eu não comprei,ganhei no último festival de férias do Steam.Cumprindo alguns achievements ganhava-se tickets e depois de acumular 10, acho eu, podia trocar por alguma coisa e eu escolhi as skins do KF.
Já Team Fortress têm um esquema muito legal: além de vários jogos darem como bônus alguns chapéus , como por exemplo ao comprar o L4D2 ganha-se o boné do Elis para o Team Fortress,também existe um esquema que você pode fabricar outros itens através de itens duplicados que temos no inventário.Muito legal.

Shadow Geisel disse...

"O jogo todo é só combate e tirada de perna..."
Aposto meu braço esquerdo como esse é mais um jogo que você não jogou. Como você espera que um personagem NA IDADE MÈDIA chegue aos lugares? por meio de teleporte (mágica essa que não existe no jogo)? as quests do Oblivion são ótimas; a história é muito boa; ele é bem melhor que o Skyrim nesses aspectos, inclusive em música e ambientação. Breno, desencana: só porque você consagra o Morrowind como o RPG mais completo de todos os tempos, não quer dizer que outros jogos depois dele não possam ser bons.

Breno disse...

E quem disse que eu joguei Morrowind,ta me confundindo com Aquino é?Esqueci de falar sobre o fast travel,e a serie Elder Scrolls é uma serie de fantasia,então...E pelo que eu saiba,dava para o personagem levitar para qualquer local do mundo em Morrowind,então expresso canelinha nem sempre foi o meio de transporte predominante na serie!

Como é estruturado as quests em Oblivion: História, va para o local, combate,volte, fim da história! Bem basico pra um RPG com letras maiusculas!

História de Oblivion: Tem uns portais do inferno aberto por ai que o reino não da a minima,pode fechar ele pra gente plz(mas só se tu tiver tempo blz)

E ja que vc citou Morrowind,então fica a pergunta? Vc ja jogou algum jogo da serie Elder Scrolls? Se sim,como se compara?Se não, o que vc ta esperando?

Breno disse...

Complementando:ja jogou algum jogo da serie Elder Scrolls fora Oblivion e Skyrim?

Jimmy666 disse...

De novo essa discussão?
Com certeza ele vai dizer que não jogou e vai criticar...
Eu joguei ME1, não gostei, quem jogou e gostou, parabéns, não vou demonizar tudo e todos por isso, sejam felizes!

Breno disse...

Mas,mas... os especialistas deram notas perfeitas para Mass Effect 1,como vc pode não gostar? Se vc não gosta de ME1 ou vc tem serios problemas de cabeça ou é um troll safado,heheheh!

Breno disse...

O que eu não entendi nesse artigo é porque diabos o Aquino coloca o Metacritic como vitima dessa história! Os caras recebem um monte de visitas,cadastros novos,para eles simplesmente darem nota baixa para um jogo só!o maximo que vai acontecer com o Metacritic é ganhar mais dinheiro com propagandas! Comparações com Google Bombing e ataques DoS soaram ridiculas,me desculpem!

Agora entre a agenda de pessoas insatisfeitas com ME3 e a agenda da EA/Bioware e jornalistas pagos para eleger a mais nova merda do ano como jogo supremo,eu não compro a visão dos jornalistas! Mass Effect é o tipo de jogo que se vende simplesmente pela apresentação,onde a substancia sempre foi mediocre,do primeiro ao terceiro,mas vai ser duro achar essas informações com os "especialistas"!Curtam suas cutscenes!

Shadow Geisel disse...

Breno, desculpa mas perdi a paciência de discutir essas coisas contigo. só pra não dar uma de "quem cala consente": o fast travel é um recurso do para ADIANTAR O SEU TEMPO DE VIAGEM, e não um teleporte. se você tivesse jogado algum jogo dessa série, perceberia que as horas passam e quaisquer modificadores de atributos são alterados depois que a viagem acaba. se não houvesse esse recurso seria IMPOSSÍVEL e INTRAGÁVEL jogar qualquer jogo da Bethesda. você constataria isso por conta própria se tivesse jogado. outra: só por que eu só joguei o Oblivion (quase TREZENTAS HORAS) e Skyrim (CENTO E POUCAS HORAS) quer dizer que eu não posso julgar se um jogo é bom? que diabos de critério é esse que vc usa? então, pela sua lógica, sua opinião vale menos que merda, pois vc nem jogou os jogos e ainda quer que os outros acreditem que vc tem uma "visão além do alcance" que te permite enxergar buracos de enredo e falhas lógicas em jogos que vc nem jogoou. me poupe. quando suas opiniões tiverem algum embasamento de alguém que sabe do que está falando, terei o prazer em argumentar. abraços.

