Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamTwitterCanal no YouTubeRSS

2 de abril de 2018

Jogando: Lego Star Wars The Complete Saga

Lego Star Wars 36

A franquia Star Wars é um colosso que fez parte da minha infância, ainda aluga um espacinho no meu coração e também cativou a imaginação do meu filho, embora em menor grau. Já a franquia de jogos Lego é uma febre aqui em casa, com sua interatividade marota, a possibilidade de pai e filho jogarem juntos e mundos a serem explorados. A conclusão mais óbvia é que a união de ambos seria um sucesso inegável para nós.

Entretanto, ao terminar o capítulo final, nos encontrávamos profundamente enfastiados, desinteressados e torcendo para que tudo acabasse logo de uma vez.

Infelizmente, jogos Lego baseados em franquias famosas se dividem em dois tipos: aqueles que estão confinados aos limites de suas obras originais, como Lego Jurassic World e Lego Marvel's Avengers; e jogos onde os lunáticos da Lego tem liberdade criativa para brincar com os elementos presentes naqueles universos, como Lego Marvel Super Heroes e Lego Batman - The Videogame, e criarem suas próprias narrativas, expandindo o que já foi visto. Não preciso dizer qual dos modelos funciona melhor.

Para complicar a situação de LEGO Star Wars The Complete Saga, ele é a junção de dois títulos diferentes, realizados em momentos diferentes, sobre duas trilogias que, em si, já diferem imensamente em termos de qualidade e apelo.

Episode I

Lego Star Wars - Episode I

Ignorando a famosa machete order, o jogo inicia pelo agora infame A Ameaça Fantasma e segue daí em ordem cronológica. Isso vale também para o lançamento dos jogos, onde a Lego adaptou primeiro a nova trilogia, em detrimento da clássica (que seria Lego Star Wars II e chegaria às lojas um ano depois).

Como em todas as adaptações, a cadência aqui é acelerada e foge muito pouco do roteiro original. Por um lado, isso coloca o jogador durante muito pouco tempo no controle do odiado Jar Jar Binks, por outro lado pula momentos que renderiam bem em um jogo como a travessia submarina em Naboo ou a batalha entre os Gungans e os Battle Droids no final do filme.

Cenas obrigatórias como a corrida de pod e a luta contra Darth Maul estão muito aquém da emoção passada pelo filme, o que resultada em uma abertura enfadonha para um jogo que ainda vai se estender por outros cinco episódios.

Episode II

Lego Star Wars - Episode II

A perseguição da assassina no começo do filme ganha uma sequência própria no jogo, o que revela a falta de bons momentos para serem adaptados. Estranhamente, o confronto com monstros na arena é solenemente ignorado, assim como a batalha em solo entre as tropas clônicas e os separatistas.

É triste ver um episódio inteiro convertido em uma fase no jogo que deixou poucas lembranças.

Episode III

Lego Star Wars - Episode III

Confesso que tenho um certo apreço por A Vingança dos Sith e gostei de ver sua impressionante batalha espacial de abertura convertida em um momento jogável, assim como o resgate de Palpatine na nave separatista. Os desenvolvedores parecem agarrar com unhas e dentes os bons momentos que o filme oferece, mas ainda assim deixam escapar qualquer confronto com Darth Sidius e injetam uma desnecessária sequência no planeta natal dos Wookies, uma desculpa para colocar o jogador no controle de Chewbacca um ano antes.

O final é o único momento de ousadia do título inteiro em termos cooperativos: é possível controlar Obi-Wan e Anakin em diversas partes simultaneamente, até o inevitável confronto final em que os dois jogadores devem mesmo se enfrentar. O resultado, é claro, não foge do visto do filme. É uma pena que chegar até aí exige uma longa sucessão de pulos precisos assim como uma corrida desabalada e complicada.

Episode IV

Lego Star Wars - Episode IV

Uma ano fez toda a diferença para a desenvolvedora Traveller's Tales, que conseguiu amadurecer suas mecânicas e, aparentemente, conseguiu negociar com a LucasArts um cabresto menos rígido. O que vemos aqui são várias partes que diferem do filme que lhe deu origem e que deixam o jogador solto em locações antológicas como Mos Eisley e o interior da Estrela da Morte. Pilotar um AT-ST pelas ruas da cidade que é um poço de escória e vilania é uma experiência que cutucou minha criança interior.

É pena que a frenética sequência final do filme não rendeu como poderia no jogo.

Episode V

Lego Star Wars - Episode V

Para muitos, o ponto alto da franquia cinematográfica. O efeito não se repete em LEGO Star Wars The Complete Saga, mas ainda é um episódio com bons momentos, como a perseguição da Millenium Falcon. Entretanto, o jogo se perde em uma fase tediosa em Dagobah e se estende demais em Hoth, por mais que seja divertido derrubar AT-ATs com cabos enrolados nas pernas.

A grande revelação do filme rende o que talvez seja a melhor piada do jogo.

Episode VI

Lego Star Wars - Episode VI

Na minha humilde opinião, O Retorno de Jedi é o melhor dos filmes, embora eu reconheça que pode ser uma posição influenciada pelo fato que foi o primeiro que vi e o impacto foi brutal. É o melhor dos episódios no jogo Lego? Não. Esse mérito ficou mesmo com a adaptação de Uma Nova Esperança.

A corrida de motos voadoras na floresta se alonga mais do que precisava e o confronto final com Darth Vader foca em uma desnecessária luta contra o Imperador, esvaziando completamente o embate emocional do filme e... OK, a essa altura do campeonato estávamos todos exaustos do jogo e queríamos apenas que acabasse.

Que a Força Esteja Com a Lego

Embora seja possível rejogar cada um dos episódios em modo Jogo Livre, ou seja, com os personagens que quisermos, há pouco incentivo para fazer isso, pela própria arquitetura desinteressante da maior parte das fases. Com os principais personagens desbloqueados ao longo da história, tampouco havia motivação para seguir jogando e liberar aquele droid obscuro que explode ou aquele funcionário do Império que diz "oi" ou algo assim.

LEGO Star Wars The Complete Saga ainda traz um modo Arcade para dois jogadores, mas não há qualquer preocupação com balanceamento e quem escolher o melhor personagem vence, independente da habilidade.

A desenvolvedora voltaria à carga com Lego Star Wars III, sobre as guerras clônicas, que torço para ter um pouco mais de liberdade e na adaptação de O Despertar da Força, que periga trazer modernidades de outros títulos Lego para a franquia, como uma tela realmente dividida e uma gama maior de habilidades. Curiosamente, Os Últimos Jedi é o único título da franquia principal de Star Wars a não ganhar uma versão Lego.

De nossa parte, prefiro dar um tempo para os jogos Lego de alguns meses, antes de seguir para o resto do acervo disponível aqui na minha Biblioteca.

Lego Star Wars 47

Ouvindo: The Neon Judgement - Facing Pictures
Seu apoio é muito importante! Ajude esse blog a crescer! Patreon

Nenhum comentário:

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino | Seja um patrono!

We Happy Few