Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamTwitterRSS

9 de junho de 2012

As Cinco Missões Mais Inglórias

Dovahkiin, me traga um croissant com mel!

Não tem como fugir. Até mesmo o mais aberto dos mundos abertos não deixa você solto sem ter o que fazer. Missões, quests, tarefas, elas existem em praticamente todos os jogos (exceto, talvez, Minecraft). E por mais que seus criadores queimem os neurônios tentando acrescentar algo de inédito ao cotidiano de todo herói, invariavelmente chegará o momento em que você terá que realizar pelo menos uma das cinco missões inglórias:

Colecionador de Objetos

Nada no mundo é único: quando um objeto quebra, ele precisa de três partes para funcionar; quando uma poção precisa ser feita, estão faltando sete ingredientes; quando um monstro precisa ser derrotado, você precisa da armadura certa, da arma certa, do escudo certo e do elmo certo. Ninguém nunca já tem um dos componentes que faltam: todos precisam ser reunidos pelo protagonista. Para aumentar ainda mais o desagravo, capítulos mais a frente, aqueles itens raros que tanto trabalho deram para reunir, são encontrados aos montes espalhados pelo chão e ninguém liga. Felizmente, nos RPGs de fantasia, quando algum mago fala sobre chaves/pedras/armas "elementais", ele está falando de Água, Ar, Fogo e Terra e não dos 118 elementos da Tabela Periódica.

"Não Passarás"

Enquanto todos os outros NPCs correm para um lugar seguro ou estão bem longe tomando um cafezinho quente, o herói precisa enfrentar uma horda sem fim de inimigos na mesma posição. O jogo não dá nenhuma indicação de quantos oponentes serão ou quando as ondas terminarão. Você não sabe se já está na hora de usar suas poções ou medkits, se seria um bom momento de ativar a arma especial ou quando a derrota é inevitável. Você segue em frente e apenas torce para não ser um daqueles casos de respawn infinito... Para aumentar ainda mais o desagravo, você se pergunta de onde vieram tantos inimigos se, em condições normais, não existem tantos assim no mundo do jogo.

Half-Life 2 - Eles estão saindo das paredes! Por que todos eles querem passar por aqui justo agora?

Estagiário de Herói

Seu personagem pode ser o Escolhido, o Profetizado, o Libertador de Mundos, o único capaz de fazer o que precisa ser feito. Mas sempre terá alguém que irá olhar para você de cima a baixo e exigir uma tarefa ridícula. "Traga para mim um sanduíche de queijo quente", "reúna oito folhas de Capim Limão", "leve este bilhete para Fulano", "pegue minha roupa na lavanderia". A recompensa costuma ser igualmente patética. Para aumentar ainda mais o desagravo, algumas destas missões são obrigatórias para avançar na história... Um toque de realismo? Frustração do desenvolvedor que está descontando no jogador o fato de que precisa passar no supermercado depois do expediente? Ninguém sabe.

O Guarda-Costas

Ashley: o mais odiado personagem de Resident Evil 4 Inteligência artificial é algo que precisa evoluir muito no mundo dos jogos. Enquanto desenvolvedoras perseguem o mítico Graal do fotorrealismo, NPCs continuam se comportando como lemíngues cegos tentando achar um abismo pra se jogarem. É fácil programar um vendedor que não sai de seu lugar e comercializa mercadorias. Tente fazê-lo seguir um caminho e o jogo desce ladeira abaixo. Personagens que precisam ser escoltados pelo jogador invariavelmente correm na direção do perigo ou ficam parados enquanto são devorados vivos por monstros colossais. Adversários simples de vencer quando o protagonista está sozinho e tem tempo para executar uma estratégia precisam ser despachados com velocidade antes que o escoltado atire na própria cabeça ou escorregue na casca de banana. Para aumentar ainda mais o desagravo, eles falam pelos cotovelos e criticam se você não os protege.

