Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamTwitterRSS

26 de setembro de 2013

Jogando: Warhammer Online - Age of Reckoning

Carroças de cadáveres cheias até a borda. Carcaças de animais domésticos espalhados ao longo da estrada. Mortos-vivos perambulando por florestas escuras e cemitérios. Vilas em ruínas ainda fumegantes. O silêncio lúgubre em uma terra onde até o Sol tem medo de brilhar. Onde árvores crescem com formas profanas. Onde o chão tem olhos. Onde a coragem é punida com a mais vil das mortes.

Se o cenário macabro acima chamou sua atenção, teus amigos devem te achar estranho. Mas Warhammer Online - Age of Reckoning foi feito pra você. Pelo menos, a campanha do Chaos foi. Infelizmente, eu tenho uma notícia ruim: o MMORPG será encerrado em 18 de Dezembro, depois de cinco anos no ar.

Warhammer Online - Age of Reckoning

Sabendo do fim iminente, fui atraído pela morte como um abutre curioso. Uma oportunidade única: ser testemunha ocular dos dias finais de um mundo que não existiria mais. O jogo tem um modo trial que permite que você jogue até o Nível 10, entre outras limitações. Então, em menos de uma semana, eu já tinha atingido o nível máximo que poderia ir e visto mais horrores do imaginei ser possível em um MMORPG.

O título da Mythic, mesma desenvolvedora de Dark Age of Camelot e subsidiária da imperial EA, é baseado em Warhammer Fantasy, o universo de fantasia profana criado pela Games Workshop, no distante 1983. O que explica a tonelada de lore expelida por minuto durante a jogatina. Dizem as más-línguas que a Blizzard aproveitou muitas ideias para compor seu Warcraft, mas não conheço o suficiente de nenhum dos dois mundos para confirmar ou negar esta afirmação. Posso dizer que, ironicamente, Warhammer Online é fortemente inspirado em World of Warcraft.

Warhammer Online - Age of Reckoning 02

Colecione cabeças 

Para quem já jogou o líder do mercado dos MMOs, a jogabilidade é espantosamente similar. Temos uma lista de habilidades numeradas no pé da interface, telas de missões idênticas (e que também informam antecipadamente qual será a sua recompensa), um inventário bem parecido, gráficos que lembram bastante e um sistema de combate que deixaria os programadores da Blizzard lisonjeados pela homenagem. As duas diferenças que se destacam de imediato são o clima bem mais soturno dos ambientes e facilidade das primeiras missões. Aqui, você precisa pegar bonecas vodu que parecem se mover como se recheadas de vermes e pendurar cabeças de inimigos em estacas. Enquanto em WoW temos algo na linha de "encontre 8 monstros X e mate", aqui temos "encontre 2 monstros X e mate".

Warhammer Online - Age of Reckoning 06 Um dia comum de pendurar crânios em estacas

A maior diferença aparece mais tarde, o que é justamente o segundo ponto forte (depois da atmosfera, na minha opinião) e ao mesmo tempo o calcanhar de Aquiles do jogo. Warhammer Online tem um foco forte no PvP, mais especificamente no que eles chamam de Reino vs Reino. Em grandes cenários espalhados pelo mapa, você precisa realizar objetivos e capturar áreas que irão ampliar a influência de sua facção no universo do jogo. Pelo menos, essa é a teoria. Na prática, são áreas onde o mata-mata é incentivado e o resultado de cada batalha não dura mais do que alguns minutos no grande esquema das coisas.

O maior problema de Warhammer Online no momento é a falta de jogadores. Em uma noite de sábado, capturei sozinho uma região de guerra sem que esbarrasse com viva alma, fosse do lado do Chaos, fosse do lado da Order. Em outros momentos, cheguei a encontrar combatentes, mas nunca mais do que quatro ao mesmo tempo. Meridian 59 manda lembranças para a Mythic. Considerando que, para se obter o controle total de uma área, você precisa tomar de três a quatro posições estratégicas, dá para se imaginar a falta de propósito de se fazer isso com poucos envolvidos. Em um mapa de bom tamanho e quatro guerreiros em conflito, um lado poderia muito bem estar capturando um segundo ponto enquanto o outro retoma o primeiro, em um esforço vão e interminável.