Patrick disse...

Quem disse que dar notas é fazer critica? Quem disse que existe uma critica de games solida no mundo? Pelo que eu sei um Critico de nível é um David Bordwell/André Bazin da vida (cinema) eu ainda não vi isso nos games. O público gamer parece ser o único que confia no metacritic, porque esse mesmo publico consome games como você citou ''hamburger'', para o gigante público de games eles são isso; um produto para ser consumido, paixão não existe... Arte que po*** é essa (pra esse pessoal)?

Breno disse...

Ei sei que toda a serie Elder Scrolls usa fast travel bobinho,nem sei porque vc ta se zangando por causa disso,a e tem tambem os cavalos,porra vc jogou o jogo 300 horas e não citou isso!

E outra, jogar o jogo 300 horas não vai te dar o direito de dizer que o jogo e bom,somente te da o titulo de fanboy da bethesda! Pra dizer que o jogo é bom,vc tem que dar o porque,argumentar a respeito!
Quais são os argumentos que vc usa para dizer que a história e boa,as quests são bem elaboradas,etcetera?300 horas de jogo? Não me convence!

Breno disse...

P.s. Pra alguem que "não jogou" o jogo,minhas informações tem mais procedencia que certos fanboys raivosos com a honra violada!

Jimmy666 disse...

Se o cara jogar 300 horas de um jogo ele é automaticamente um fanboy?
Fats Travel agora é um defeito?Sem esse recurso o jogo ficaria intragável.Jogo é pra ser divertido, e não punitivo.O Fast Travel está ali como opção, se você prefere andar pelos mesmos lugares milhões de vezes, sinta-se a vontade, o recurso não é obrigatório.
Breno, tu é muito tr00zão bixo, larga desse fundamentalismo e abre a cabeça!
Mass effect pra PC tem uma média de 89 no metacritic, com certeza a nota seria bem maior se não tivesse um e outro problema.Não deixa de ser um bom jogo, o fato de eu não ter me habituado não quer dizer nada!

Breno disse...

"Fast travel é um defeito"?

Agradeceria se vc me apontasse onde eu falei que fast travel,como design,é um defeito,mas vc prefere me chamar de Tr00l ao inves de ser razoavel!

E se ele não é um fanboy ele é o que?Fanboy é o pejorativo de fã,e se o cara jogou 300 horas é porque ele é fã não é mesmo?


Como o senhor é um cara de gosto refinado,talvez vc gostasse de Mass Effect 1 se ele tivesse nota de 92 pra cima não é? Que pena que vc não se "habituou"(larga disso e diz logo que o jogo é uma MERDA,porra se tu não gostou por que ficar dizendo que o jogo é bom?)!

Jimmy666 disse...

Fã é uma coisa, fanboy é outra.
Eu tenho mais de 400 horas de Killing Floor, mais de 250 horas de Modern Warfare 2, mais de 200 de TF2...
Mesmo assim não me considero "fã" de nenhuma das séries acima.A única coisa que sei desses 3 jogos é o nome da produtora.
Pra mim um fã é o cara que conhece a fundo determinada coisa, coleciona coisas relacionadas e ela, etc.
O fato de o cara ter jogado 300 horas não significa que seja fã.
Já fanboy é pior ainda, fanboy é um termo usado para descrever uma pessoa fanática por alguma coisa.
O cara disse que jogou 300 horas, gostou do jogo mas que "não era o RPG definitivo".Não vi comportamento de fã, muito menos de fanboy.
Quer saber porque desisti de ME1?Porque achei os combates muito difíceis!O jogo é bom, mas pra mim a parte da ação era intransponível, falha minha!

Shadow Geisel disse...