Buraco Negro

Chegou a hora de desligar tudo e ir dormir e você decide completar só mais uma missão: "pegue minhas chaves que esqueci lá no escritório". Parece moleza, mas no caminho você esbarra em um imenso Dragão Vulcânico. Após a batalha homérica de vida ou morte, você descobre que o escritório está em chamas (dragões, sabe como é...). Para ativar o sistema anti-incêndio, tem que acionar três chaves de emergência. A primeira está protegida por uma horda de mortos-vivos. A segunda está faltando quatro peças. A terceira está atrás de uma sequência de saltos quase impossíveis, envolvendo lava, eletricidade, gelo e/ou lâminas. Você ativa os sprinklers, o incêndio apaga, você entra no escritório e... as chaves não estão lá. O celular do herói toca e uma voz misteriosa diz: "se quiser ver as chaves novamente, encontre comigo à meia-noite embaixo da ponte. E traga o Rubi do Destino". O Rubi do Destino aparece no mapa. Do outro lado do continente. Você volta para a base, sem as chaves, e o sujeito pergunta: "e aí, pegou minhas chaves?". Para aumentar ainda mais o desagravo, nenhum jogo tem a opção de você mandar o quest giver para a p*** que o pariu.

ATUALIZAÇÃO (11/06): Um bom complemento à postagem é o curto e hilário jogo em Flash Side Quest (dica do @ghedin, por pura coincidência).

Ouvindo: Nine Inch Nails - The Good Soldier
Seu apoio é muito importante! Ajude esse blog a crescer! Patreon

13 comentários:

Breno disse...

Uma tarefa ingloria interessante é quando o jogo literalmente trolla o jogador,prometendo recompensas grandiosas e giros de trama,só para no final a recompensa ser pifia! Se um dia vc jogar Arcanum e jogar o jogo o suficiente vc encontra esse tipo de quest! Chega a ser interessante por não ser uma quest generica,mas da raiva quando o jogador descobre que não pode prosseguir com a quest(pelo menos por meios tradicionais)!

Marcus Gonzallez disse...

Muito bom, Nine Inch Nails e o post.

Marcel C. Da Silva disse...

Buraco Negro, bem nisso que o Dragon Age: Origins se encaixa, a tarefa do Grey Warden era de apenas reunir todas as raças pra lutar contra o Darksawn...Era...

Shadow Geisel disse...

"e não dos 118 elementos da Tabela Periódica." kkkkkkkkk

não me recordo exatamente, mas já vi alguns desses clichês que vc citou serem quebrados (acho que foi em algum jogo da Bethesda).

"A recompensa costuma ser igualmente patética."

nem me fala. no Skyrim eu já tô babando verde por causa das misc quests. só dão uns trocados de recompensa.

"NPCs continuam se comportando como lemíngues cegos tentando achar um abismo pra se jogarem."

o tipo mais odiado. a escolha da foto não poderia ser mais acertada, Aquino. depois de jogar RE4 eu criei o termo missões Ashaley, em que é preciso escoltar personagens kamikase por algum perigo. sempre tem na maioria dos jogos. ou o npc é um completo tapado ou é invencível.
o cúmulo disso foi num jogo de estratégia de PSP que eu joguei: Jeanne D'ark. tem um príncipe (Charles) que quer ser coroado. ele usa uma faquinha ridícula e tem 80 de HP. a sua missão? protegê-lo dos assassinos que querem impedir a sua coroação. só que o desgraçado anda pra onde quer (adivinhem onde é esse pra onde quer dele?) e não aguenta nem um golpe sem morrer. quase desisti de jogar nessa parte.

"nenhum jogo tem a opção de você mandar o quest giver para a p*** que o pariu."

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. por isso que eu gosto dos Fallouts: dá pra explodir a cabeça de quem tiver a pachorra de te pedir pra pegar um ursinho no meio de um apocalipse zumbi...

Marcos A. S. Almeida disse...

