Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamTwitterCanal no YouTubeRSS

14 de março de 2018

Salve Simpatia!

For every pioneer on every new frontier:

Be brave.

Be bold.

And stay wiggly

Slime Rancher 131

Às vezes, é preciso ir para bem longe para descobrir que a felicidade sempre esteve mais perto do que se imaginava. Às vezes, é preciso um jogo aparentemente tolo para se reaprender velhas lições, para libertar o sorriso preso nos lábios e não ver as horas passarem.

Slime Rancher é precisamente um desses títulos, um gerenciador de fazenda feliz que vai além de sua superfície e entrega não uma, mas quatro experiências muito bem interligadas e muito bem executadas que juntas formam um jogo com um forte diferencial. Há algo de bom em Slime Rancher para cada um de nós, nem que seja somente o prazer de escapar por uns momentos para um mundo de cores e tranquilidade.

O título independente desenvolvido pela Monomi Park estava circulando pelos porões do acesso antecipado e dos canais de YouTube desde 2014 e havia chamado minha atenção e de meu filho após alguns vídeos de jogabilidade. Basicamente, o jogo coloca você no papel de um fazendeiro de slimes, criaturas gosmentas mas simpáticas, cujo "subproduto digestivo", os plorts, alcançam alto valor no mercado galáctico devido a suas várias aplicações comerciais. Você captura diferentes tipos de slimes, cata os plorts, vende, amplia a fazenda, repete.

Simples, eu pensava. Mas fofo.

Não podia estar mais longe da verdade em relação a ambas as conclusões.

Temos que Pegar Todos!

Slime Rancher 04

É evidente que o chamariz para atrair meu filho para Slime Rancher foram os próprios slimes. As criaturinhas transbordam carisma, seja no seu visual de cores vibrantes, nos seus rostos expressivos, na sua fragilidade ou mesmo nos barulhinhos que emitem. Elas saltitam pelas paisagens do planeta Muito, Muito Distante e capturá-las para levar para o rancho se torna quase uma obsessão.

Em várias de nossas jornadas por Minecraft, encontrar e trazer para casa animais exóticos foi uma tarefa que nos ocupou por muito tempo. Slime Rancher é um jogo que pega na veia desse tipo de jogador e, à exemplo de Pokémon, nos instiga a colecionar os seres, aprender sobre seus hábitos, suas características, suas diferentes necessidades de criação e seus contratempos. Há até mesmo um "pokédex" que precisa ser preenchido, aqui habilmente chamado de Slimepedia.

Slime Rancher 31

Algumas criaturas são mais difíceis de encontrar do que outras, o que nos puxou para frente, para encontrar áreas novas, realizar tarefas e seguir em frente. Apenas por esse elemento, Slime Rancher já seria um jogo que valeria a pena conhecer. Nem que seja para ficar olhando para o Slime de Mel o tempo todo (nosso favorito!) ou ler o hilário texto de apresentação do Slime Mosaico, bonito demais para ser contemplado (ou pelo menos é o que ele acredita).

A Fronteira Final

Slime Rancher 125

Ao contrário de Minecraft, entretanto, Slime Rancher não confia em elementos randômicos e apresenta para o jogador um território meticulosamente projetado para deslumbrar. Os slimes não são o único indício de que você está em um planeta alienígena: vastos oceanos intransponíveis, ravinas, florestas radiantes e um céu estrelado de cores estranhas ajudam a compor uma paisagem que convida à exploração e ao deslumbre. Se a busca por novos moradores para o rancho era a mola que impulsionava meu filho, a descoberta de novos lugares era meu combustível.

Quase a conta gotas, com vários desafios simples mas relevantes no caminho, a Monomi Park vai revelando os segredos e as belezas desse planeta estranho. Alguns mistérios nunca serão respondidos (e é isso que os torna tão charmosos), enquanto outros são explicados por memórias, anotações deixadas por um rancheiro que já esteve ali antes e seguiu os mesmos passos que nós. Que delícia realizar um pulo quase impossível para um rochedo supostamente largado ali ao acaso apenas para encontrar uma anotação perdida ali, escondida somente para aqueles que ousaram se perguntar "e se eu chegar ali?".