"e se o cara jogou 300 horas é porque ele é fã não é mesmo?". o que vc sabe sobre mim para me chamar de fanboy? Se eu fosse fanboy da Bethesda, teria jogado os outros Scrolls, coisa que não fiz. joguei 300 horas de oblivion por ele ser um jogo muito bom. não falo os porquês de eu considerar isso, pois seria bastante chato para o comentário do post. para isso, criei um blog. mesmo com jogos melhores (inclusive da própria Bethesda) eu preferia jogar o Oblivion (mesmo com os defeitos que ele tem). será que gostar de alguma coisa é ser fanboy? deve ser por isso que vc não joga nada e ainda se acha entendido no assunto: pra quando a discussão esquentar vc não ser chamado de fanboy. muito pior que ser um fanboy é ser um ignorante que pensa que tem conhecimento de causa. Joguei o Oblivion debaixo de todo tipo de piada e comentários sobre a batalha, o visual dos npcs e outras coisas. se o jogo não fosse realmente bom, será que valeria o esforço?
Não se preocupe: se houver alguém que possa violar a minha honra, não é um troll desgostoso com a vida como vc, Breno. não fui eu que fiz o Oblivion. qual motivo eu teria pra me sentir ofendido. Só não acho que vc possa debater no mesmo nível, pois fala de algo que não conhece. vc é tão inocente que acha que opiniões, por mais precisas que sejam, podem passar por cima do sentimento que um jogo causa em determinadas pessoas. sabe aquela coisa, de qualidades que superam defeitos? por que vc não cita as suas fontes que fazem vc ter a opinião que tem, já que vc não joga, apenas lê a respeito? medo de ser analisado? metacritic? game trailers? algum site estrangeiro com nome legal em inglês? diz aí. de onde vem tanta inspiração para palpitar sobre o desconhecido?

Shadow Geisel disse...

nota: só citei a quantidade de horas com os dois jogos para demonstrar que tenho certa experiência sobre o que estou debatendo, diferente de vc.

João Luiz disse...

morrowind não tem fast travel.

quem realmente jogou ele sabe disso...

Jimmy666 disse...

Mas não ter fast travel é uma qualidade?

João Luiz disse...

claro que não. jogue morrowind e depois de 200 hr tu vai ver como é bom ir de um lugar ao outro do mapa...

Valber disse...

Na verdade, da pra viajar de uma ponta a outra do mapa em Morrowind em poucos segundos, usando scrolls de levitação, quando vc ja é rico o suficiente pra comprar varios deles. Acho que a partir do nivel 8 ou 9, o jogador so perde tempo caminhando se quiser. Sempre me abastecia de scrolls em Ald'ruhn. Ate me lembro agora: Scroll of Windwalker - Levitate 500 pts for 60 secs on Self

Valber disse...

Alem do fast travel de cidade pra cidade, usando os Silt Striders.

Alis, acho que vou dar mais um motivo pra Aquino reinstalar Morrowind:

http://www.youtube.com/watch?v=PRUadDc1onc

Breno disse...

Tem fast travel no Daggerfall ou não seu Luiz?

Shadow: Se vc parar de fazer acusãções levianas a meu respeito eu paro de dizer que vc é fanboy de Oblivion blz?

João Luiz disse...

valber, isso não é fast travel.

tem também as magias de mark, recall, as balsas e a estátua em vivec que dá a benção de levitar por muuuito tempo.

mas isso também não é fast travel.

eu preferia que tivessem as duas coisas no jogo, pra agradar a todos, mas não dá pra levitar no oblivion por causa das cidades.

Shadow Geisel disse...

Breno, vc não tem nenhum embasamento para me acusar de fanboy, além do fato de eu ter jogado 300 horas de um jogo. já as minhas "acusações levianas" são palavras suas mesmo, quando fala que nem jogou um jogo e acha que pode dar opinião.
só pra encerrar o assunto, daqui pra frente não discutirei mais contigo, a menos que vc afirme que jogou o jogo X que está sendo debatido.

Breno disse...

Ok,confesso, eu joguei Oblivion,pode debater comigo agora Shadow?E o embasamento que eu usei para te chamar de fanboy,alem das 300 horas é que vc se zangou a troco de nada nesse debate,coisa de fanboy!

João Luiz: Tem que ter muita boa vontade pra chamar aqueles vilarejos de cidades em Oblivion!

E ja que o assunto é fast travel:
Fast travel em Daggerfall(tem uma imagem no site):
http://www.destructoid.com/blogs/bustaballs/skyrim-is-a-huge-disappointment-216058.phtml

compare ess com o de Oblivion,Fallout 3,etc...

Shadow Geisel disse...

Valeu pela tentativa, mas vc tá mentindo. não jogou o Oblivion coisa nenhuma. se tivesse jogado saberia que, apesar de todas as suas falhas, ele é um jogo inesquecível em vários aspectos. tem certeza que gosta de RPG, cara? falei que vc era um troll desgostoso com a vida porque é essa a impressão que vc nos passa, a de um cara que não consegue se divertir com nada. só fala mal e não sabe relevar um defeito em prol de outras qualidades. quero te propor um desafio: vc fala de um jogo, música ou filme que, mesmo vc sabendo que não é lá essas coisas, conseguiu te cativar ou divertir. daí a gente discute de uma forma totalmente descompromissada, sem levar muito a sério ou ser exageradamente exigente ou crítico. vc consegue falar de algo que foi bom pra vc? ou só sabe enxergar falhas em tudo. se jogos fossem perfeitos, seriam feitos por deuses, e não por seres humanos.

