Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamTwitterCanal no YouTubeRSS

18 de outubro de 2018

Enviando um SOS

sos

Era uma tragédia mais ou menos anunciada, mas os desenvolvedores da Outpost Games confirmaram o inevitável: SOS será desligado permanentemente a partir de 12 de Novembro.

O jogo que foi concebido inicialmente com uma premissa que o destacava na multidão e poderia ter sido o pioneiro de um novo subgênero acabou amargando o desinteresse dos jogadores. A mistura de reality show com gerenciamento de confiança, traições pelas costas e a sobrevivência do mais forte em uma ilha paradisíaca pegava a fórmula e a atmosfera de No Limite e levava às últimas consequências em um mata-mata que só se tornava ainda mais vibrante com o acréscimo de criaturas medonhas e uma infecção contagiosa.

Mas, lamentavelmente, SOS estava muito fora da curva para seu próprio bem.

Nesse momento, a Outpost Games resolveu dar o tiro no pé definitivo: converter seu jogo singular em mais um Battle Royale e, quem sabe, atrair novos jogadores e suas carteiras. Apesar de se tornar um título relativamente sólido dentro do gênero que varreu a indústria, SOS acabou sofrendo duras críticas dos fãs antigos, que se sentiram abandonados, e dos jogadores que deveria ter atraído, ironicamente por não trazer nenhuma novidade ao cenário pelo valor que cobrava. Sem jogadores, um título multiplayer não sobrevive.

Tardiamente a desenvolvedora resolveu adotar o modelo F2P, oferecendo o jogo gratuitamente e tentando sobreviver de microtransações cosméticas, jogando para o alto de vez qualquer sombra de controle artístico, atmosfera ou mesmo bom senso. Os jogadores vieram aos borbotões e logo partiram novamente, seja de volta aos líderes do mercado, seja em busca de outras praias igualmente gratuitas.

O ocaso de SOS estava completo.

Depois de rodar o jogo no limite do aceitável, retornei a ele recentemente, já com muito mais memória RAM do que antes e com uma placa de vídeo vastamente superior. Surpreendi-me ao perceber que SOS tampouco era o SOS que me consagrou duas vitórias inéditas em Battle Royale, sofrendo uma nova mutação em sua versão gratuita. O tenso jogo de gato e rato que havia antes, onde uma partida poderia se estender por 15 ou mais minutos de uma frenética caçada por armas melhores e esconderijos adequados, havia sido trocado por uma profusão de caixas de itens por todos os lados, um mapa que encolhe em velocidade vertiginosa e um mata-mata sem tática ou malícia entre personagens com skins estranhas. Nem mesmo o conceito do gênero havia sido poupado pela Outpost Games em sua luta desesperada para não tombar: o que se via ali era na verdade um deathmatch tradicional, exceto que, quando você morre, você não ressuscita imediatamente para manter o ritmo e a adrenalina, mas aguarda outra oportunidade em um lobby. Depois de duas partidas, entendi o sentimento dos fãs da versão "clássica": o jogo que eu conhecia estava morto.

Ouvindo: Corvus Corax - Dulcissima
Seu apoio é muito importante! Ajude esse blog a crescer! Patreon

Nenhum comentário:

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino | Seja um patrono!

We Happy Few