Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamTwitterRSS

9 de março de 2012

Fim da Guerra

"Somente os mortos viram o fim da guerra"

Platão

killing-floor-operation-god-save-the-queen-03

Eu tenho 128 horas jogadas de Killing Floor. Possivelmente, de todos os jogos experimentados nos últimos anos, o título da Tripwire Interactive foi o que obteve a melhor relação custo/benefício ou custo/diversão. Foi um longo percurso em menos de um ano, desde minha análise inicial, ainda usando um passe de convidado para o jogo, gentilmente cedido pelo Marcos A. S. Almeida, vulgo Dellphos. Travei batalhas homéricas, experimentei o gosto da vitória e o amargor da derrota. Fiz amigos, companheiros de combate dentro e fora do jogo.

Mas a guerra nunca acaba. Operação Wyre, Operação God Save the Queen, Operação Roadkill, Reconquista do Wyre e tantas outras que não foram documentadas.

Chopper Harris Nestas 128 horas consegui escalar do nível 0 em Support Especialist até o nível 6, o máximo disponível para qualquer classe. Como um título multiplayer sem história, a jogatina é infinita, a horda nunca acaba. Estabeleci uma meta para mim de completar todos os mapas oficiais no modo Normal. Ultrapassei a meta e estabeleci que iria parar quando chegasse ao último nível em minha habilidade ou completasse todos os mapas no modo Hard. Ganhei a insígnia dourada e continuei. Faltam apenas dois mapas para fechar todos os cenários oficiais em Hard. Mas criei uma nova meta: vencer pelo menos um mapa no modo Suicidal. Hoje, com a ajuda inestimável de outros veteranos, consegui romper mais um limite.

E vou parar.

Apesar de todas as aventuras, da adrenalina, das estratégias e riscos, é preciso parar. Há outros jogos esperando em uma fila que não cessa de crescer. Pode ser que não encontre mais outro custo/diversão tão poderoso. Pode ser que encontre outra pérola escondida.

Agradeço a todos que jogaram comigo nessas 128 horas, conhecidos e desconhecidos, mas especialmente aos lendários Dellphos (que deu início à infecção), Fagner P. (quantos mapas fechamos apenas nós dois?), Gyodai (o hilário Homem Frango, sharpshooter mortal), Jimmy666 (Senhor de Todos os Mapas), Jobs (a lenda viva), NaldoDias (eficiente matador de monstros), Iguuu (cujo entusiasmo gerou o grupo oficial do Retina Desgastada), Estacado (aparecia pouco, mas aparecia para decidir) e V de Burrice (sempre pronto para entrar no meio de qualquer partida). Espero encontrá-los em outras guerras.

Se você está começando agora, confira algumas dicas de quem já esteve lá. Ouça os mais experientes. Trabalhe em equipe. E não irrite o Scrake.

Apesar da despedida, manterei o jogo instalado. Afinal, a guerra nunca acaba.

Ouvindo: Unter Null - Your Nightmare (Archibald Von Saint Amand - Remix By Heimataerde)
Seu apoio é muito importante! Ajude esse blog a crescer! Patreon

26 comentários:

Marcos A. S. Almeida disse...

Obrigado pela frequente citação , Aquino.Quando enviei o passe não imaginava que você iria gostar tanto do jogo.Mas pensei:"- Esse cara jogou Blood,Shadow Warrior, comprou Revista Big Max e CD expert e fez parte da "Geração Coca-Cola" , então ele deve ter um gosto parecido com o meu.Talvez ele ache legal." Hoje vejo que apesar de sermos da mesma geração a afinidade é restrita á alguns jogos , mas mesmo assim tenho o sentimento de "dever cumprido" por ter indicado esse jogo á você.Apesar de ultimamente ter jogado pouco o KF, é sempre ruim saber que um companheiro deixará de jogar.Mas também entendo que com a lista gigante de jogos que você têm, fica difícil ficar jogando um jogo "sem fim".Fará falta no KF, mas a verdade é que suas análises e impressões sobre jogos têm feito falta por aqui também.Perderemos um companheiro de jogatina, mas o exímio "analista" de jogos retornará.

Gyodai disse...

Primeiramente, muito obrigado por citar este humilde jogador que gosta de manifestar seu eu digital na forma de um ridículo frango com uma besta nas mãos. Jogamos juntos, vencemos juntos, perdemos juntos e, o mais importante, nos divertimos pra caramba juntos. Entendo essa sua pausa como uma "redução de dedicação" ao jogo, porque sei que, vez ou outra, você vai aparecer pra jogar mais uma. Eu tenho meus objetivos a cumprir em Killing Floor, e todos são extremamente ambiciosos. O principal é reproduzir o suposto feito máximo da lenda Jobs: matar o Patriarch com o welder. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Sério, espero que você, de vez em quando, jogue uma partida com a gente. Passei a gostar muito mais do jogo depois de conhecer você, o Fagner, o Dellphos e a galera toda.

E como diria a squad voice do KF:
Cheers, big ears!

Breno disse...

Aquino, por que vc não mostra a sua lista de jogos e pede a opinião dos leitores pra sabar qual o proximo a jogar!

JC disse...