P.S.: não dou o braço a torcer: falar de algo que não vivenciou é puro amadorismo.
abraços.

Valber disse...

João Luiz,
Eu quis dizer que depois do personagem se tornar poderoso, tem tantas opções de viagem instantânea no jogo que fast travel ficaria ultrapassado. Sem falar no mod que linkei (o silt strider continua com rota definida, mas vc pode sair dele quando quiser).

Agora é claro que pra chegar lá, o cara vai passar umas boas horas vagando pelo mapa e se perdendo, principalmente nas primeiras horas.

E agora fiquei confuso. Será que li direito la em cima? Breno nunca jogou Morrowind ???

Breno disse...

Na verdade eu diria que Oblivion é um jogo esquecivel em varios aspectos,exceto pelo hype que gerou!

Mais acusações vindo do fanboy,que agora está se rebaixando a fanbaby hehe! Então vc descobre se alguma pessoa jogou ou não pelo gosto pessoal da mesma? Quer dizer que Oblivion não pode legitimamente ser desgostado por uma pessoa que jogou o danado! Isso ta ficando patetico!

Se agente for pegar o começo da discussão,eu nem cheguei a falar mal de Oblivion,apenas citei que é um jogo centrado no combate,mas foi o suficiente para seu fanboy interior se irritar e defender a honra do seu jogo amado,com acusações pessoais! Discussão saudavel para mim é eu ter a liberdade de dizer que o jogo é uma MERDA sem se preucupar com cavaleiros brancos partindo para a defesa dele!

C. Aquino disse...

Discussão saudável para mim é eu ter a liberdade de dizer que o jogo é uma MARAVILHA sem me preocupar com cavaleiros negros partindo contra ele!

Shadow Geisel disse...

Você tocou exatamente no ponto em que eu queria chegar, Breno: como diabos vc pode dizer que tal jogo é uma merda SE VOCÊ NÃO JOGOU PRA SABER? não me irritei com as suas críticas (infundadas) sobre o Oblivion. eu também gosto muito de outros jogos que você já falou mal (pois é a única coisa que vc sabe fazer), como resident evil 5. a questão é que eu não aceito argumentos de uma pessoa que não sabe do que está falando. criticar só por criticar? pra mim, isso não é ter opinião. se o Aquino jogasse o Oblivion e fizesse um inevitável "X coisas que eu detesto no Oblivion", pode ter certeza que eu estaria presente para despejar as minhas frustrações e queixumes com esse jogo. e você? como ia participar da discussão se não vivenciou os problemas que seriam discutidos.

P.S: falar de algo que não conhece, pra mim, nunca deixará de ser uma tremenda prova de amadorismo. EVER

Breno disse...

Shadow porque vc não faz um formulario "como discutir jogos" e coloca seu checklist para as pessoas preencherem?Gostaria de saber o que faltou no prerequisito do Oblivion! Deveria ter jogado mais 30 horas? Deveria ter fechado X portais? Adquirido uma Daedric Armor e Glass Sword?Matado X minotauros? GOSTARIA MUITO de chegar no seu nivel de intelectualidade em Oblivion!!

P.s. Por favor pare de ficar dizendo que eu não joguei Oblivion! Fica ridiculo de sua parte sair por ai acusando os outros e se sentindo ofendido quando é taxado de fanboy! Eu deixei bem claro nas discussões anteriores que EU Não JOGUEI SKYRIM! Ficou claro ou quer que eu desenhe! EU JOGUEI OBLIVION,EU NÂO JOGUEI SKYRIM!

Breno disse...

E outra: Vc disse que minhas criticas são infundadas mas até agora não deu 1 porque de elas serem infundadas! Se vc não quer elaborar uma replica a respeito nessa sessão de comentarios,tudo bem! Mas sem levantar acusações levianas por favor!

Breno disse...

Bem que eu gostaria de falar de jogos que eu gosto,mas como a maioria dos jogos que o povo cita é lixo então fica dificil,hehe!

Shadow Geisel disse...