Imaginemos um RPG qualquer que nos dá a seguinte missão:vá até tal lugar e busque a arma mais letal da localidade (que por motivos óbvios você não poderá usar).Pra chegar até lá você terá de pegar um veículo , matar dezenas de inimigos fortes ou fracos, achar muitos objetos úteis , voltar e entregar á alguém.
Agora imagine o mesmo trajeto e o mesmo procedimento para pegar um outro objeto: um laço cor-de-rosa rasgado(que por motivos óbvios você não irá usar).
Pergunta: um objetivo é mais importante do que outro?É mais nobre ir buscar a arma mais poderosa do que o laço rosa?No meu modo de ver não,são iguais, são missões dadas apenas para que se colete objetos importantes, ganhar experiência , praticar/usar habilidades e/ou objetos.Enfim para simplesmente jogar.Mas têm sempre alguém que reclamará dizendo: -"Pô , mas logo um lacinho rosa?Tá de sacanagem!"
Imaginemos uma missão realmente "importante" como o desbloqueio de um veículo para que possamos dar prosseguimento á história principal.Imaginemos que com o mesmo lacinho rosa haverá o desbloqueio.Há REALMENTE diferença?Alguns dirão:mas têm de haver coerência com história do jogo.Coerência em jogo eletrônico?É óbvio que algo totalmente "nonsense" seja num jogo, seja num filme descambará para o rídiculo ,mas um "nonsensezinho" aqui e alí é válido e eu diria que muitas vêzes é necessário.Mas que não desqualifica a obra em si e muito menos desestimula á jogar.

Jimmy666 disse...

Dragon Age Origins é muito melhor que qualquer Elder Scrolls...

Shadow Geisel disse...

mas tudo tem limite, Marcos.
seu exemplo me lembrou um jogo em especial, de PS2. Castlevania Curse of Darkness. nessa jogo, depois que você termina, abre duas torres. a primeira você completa de cima pra baixo. o nível das batalhas é mediano e as recompensas idem. quando você chega ao topo desta torre, depois de mais de QUARENTA ANDARES, você precisa utilizar a habilidade de um monstrinho para planar ao topo da outra torre e começar uma verdadeira descida ao inferno. perceba que evoluir da maneira correta esse monstrinho não é tarefa das mais fáceis. depois de passar por mais uns cinquenta níveis na segunda torre (recheada de monstros que podem te matar com dois ou três golpes, se vacilar), você ganha um item: um ovo, que pode ser usado como material para fabricar armas. o que se espera de um item ultrarraro que só vem uma vez no jogo inteiro? que ele gere a melhor e mais poderosa arma do game, certo? e se eu te disser que esse item cria um ESCOVÃO COM ZERO DE ATACK RATE? é mole? depois dessa, até um laço rosa seria uma recompensa melhor.

NOTA: eu não joguei essa porcaria de jogo. o relato se baseia no gameplay do meu irmão, que foi trollado por semanas por este que vos fala por causa dessa pérola. rsrsrs

Breno disse...

"Dragon Age Origins é muito melhor que qualquer Elder Scrolls..."

Como vc compara um arpg com enfase em história e niveis lineares com rpgs/arpgs sandbox?Comentarios relatando preferencias pessoais são irrelevantes para a discussão!

Dragon Age é bem formulaico também! vc tem que unir as raças para enfrentar um mal maior,sendo que em todos os lugares que vc chega tem um mal local para ser solucionado! Originalidade não é o forte da Bioware! Isso ja vem da epoca de KOTOR!

João Paulo Ferreira disse...

Muito divertida essa rixa do Breno com o Jimmy666.

Breno disse...

Mas com quem vc concorda?

Shadow Geisel disse...

"Dragon Age Origins é muito melhor que qualquer Elder Scrolls".

só faltou você dizer em que universo...

Breno disse...

Sem contar que Jimmy está falando de uma série de 5 jogos sem contar os spin-ofs(que provavelmente não chegou nem a jogar,tirando Oblivion e Skyrim)! Tudo bem que o cara não é nenhum critico profissional mas vamos afagar um pouco os exageros e as hiperboles!

Gustavo Coelho disse...

Estagiário de Herói praticamente resume o que é Star Wars: The Old Republic :-)

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino | Seja um patrono!

My Playstation WallpapersXbox WallpapersPC Game Wallpapers

High Hell