Warhammer Online - Age of Reckoning 03

Entrando na Zona de Guerra com sede de sangue... 

Warhammer Online - Age of Reckoning 05 ... mas não há ninguém para matar.

Em defesa de Warhammer Online, eu imagino que este vazio esteja restrito ao Tier 1, território dos jogadores novatos e do free trial, e que a carnificina tática seja o mote nos Tiers mais elevados. Mas, é mera especulação da minha parte.

Seguindo a história do jogo, as missões vão ficando mais difíceis. Se você não parar para fazer um grind no Reino vs Reino, não terá acesso aos melhores equipamentos. Durante o RvR, você tem um bônus temporário de vitalidade, acumula XP mais rapidamente e recebe pontos de Renome que podem ser aplicados para comprar itens exclusivos dos vendedores de RvR. Em suma, tudo empurra o mais recluso dos jogadores em direção à guerra, o que torna sua falta de quórum ainda mais chocante. Felizmente, mesmo sem matar nenhum outro jogador e fazendo as capturas por conta própria, ainda é possível obter os merecidos espólios da batalha. Ainda que seja deprimente.

A solidão também é forte nas missões públicas, que rendem boas recompensas. Qualquer um pode entrar e sair na hora que quiser e sua contribuição vai pesar na hora de sortear a recompensa final. Porém, para se completar a missão, dividida em várias fases, é necessário matar muitos inimigos, gradativamente mais perigosos a cada fase. Sozinho, é tarefa quase impossível. E, na maioria das ocasiões, eu estava sozinho.

Sozinho, não. Murungue, um Goblin feio e verruguento, é um Squig Herder, o equivalente grotesco de um Ranger em outros RPGs. Ele tem um arco e ataca de longe, enquanto seu pet, um bicho tão feio que chega a ser simpático, faz todo o trabalho duro de bater nos inimigos. Meu Squig era meu Dogmeat na vastidão caótica de uma guerra abandonada...

Warhammer Online - Age of Reckoning 01 Olha que sorriso lindo!

Apesar dos problemas apresentados, acabei gostando do universo de Warhammer. Segundo consta, a Games Workshop encerrou o uso da licença. Se a falta de jogadores é um problema crônico em todos os Tiers, eu posso entender a razão da Mythic não negociar um prolongamento. Uma vez que o fechamento da THQ resultou no surgimento de diversos jogos baseados em Warhammer 40K, será que o cancelamento de Warhammer Online pode levar a uma igual avalanche de títulos baseados na marca? Torço para que sim.

Tenho sede de Caos.

Warhammer Online - Age of Reckoning 04

Ouvindo: Bullet For My Valentine - Take It Out On Me
Seu apoio é muito importante! Ajude esse blog a crescer! Patreon

2 comentários:

Ed R M disse...

Só de olhar de relance uma screenshot pensei "É a cara do WoW!". :D

O WoW também tem esse esquema de World PvP em algumas áreas (mesmo nos reinos PvE, mas opcional) mas só para jogadores de altos níveis. Até chegar lá, a pessoa pode jogar em um servidor PvP se quiser, mas não nunca vi graça ter que se preocupar com jogador alheio tentando me matar enquanto quero subir de nível. ;P

estacado disse...

Cinco anos de existência e já vão fechar? Gostei da ambientação.

Aquino, esta jogando GW2 nesses dias free? Comecei ontem, to gostando - não sei se vale comprar ele ou esperar o Elder´s online. NO Gw2, como já falado, tem esse sistema de WxW que é legal também. Enfim, se continuar a jogar GW2 da um aviso, to no Borlis Pass, tem uma guild br lá bem ativa e só gente boa.

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino | Seja um patrono!

My Playstation WallpapersXbox WallpapersPC Game Wallpapers

Tooth and Tail