Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamTwitterRSS

30 de março de 2015

Killing Floor 2: 33 Minutos no Inferno Gelado

A PC Gamer fechou mesmo exclusividade com a Tripwire Interactive e depois de serem os primeiros a anunciarem Killing Floor 2, continuaram revelando vídeos do jogo e agora atacam com a primeira filmagem de jogatina. Contemple 33 minutos de carnificina, uma partida completa com sete ondas de criaturas até o misterioso chefe final:

Depois, a PC Gamer liberou outros dois vídeos em outro mapa, um com dez minutos e outro com nove, sem muitas novidades.

Enquanto assistia, anotei algumas considerações:

  • Apesar do jogo estar escalado para PlayStation 4, não é o que pode ser considerado next-gen. Os desenvolvedores optaram por usar a Unreal Engine 3, ao invés da versão 4, para não alienar a base de usuários. Então, não espere gráficos estupendos. De qualquer forma, se você está esperando gráficos estupendos de Killing Floor, você não entendeu Killing Floor.
  • Originalmente, as criaturas tinham 7 pontos de desmembramento. Esse número foi aumentado para 22. Despedaçar as criaturas de novas formas é um dos pontos alardeados da continuação. Entretanto, a diferença na tela é imperceptível.
  • Se o desmembramento deixa a desejar, a quantidade de sangue em cena não. Com o passar da partida, o chão fica imundo.
  • A interface toda foi modernizada. Está mais limpa, mais moderna, quase de ficção-científica. Essa mudança é mais perceptível no menu do Trader, que remete mais a Mass Effect ou Star Trek do que a sujeira grunge do jogo original.
  • Mesmo fisicamente, a Trader não está mais ali, apenas um terminal de venda similar ao de Dead Space e outros.
  • Seguindo a mesma linha, há mais neon no jogo. A linha que traça o caminho até o Trader parece algo saído de TRON. A solda da porta brilha azul. Polígonos azulados saem de quem está sendo curado.
  • Em contrapartida, é mais fácil visualizar o quão protegida está uma porta e se ela está sofrendo ataque. O grito da Siren também é mais visível agora.
  • Os novos espécimes não impactam o jogo. Tanto o Cyst quanto o Slasher passam despercebidos na multidão e não alteram a jogabilidade.
  • Por outro lado, tanto o Scrake quanto o Fleshpound ganharam novas animações, muito mais assustadoras e fluidas. O Scrake inclusive faz um rodopio com a motosserra na mão que é uma clara referência ao clássico The Texas Chainsaw Massacre. Ambos parecem mais simiescos e brutais.
  • Agora é possível dar coronhadas nas criaturas. Sofri muito jogando Left 4 Dead simultâneo a Killing Floor e me flagrava várias vezes tentando afastar as criaturas em vão no jogo da Tripwire.
  • O martelo é uma arma devastadora. Lembra as melhores marretas de Dead Island.
  • Agora também é possível passar munição para um aliado, um dos grandes empecilhos em partidas com grande quantidade de monstros.
  • Nenhuma perk nova foi exibida.
  • SPOILER: O vídeo não chega a mostrar o novo chefe, por ordens da desenvolvedora. Mas sabe-se que ele é osso duro de roer. Ele destruiu o time da PC Gamer. Segundo a Tripwire, o novo chefe não será um substituto do Patriarch, que também aparece no jogo, embora não tenha sido revelado ainda. Não se sabe como Killing Floor 2 vai trabalhar a questão de dois chefes finais diferentes.

Música Para Relaxar

KF2-OST

Qualquer um que jogou uma partida do primeiro jogo certamente ficou com a trilha sonora martelando na cabeça por dias a fio: uma seleta mistura de metal e industrial só com faixas exclusivas que capturavam com maestria a atmosfera atormentada, mas energética, do jogo.

Depois de deixar as músicas soltas em uma pasta no diretório de instalação, a Tripwire Interactive sentiu o poder que tem nas mãos e irá lançar a trilha sonora de Killing Floor 2 comercialmente na forma de CD (e download digital).

O álbum chega às lojas no dia 21 de Abril e vai trazer "metal, rock, industrial e electronic" em doses iguais. Ou seja, igualzinho ao primeiro porque não se mexe em time que está ganhando. As faixas foram escolhidas a dedo entre os artistas do selo independente Solid State Records, então pode ser uma boa oportunidade de se conhecer sangue novo. Mas os fãs também podem ficar tranquilos: zYnthetic, responsável pela maioria das músicas do primeiro jogo, está de volta para a colaboração e assina 10 músicas na trilha.

