Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamTwitterRSS

26 de setembro de 2013

Promoção Brother Indie

Os jogos independentes estão cada vez mais conquistando espaço na indústria e... este papo já está velho. A realidade da indústria agora é bem diferente do que era cinco anos atrás e figuras exóticas como Phil Fish e Jonathan Blow já saíram da lista de promessas para se tornarem referências no meio, quer você goste do trabalho deles ou não. Com uma ideia na cabeça e uma engine na mão, hoje qualquer um pode fazer um jogo.

Antes vistos como uma curiosidade, a verdade é que graças ao Steam (e o Greenlight), ao GOG e, principalmente, aos Bundles da vida, os jogos indie já estão presentes na biblioteca de muita gente. E provavelmente passaram muitos títulos AAA na sua preferência. Então, eu pergunto: qual jogo mudou sua percepção dos títulos independentes?

 promoção

O camarada @raptorhawk fez a gentileza de ceder chaves para Trine 2: Complete Story e Brutal Legend. E eu subi a lista de prêmios com chaves para Limbo, Bastion e A Virus Named Tom.

Para participar desta promoção, basta seguir as regras básicas:

  1. Escreva nos comentários abaixo o seu SteamId / Twitter / e-mail ou qualquer outra coisa que me permita saber que você é você e entrar em contato.
  2. Escolha UM dos jogos acima para concorrer.
  3. Responda a pergunta. Lamento se você pulou direto para as regras: volte para o segundo parágrafo e leia a pergunta (mas o primeiro parágrafo também é legal, fica a dica).

O resultado será decidido pelos Deuses da Aleatoriedade e divulgado na quarta-feira (02/10). Serão aceitas inscrições até o último minuto. Tentativas de fraudes serão punidas pessoalmente por Phil Fish, que está sem nada para fazer desde o cancelamento de Fez 2.

Ouvindo: KMFDM - You're No Good [Zomb'd out Mix]
Seu apoio é muito importante! Ajude esse blog a crescer! Patreon

23 comentários:

Sarcinelli disse...

Com certeza foi Bastion, antes dele não me record de um indie com tanto charme. bastion tem uma excelente história, lindos gráficos e uma jogabilidade muito bacana. Foi um dos raros jogos que eu zerei em uma "sentada" só!

estephansarcinelli@hotmail.com

C. Aquino disse...

Faltou dizer qual é o jogo a que você quer concorrer, Sarcinelli!

Fmrbass disse...

Cara, acho que o primeiro indie que eu joguei foi limbo, em seguida hotline miami.

e sinceramente: hotline miami é um jogaço, melhor do que muito jogo granudo que tem por aí. acho que na minha biblioteca do steam tem uns 3 4 jogos de produtoras grandes o resto é tudo indie. e não me arrependo.

Sem mais delongas:
jogo: bastião
steam ID: fmrbass

BFD_Elessar disse...

pra mim o jogo indie q acho q mudou minha percepção de ver os indies e tb foi bem no inicio da enxorrada de jogos independentes foi Braid, em todos os sentidos o jogo é bom, seja na história (e que final), seja na jogabilidade e puzzle, na simplicidade do jogo (no melhor estilo Mario da era 8bits), os gráficos desenhados como uma tela de um quadro contemporaneo e por ultimo a trilha sonora, q só de fechar os olhos me faz lembrar.

dos jogos relacionado para o sorteio fico com Trine 2

Chico disse...

Primeiramente gostaria de lhe dar os parabéns pelo blog! Virei leitor assíduo depois de o descobrir sem querer quando estava procurando por um review do Call Of Pripyat.

E por fim, não poderia deixar de participar da promoção!

Jogo: Trine 2: Complete Story
steamID: chicodefreitas

Abraço!

Shadow Geisel disse...

o jogo que mudou foi Flower. quero o Bastion e o e-mail é welbenn@bol.com.br

Oswaldo Santos disse...

1) Steam ID: spitefulsapling.
2) Quero o A Virus Named Tom.
3) O jogo que mudou a minha percepção sobre os jogos indie foi o To The Moon, jogo esse que, muito provavelmente, foi o que mais me marcou.

Além dele, há outros que me mostraram que jogos independentes podem ser tão bons ou melhores que os jogos feitos por grandes empresas: Braid, Faster Than Light, Super Meat Boy e o Spelunky são jogos que, na minha opinião, são repetaculê.

