Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamTwitterCanal no YouTubeRSS

1 de julho de 2018

(não) Jogando: Awesomenauts

awesomenauts

Ao começar a preparar essa análise, me dei conta que não tirei uma única foto de Awesomenauts, ou Bacanonautas como meu filho insiste em chamar, ainda que eu tenha tentado emplacar a "tradução" Maneironautas mais usada por aí. Mesmo com 11 horas marcadas no Steam, essa ausência de imagens é um claro indicativo do interesse que o jogo gerou por aqui.

Não me entendam mal. Como o próprio apelido diz, é um jogo bacana. As cores piscando, as músicas individuais de cada personagem, a arte fantástica e divertida, o ritmo instigante, a facilidade de aprender e sair jogando. É fácil entender como o título multiplayer cativa à primeira vista.

No comando de um personagem em uma ampla seleção de opções, com diferentes e inusitadas opções de ataque e habilidades, você avança de um lado da tela para o outro, derrubando torres inimigas no caminho e fazendo de tudo para destruir o gerador da base adversário na outra ponta, enquanto outro time de "bacanonautas" tenta fazer o caminho inverso e destruir o seu gerador.

E é isso.

Cada partida.

overdrive_yoolipÉ uma novidade que se esvai muito rapidamente e quer seja enfrentando robôs ou adversários humanos, Awesomenauts foi um título do qual enjoei na metade do tempo que meu filho levou para largar. Apenas a vontade de jogar ao seu lado em tela dividida me impulsionava. Testei cada personagem disponível, me aperfeiçoei em alguns, mas nada mudava o fato de que estava cruzando o mesmo mapa, fazendo as mesmas coisas.

A desenvolvedora não fez o menor esforço na criação dos mapas que, em nome da simetria, trazem novas texturas aplicadas a um layout que muda praticamente nada. A cartilha da Blizzard, com seus mapas charmosos de Overwatch, não foi aplicada aqui, talvez por preguiça, talvez pela limitação do 2D. O cenário que traz o verme gigante no meio é o único que ficou em minha memória e todo o resto é um modelo que se borra na mente.

Com diversas opções de evolução para diferentes personagens, era de se esperar que Awesomenauts brilhasse pelo menos na jogabilidade emergente de cada confronto. Mas não foi o que eu vi e sucumbia para os mesmos ataques de sempre de meia dúzia de heróis repetidos ou massacrava os mesmos inimigos de novo e de novo. É isso que é um MOBA?

A partir do momento que descobrimos outro jogo, o tal "Bacanonautas" foi sendo deixado de lado, mesmo com suas partidas ligeiras que não ocupavam mais de dez minutos de nosso tempo. Até que o inevitável pedido para removê-lo chegou. Se o título não tem fim ou objetivos, é claro que sua sentença de morte só poderia vir através do cansaço. E esse chegou ligeiro.

Ouvindo: Nine Inch Nails - The Becoming
Seu apoio é muito importante! Ajude esse blog a crescer! Patreon

Nenhum comentário:

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino | Seja um patrono!

We Happy Few