Segue a lista de faixas:

01 - Murderer, Impending Doom

02 - Something More (Re-Record), Living Sacrifice

03 - Infected, Demon Hunter

04 - By the Throat, Zynthetic

05 - Kill or Be Killed, Rocky Gray

06 - Image Corruptor, Zynthetic

07 - Made for War, Bruce Fitzhugh and Jeremiah Scott

08 - Prey for the Wicked, Zynthetic

09 - We Don’t Care, Demon Hunter

10 - Clone Mutation, Rocky Gray

11 - Bitter End, Fit for a King

12 - Death Marches, Zynthetic

13 - Rendezvous Point, Zynthetic

14 - Ravenous Disease, Impending Doom

15 - Hydra, Zynthetic

16 - Despair, Living Sacrifice

17 - Collapsing, Demon Hunter

18 - Foreign Bodies, Zynthetic

19 - Incarnate, Zynthetic

20 - Not I, Demon Hunter

21 - Recombinant, Zynthetic

22 - Death, Demon Hunter

23 - Aftermath, Zynthetic

Faixas-bônus exclusivas da versão digital:

24 - Defend the Crown, Bruce Fitzhugh and Jeremiah Scott

25 - Disunion Reconstructed, Dirge

Enquanto o jogo não tem data para lançar, logo será possível ripar o CD e colocar as novas faixas no jogo antigo. Ou só inserir no seu fone ouvido e relaxar ao som da matança.

Ouvindo: KMFDM - These Boots (Bombs Remix)
Seu apoio é muito importante! Ajude esse blog a crescer! Patreon

6 comentários:

Marcos A. S. Almeida disse...

Não vi o vídeo todo mais duas coisas me chamaram atenção: a solda da porta mais parece gelo do que metal( acho que ainda deveria ter uma porcentagem ) e a animação do movimento ao se guardar um rifle - o personagem pega a arma pelo cano e coloca nas costas - ficou muito legal.

"De qualquer forma, se você está esperando gráficos estupendos de Killing Floor, você não entendeu Killing Floor." Concordo e acho que é uma frase definitiva de KF.

Magaiver disse...

Uma coisa que me deixou extremamente agoniado (no sentido ruim): O jogador do vídeo que pegou a classe Berserk simplesmente não sabia o que estava fazendo ali. Ficou umas 4 waves somente com uma metralhadora, ao invés de ir no mano a mano...

Shadow Geisel disse...

Realmente, ele não parece ser next-gen. perde feio para jogos mais velhos como Killzone Shadow Fall ou o mais recente Dying Light. mas nem tudo se resume a uma planilha do excel com estatísticas técnicas. se ele for divertido é o que conta. compra quem quer.

adorei a ideia da tela preta no final. hoje em dia você assiste o jogo todo antes mesmo do lançamento (Bioshock infinite, com os bosses). e aquela do "spoiler, we died" foi ótima.

estacado disse...

Eu gostei de tudo que foi mostrado. Acho que existe dois pontos pra analisar: o ruim é que o jogo é praticamente a mesma coisa, quase nada de novo (tirando perks, armas etc.) e o bom é exatamente isso! Continua o mesmo modo de jogo, mesmos estilos de combate, mesmo modo de sobrevivência etc.. A parte das coronhadas eu gostei, sempre senti falta de algo pra acertar o inimigo enquanto vc fica sem bala no meio da galera. Acho que tem tudo para ser um grande jogo, mas fico com receio do que a empresa irá fazer agora com relação à valores do jogo em si e dlc´s. Espero que não metam a faca.

C. Aquino disse...

Dependendo do preço e do meu saldo na Amazon no lançamento, é compra certa no primeiro dia ou quiçá pre-order.

Fausto Albertoni disse...

Killing Floor sempre passou batido em minhas visitas a Steam. Toda vez que eu olhava para a página do game admirava o visual, me fazendo lembrar de The Suffering, mas desconfiava do potencial de diversão do jogo.

Pela forma que Aquino tem comentado, estou convencido de que devo me aventurar em meio a carnificina do primeiro título, pois como disse Shadow Geisel: se ele for divertido é o que conta.

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino | Seja um patrono!

My Playstation WallpapersXbox WallpapersPC Game Wallpapers

Tooth and Tail