Boa sorte pra galera aê. =)

Marcos A. S. Almeida disse...

Quando o Aquino diz "qual jogo mudou sua percepção dos títulos independentes" remete á algo que achávamos ruim e constatamos que era bom.Nunca pensei assim.A minha percepção dos indies é que eles não eram nem bons nem ruins, mas diferentes.E continuam diferentes.Só não sei por quanto tempo mais permanecerão assim.

Steam: Dellphos
Quero ganhar Trine 2: Complete Story

Gledson A. disse...

Sequer tive a chance de "mudar" minha percepção sobre jogos indie porque o primeiro que joguei já me cativou.

Meu primeiro jogo indie, se não me engano, foi Limbo. Quando vi o seu final pela primeira vez (se me recordo bem, foi meu primeiro final cliffhanger) eu fui desesperadamente iniciar o jogo novamente, em uma tentativa futil de consertar o script quando, de repente, percebi uma sutil mudança no menu.

Ah! O horror! A trágica verdade estampada na cara de quem o visse.

Com isso passei a respeitar profundamente as obras independentes. Não somente nos jogos, vale dizer.


SteamID: klaus1_2
Jogo: Brutal Legend

Esse Brutal Legend meio que despertou minha curiosidade, pelo jeito é bem comédia. Desejo boa sorte a todos!!!

= )

Gledson A. disse...

"[...]em uma tentativa futil de consertar o script quando[...]"

Quis dizer "inútil" ao invés de "fútil". Falha minha.

=S

Eder R M disse...

Brutal Legend indie é brabo, quando foi feito p/ console passou pelas mãos da Activion (que o abandonou) e depois da EA. Mas graças aos deuses do heavy metal os direitos voltaram para a Double Fine (que resolveu abraçar o jeito independente / crowudfunded de ser) e temos esse ótimo jogo para PC.

Pergunta capciosa essa Aquino, pois não teve UM jogo indie que me fizesse ver a categoria com outros olhos. Aliás, não me lembro de ter tido desde criança preconceito com isso, jogo legal é jogo legal, independente de ser feito por 3 estúdios em continentes diferentes ou por um cara no porão da casa da mãe.

Mas enfim, para não correr o risco de ser desclassificado, digo o Amnesia - The Dark Descent, que, pra mim ainda hoje é o rei dos jogos assustadores e mostrou como criar literalmente um pesadelo em forma de jogo com uma equipe composta apenas por um punhado de caras.

SteamID: exmachinax

Jogo que quero concorrer: Limbo

(Até porque suporto os indies, dessa leva aí só me falta mesmo o Limbo e o A Virus Named Tom).

Ed R M disse...

Aviso aos navegantes incautos: Brütal Legend é um jogo que adoro, mas ele tem um belo twist (á là filme Psicose, do Hitchcok, que muda de progonista de uma hora para outra): o jogo começa como action/adventure, vai para um semi-open world em que você pode dirigir um carrão entre as missões, e de repente se transforma em uma série de batalhas de larga escala com forte dose de RTS - estratégia em tempo real (sério!), com diferentes unidades que você convoca, cada uma coma habilidades únicas e tal.

Só avisando para que quem não conhece não "compre gato por lebre". É um jogaço, mas com uma estutura bem diferente do usual.

Ah, e se alguém quiser jogar comigo a parte RTS em multiplayer, me add aí! :) Minha ID no Steam: exmachinax.

Farias disse...

SteamID: juninho_farias (nickname: farias)
Twitter: @littlefurybug_
Jogo: Bastion

O jogo que mudou minha percepção: Braid.

Em resumo, Braid foi o jogo que realmente me mostrou através de um exemplo prático que games podem ser arte. Não só cenários bonitos e histórias inspiradoras, o jogo em si, como vou deixar claro mais a frente, é uma grande obra de dar inveja à mestres das artes mais tradicionais, como pintura e música.
Mas sim, a arte geral do jogo é linda, está entre uma das mais bonitas que já vi em qualquer jogo eletrônico. O ilustrador tentou (e conseguiu) dar um tom de pintura à óleo que ficou incrível. A soundtrack também é belíssima, completamente composta por músicos indie licenciados. As homenagens que o jogo faz à clássicos como Super Mario Bros. e Donkey Kong também dão um charme a mais ao jogo.
E a história também é fantástica. Ela nos faz refletir, em primeira análise, sobre a forma que lidamos com erros e remorso. Mas dependendo da sua forma de enxergar ela pode ser bem mais que isso. Além disso ela é completamente implementada na mecânica do jogo. Cada mundo aborda um aspecto específico do problema principal, e cada mundo tem um acréscimo específico à jogabilidade que é reflexo do tema. É uma ideia artística que só poderia ser implementada em uma mídia tão interativa quando os games.