A partir do momento que os jatos individuais foram desbloqueados em sua potência máxima, meu filho se dedicou a um novo esporte: parkour espacial, alcançando alturas e lugares antes inatingíveis, na ânsia de descobrir novidades. E, de fato, encontrou várias, em sua própria jornada, para me contar os segredos do planeta na primeira oportunidade, compartilhar suas conquistas e as mágicas que realizou, interferindo no meio ambiente de forma majestosa.

Slime Rancher 83

Apenas por esse elemento, Slime Rancher já seria um jogo que valeria a pena conhecer. Nem que seja para ficar olhando para aquele recesso no paredão e calcular uma forma de chegar até ali, ou subir na árvore mais alta da região para olhar a lua lá de cima, momentos antes de saltar, sem riscos, para o solo firme novamente.

Pecuarista Bem-Sucedido

Slime Rancher 11

Para um título sobre tocar uma fazenda em um planeta nos rincões do universo, Slime Rancher tem uma economia bastante sólida. O trabalho duro compensa e, embora haja apenas uma forma de se ganhar dinheiro, através da venda de caca de gosmas, há muitas variáveis envolvidas: cada slime só come um tipo de alimento (vegetais, frutas ou carne) e requer cuidados diferentes em seu habitat, que exigem que seja monitorado o nível de claridade, o nível de tranquilidade, a presença de água e outros elementos.

Não é nada que complique demais a experiência ou afaste os jogadores casuais, mas há um bom número de detalhes capazes de entreter aqueles que desejam maximizar sua produção, distribuir o espaço de forma ordenada entre criaturas, galinheiros (para gerar carne), hortas e pomares. Além disso, a Monomi Park também preparou toda uma árvore tecnológica para ser explorada de incrementos para o rancho, um clube de vantagens cosméticas para aqueles que precisam de um incentivo para faturar alto no mercado, oscilações de preços, armazenamento em silos e esquema de trocas a serem realizadas com outros rancheiros em outros planetas.

Slime Rancher 140

Novamente, não seria errado afirmar que apenas por esse elemento, Slime Rancher já seria um jogo que valeria a pena conhecer. Nem que seja para tentar otimizar ao máximo sua produção dos plorts mais lucrativos, gerenciar uma cadeia de extratores de recursos ou tentar abrir aquele cofre lotado de tesouros.

A Dança da Solidão

Slime Rancher 43

Mas o que finalmente garantiu o lugar de Slime Rancher na Lista de Favoritos foi o carinho com que a desenvolvedora trata cada um dos arquétipos de jogadores que atravessam seu título. Nada é obrigatório, pouca coisa é cansativa, muito do seu conteúdo é opcional e não se coloca como obstáculo para quem só deseja coletar slimes, ou só passear por aí, ou somente alcançar fama e fortuna.

E Slime Rancher ainda traz uma quarta camada, ainda mais escondida, que apenas uma parcela dos jogadores talvez perceba: a história de Beatrix. A rancheira solitária viajou para o planeta mais distante possível por um motivo específico, uma trama tão natural, mas tão poética, como a história de muitas pessoas. O enredo se descortina através de mensagens de email que chegam até ela, às quais ela nunca responde.

E na medida em que vamos explorando e descortinando as memórias do rancheiro anterior, vamos formando um paralelo entre os dois. Nesse vasto planeta onde Beatrix é a única humana, ela encontra, talvez, as respostas para seu dilema, assim como o rancheiro anterior teve uma oportunidade em mãos, soube reconhecê-la e se atirou em sua direção. Por incrível que possa parecer para muita gente, Slime Rancher tem um final, um email definitivo, que não encerra a aventura, mas joga uma luz tépida sobre essa rancheira, o que ela deixou para trás e o que ela pode encontrar pela frente. Basta entender.

Sobem os créditos, toca uma música que se encaixa como uma luva no sentimento e eu aplaudo a genialidade da Monomi Park, uma desenvolvedora que poderia ter se contentado com o que tinha e ousou ir além. Uma desenvolvedora que, em um jogo sobre gosmas alienígenas, escondeu, como um dos muitos tesouros do planeta, uma história delicadamente humana.

Slime Rancher 124

Ouvindo: Recoil - The Defector
Seu apoio é muito importante! Ajude esse blog a crescer! Patreon

Nenhum comentário:

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino | Seja um patrono!

Deathspank