Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamTwitterCanal no YouTubeRSS

16 de março de 2021

(não) Jogando: Xotic

xoticO "exótico" FPS Xotic é daqueles títulos que fazem você pensar: o que define um jogo de tiro? Quais elementos são fundamentais para definir um título nesse gênero? O que seus desenvolvedores tinham em mente quando engendraram essa abominação? O que eu estou fazendo aqui?

Em uma história enrolada que não tem qualquer impacto na jogabilidade, uma vez que o título não apresenta enredo nem mesmo no que chama de campanha, somos apresentados a um universo em que planetas e suas formas de vida foram corrompidas por uma ameaça cósmica e nós somos a resposta. Nós somos o ser bizarramente modelado que irá purificar esses mundos na base do chumbo grosso, atirando em tudo que existe e ganhando pontos por isso. No caminho, haverá outros inimigos armados que conseguiram ser pior modelados do que você. É quase como se alguém quisesse juntar a adrenalina dos arcades com o "mondo loco" de um Zeno Clash, mas sem saber muito bem o que fazer nos dois extremos.

Para não dizer que não há nada interessante em Xotic, é bom destacar seu armamento orgânico que está preso no braço do protagonista, que se reconfigura para assumir funções bem conhecidas do gênero, como uma metralhadora, um rifle de precisão, uma escopeta etc. A arma é visualmente mais elaborada e repulsiva do que, digamos, Exodemon, mas não importa o quanto você evolua, ela continua parecendo pouco eficiente em qualquer configuração.

O design dos níveis é sofrível, lembrando algo que você teria visto em FPS de baixa qualidade dos anos 90, um clone de Unreal mal-executado. Entretanto, Xotic é de 2011 e não faz jus nem mesmo à era em que foi lançado.

Xotic 01

Xotic 03

A proposta é que você acumule a maior quantidade de pontos em cada área e compare seus resultados com um ranking online global, incluindo seus amigos no Steam. Foi divertido nos primeiros mapas, quando percebi que minhas habilidades não estavam aquém de camaradas que sei que são veteranos em jogos de tiro. Esse estímulo foi sumindo aos poucos, na medida em que me dei conta que fui mais longe do que eles e que eu, muito provavelmente, estava indo além do ponto em que Xotic claramente se torna repetitivo.

ranking

A necessidade de se pontuar bem quebra o ritmo do que poderia talvez ser um FPS mediano. Então, me flagrei escavando cada canto obscuro do mapa em busca de troféus e itens que oferecem bônus, enquanto, ao mesmo tempo, a demora em fechar o mapa contribui para reduzir esses mesmos pontos. É um dilema de difícil resolução.

Por outro lado, os conflitos que emergem da troca de tiros contra os poucos oponentes não são divertidos. A Inteligência Artificial é estúpida e os mapas são praticamente lineares, corredores transformados em arenas lotadas de pontos brilhantes por toda parte. Os piores inimigos são esponjas de balas com armas poderosas que te despedaçam com facilidade.

Percebi que estava repetindo o mesmo mapa várias vezes, em cada uma delas parando para coletar pontos, apenas para ser fulminado perto do final e ter que refazer tudo outra vez com o propósito de ser o jogador 26345 do ranking mundial, ao lado de estranhos, uma vez que meus amigos desistiram muito antes e nem chegaram nesse ponto da "campanha". Foi uma jornada que rendeu três vídeos no canal, mas, em nome de minha sanidade e de minha audiência de três pessoas, é hora de tentar novos ares.

Ouvindo: Amy Winehouse - Take the Box

Nenhum comentário:

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino

Cyanide & Happiness - Freakapocalypse