Acusações infundadas? em qual momento vc tinha deixado claro que havia jogado o jogo (sem ser irônico)? você pode me chamar de fanboy quantas vezes quiser, mas deve ser lembrar que, quase todas as vezes que falo desse jogo, cito o fato dos combates quase estragarem a experiência do jogador, entre outras falhas , como visual risível dos npcs. isso, ao meu ver, não parece comportamento de fanboy. fanboys só veem qualidades boas em tudo. da mesma forma que haters (como parece ser o seu caso) só veem defeito em tudo. como no caso, em um dos posts, que vc questiona o (irrefutável) mérito no quesito visual que o RE5 tem. só pq vc não gostou do jogo, de repente ele é feio, ridículo, não tem história.
você quer que eu jogue mais 300 de Oblivion para poder me lembrar de todos os momentos que me fizeram chegar a conclusão de que esse jogo é bom ou memorável? desculpa, mas tenho mais o que fazer.

P.S: falei que suas críticas eram infundadas com base na premissa de que vc não tinha jogado o jogo e tava dando pitacos com base no que leu por aí (coisa que vc não pode estranhar que as pessoas pensem, uma vez que vc se achou gabaritado para entrar em uma discussão sobre o Skyrim sem nem ter jogado).

Breno disse...

Ok e qual é o merito "visual" de RE5? O jogo copiou um monte de animações de RE4, não há fisicas no jogo(compare ele com Dead Space,que apesar de não ser lá essas coisas ainda ta bem melhor que RE5)e os filtros são feios! Eu dei um exemplo de um jogo feito em 2007 que tem visuais tão atuais e bem superiores ao RE5!

RE5 não é revolucionario em termos de graficos! Se a capcom fosse disso ela estaria desenvolvendo seu proprio hardware e fazendo jogos mais bonitos que o da geração atual!

P.s. Não saia da tangente,porque vc se zangou tanto por que eu falei que Oblivion é um jogo centrado em combate e exploração? é isso que da querer rotular os outros!

Breno disse...

E também não é o caso de dizer que eu joguei Oblivion! VC,shadow, levantou a pedra pra dizer que eu não tinha jogado! Isso aqui mais parece um julgamento! Se a pessoa não quer debater,fica na dela! Agora a sessão de comentarios fica uma porcaria com essa troca de acusações!

Shadow Geisel disse...

"E também não é o caso de dizer que eu joguei Oblivion!"
Cara, deixa pra lá. agora você conseguiu me confundir. vai tentar se divertir com algum jogo que vc goste que eu vou tentar fazer o mesmo. meu fim-de-semana passa voando demais pra ficar perdendo tempo desse jeito. depois a gente trolla um ao outro quando o post tiver mais a ver com RPG.

José Guilherme Wasner Machado disse...

Em tempo, não sei o final sem exatamente porque estão reclamando dele. Dito isso, acho o texto do Aquino extremamente válido. Mas devemos ter cuidado para não jogar todos os críticos na vala comum dos "haters". Não acho necessariamente negativa a iniciativa da petição, e falo isso do ponto de vista da própria desenvolvedora. Também não acho que todos os games (ou sequer a maioria) necessariamente possam ser classificados como arte. Portanto, não penso que o "tombamento histórico" obrigatoriamente se aplica a eles ou os beneficia, sempre. Escrevi há pouco um texto sobre esse tema, está no meu bloguinho, caso alguém se interesse:

http://www.planetoidex.com.br/2012/03/peticao-para-mudanca-do-final-de-mass.html

Jimmy666 disse...

O ponto X da questão é:
UM ótimo jogo pode receber notas ruins de usuários que estão usando o final do jogo como argumento único?
Todo o resto do jogo é ruin?Já li bons livros e vi bons filmes que o final não foram necessariamente o ponto alto da obra.Nem por isso minha vida acabou ou queimei os responsáveis na fogueira santa!

Jimmy666 disse...

Esse blog Planetóide X era muito bom, foi por ele que conheci o retina.
Vai começar a ter atualizações?

José Guilherme Wasner Machado disse...

Obrigado, Jimmy666... mas não sei responder. A princípio, quero fazer um review de Mass Effect 3, assim que terminá-lo. Depois, não sei.

Abraços!

Jimmy666 disse...

A quem interessar, uma excelente matéria:
http://www.girlsofwar.com.br/2012/mass-effect-3-polemica-do-final-e-teoria-da-doutrinacao-spoilers/

Jimmy666 disse...

Estou achando que foi intencional, pelo barulho que está gerando:
http://www.baixakijogos.com.br/noticias/23154-coluna-nao-gostou-do-final-do-jogo-bata-o-pe-alguem-pode-te-ouvir

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino

My Playstation WallpapersXbox WallpapersPC Game Wallpapers

The Walking Dead