Essa foi uma pequena (sim, pequena, há muito mais) análise do aspecto artístico de Braid, um jogo que também possui uma parte técnica quase impecável. O jogo que, sem dúvida, mais me inspirou.

Vilas Boas disse...

Vamos lá

SteamID: STEAM_0:0:62428276

Email: vilas.8@hotmail.com

Jogo escolhido: Bastion (com toda a certeza! os demais eu já zerei LoL)

Limbo foi o jogo! esse que me foi apresentado por um amigo e me deixou boquiaberto! zerei umas 3 vezes (incluido a fase secreta!) na primeira vez que detonei quase não dormi e ao descobrir que se tratava de um jogo independente aí pirei!

Esse mesmo amigo que me apresentou Limbo o chama de minimalista, eu o chamo de perfeito!

Gledson A. disse...

Epa! Pera aí, fase secreta?!

Conte esta história direito, meu rapaz, por favor.

=S

Vilas Boas disse...

Gledson A.

Lembra de logo no comecinho de Limbo, ao caminhar para a esquerda você pisar numa espécie de ovo? algo brilhante que logo se desfaz ao passar por cima? então, ao longo do jogo tem vários deles e... ao coletar todos habilita uma fase secreta que é difícil demais! quase 90% do tempo você fica no breu e seu ouvido será seu maior amigo!

No youtube tem vários videos ensinando a localização de cada "ovinho" daquele e aonde fica a fase secreta!

Boa sorte e muita paciência para você!

Gledson A. disse...

Vilas Boas


Putz, como perdi isso?!

Bem que aqueles ovinhos me pareciam suspeitos... Pensei que eram parte de algum achievement ou algo do tipo.

Bom, obrigado pela informação Vilas Boas. Tentarei jogá-lo novamente nestas férias de fim de ano.

= )

Nulagem disse...

SteamID: Nulagem;
Jogo: Limbo;
Resposta: The Binding of Isaac. Na minha opinião muito bom, pode ser jogado casualmente e possui um enredo interessante.

Anderson disse...

1) Steam ID: anderson_silveira
2) A Virus Named Tom
3) A primeira vez q ouvi falar em jogos indies foi com o Aquaria. A ideia de 2 pessoas sozinhas fazendo um jogo parecia coisa de outro planeta na epoca q ainda tava aprendendo o basico de programação na faculdade. Depois disso acho q completei mais jogos indies do q os AAA

Oswaldo Santos disse...

Outra pessoa quis A Virus Named Tom? Já sei que não vou ganhar o sorteio. T_T

Raphael AirnMusic disse...

steamid: airnmusic
jogo : bastion
mudou : concordo com o que falaram ai sobre jogo bom ser jogo bom, independente de quem fez. mas de tanto falarem de independentes, comecei a prestar mais atencao em quem faz de um tempo pra ca. acho q o trine eh o meu favorito.

Bolívar D'Andrea disse...

Steam ID: bolivardandrea
Jogo: Brutal Legend

O primeiro indie que joguei foi Deponia, ótimo point & click, mas que ainda não terminei. Depois Binding of Isaac, que também é um baita jogo, e esse sim eu terminei. Atualmente já tenho vários, como Mark of the Ninja, Trine 2, Game Dev Tycoon, Knights of Pen & Paper, Mr. Bree...e a lista vai! O mundo indie dominou o mercado!

Victor Martins disse...

SteamID:Aethenabr
Jogo: A virus named Tom

Acho que o jogo que abriu meus olhos em relação aos indies teria que ser Super Meat Boy , antes dele nunca tinha dado muita atenção aos indies, porém depois de passar horas e horas nele isso mudou rapidamente.

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino | Seja um patrono!

My Playstation WallpapersXbox WallpapersPC Game Wallpapers

Regalia