O dilema dos jogos multiplayer...muito legal a maneira como você relatou essa jornada pela Londres infestada de maneira tão interessante, mas realmente tem uma hora que deve-se tomar essa importante decisão (já que o jogo não te diz quando parar). Passei por uma experiência parecida com esse jogo: acostumado a jogar games singleplayer geralmente atraido pela história acima de tudo, jogos apenas com foco no multijogador nunca conseguiram me atrair por muito tempo, no entanto comprei KF em 2010 influênciado pelo passoal do blog que participava e jogo até hoje (casualmente). Não tive paciência pra evoluir perk nenhuma ao nível máximo, mas ja tive alguns momentos memoráveis (como entrar num mapa suicidal com nivel 1 e sobreviver graças aos caridosos gringos nivel Max que estavam por lá).No entanto, chegou uma hora em que me cansei e voltei as aventuras single.Mas sempre acabo reinstalando o jogo, como aconteceu quando comecei a ver o interesse de Aquino e do pessoal que foi se juntando aqui para jogar. Foi o melhor grupo que já encontrei e me diverti bastante com vcs. Graças ao grupo consegui fechar mapas que geralmente são pouco jogados e aprendi a gostar da classe Support Secialist ^^

Bem, foi legal. Vou reistalar o jogo novamente e sempre que tiver uma vaga no grupo vou pongar na batalha!hehe

Abraço a todos.

C. Aquino disse...

Marcos, mais uma vez obrigado pelo jogo! Não canso de agradecer! Fico feliz que tenha entendido minha decisão. Quando me dei conta que já estava em Março e não tinha completado nenhum jogo e tampouco escrito uma única linha do próximo livro, vi que algumas coisas tinham que ser cortadas. KF, após tantas horas, foi o escolhido. Coincidência ou não, ontem avancei um bocado no Assassin's Creed que estava meio largado aqui...

Gyodai me conhece: eu voltarei uma vez ou outra. Mas a rotina quase diária será suspensa. Talvez nos eventos? Talvez um final de semana por mês? Não sei. Por enquanto, é um "até breve".

Breno, a escolha do próximo jogo é uma decisão tão complexa que acaba sendo determinada por impulso... E deixar para os leitores escolherem vai gerar mais flame war do que benefício!

JC, tenho certeza de que será sempre bem-vindo às batalhas!

estacado disse...

"aparecia pouco, mas aparecia para decidir" hehe

Killing Floor foi um dos poucos jogos que me pegou de surpresa (conheci por aqui) e até hoje; por mais que comecei jogar mais raramente ainda por causa dos compromissos da idade jovem/adulta, e do pré matrimonio do final de semana; ainda tenho uma grande estima por ele.

raramente você se diverte com amigos sem ter aquela ansia de evoluir mais que o outro para ser o melhor. Em killing o que vale é a habilidade do jogador, não necessariamente sua perk e nivel. e contar com amigos no jogo vale muito.

Espero que um dia volte a jogar Aquino, ou teremos que encontrar um outro a altura. Ou faça igual a mim, pegue Skyrim e esqueça do mundo por umas horas :]

Jimmy666 disse...

KIlling Floor realmente é um fenômeno.
Nesse exato momento estou com 408 horas de jogo e 156 das 176 conquistas.Me faltam 7 mapas no modo Hell on Earth e alguns achievs de evento...
Killing Floor me custou pouco mais de 3 dólares em outubro do ano passado e desde lá o jogo quase todo dia.
Diferente de outros jogos que é só ter habilidade e sair matando, Killing Floor tem vários componentes estratégicos interessantes.Para se jogar os níveis mais difíceis é fundamental conhecer para que serve cada perk, conhecer o mapa, conhecer cada monstro.
Discordo do Estacado quando ele diz que o que vale é a perícia do jogador, pra mim é o elemento menos importante.
Tenho 250 horas de Modern Warfare 2 multiplayer e meus números são desastrosos, o mesmo com BF BC2 e BF3... em matéria de FPS sou uma negação apesar de adorar o estilo.
Enfim, possuo alguns jogos que me custaram mais de 100 reais no STEAM e nenhum deles me divertiu e ainda diverte como o KF que me custou pouco mais de 3 dólares.
Ainda pretendo jogar bastante, embora esteja estudando e trabalhando...

Shadow Geisel disse...

Cara, toda vez que o Aquino fala sobre o KF escorre uma lágrima em meu rosto , de vontade de jogar. não tenho como jogar mas, ao menos, me diverti bastante com os textos. mesmo sendo sobre um jogo que nunca joguei ( e, por pura preguiça, nunca assisti a videos no youtube), os textos conseguiam passar toda a emoção que um jogo online deve ter.

Ronaldo disse...

Foi bom lutar ao seu lado. Desculpe pelas derrotas no Bedlam e Hospital Horrors. Esses dois são os mapas mais chatinhos na minha opinião. Na próxima a gente fecha eles.

Ter habilidade não é tudo, mas ajuda quando você é o último sobrevivente e tem que se virar com 100 criaturas tentando te devorar. Nesse vídeo (http://bit.ly/zM7Gsc), por exemplo, o cara consegue sobreviver. É bonito de se ver.

Ah, dei uma lida no seu twitter. Avisa pro Gyodai que no Suicidal e Hell on Earth são necessários 2 tiros de crossbow pra matar o scrake, mesmo no nível 6. O primeiro deixa ele tonto e o segundo explode a cabeça. Nesses níveis acaba a mamata de um tiro só :P

Gyodai disse...

Eita, Ronaldo... É sério?
Mais um motivo pra eu desistir de jogar com ss em dificuldades mais altas.
Vou subir ss pra lvl 6 só pra vender o crossbow. Ser o matador de scrakes é um trabalho muito ingrato... huahauhauahuauhuahauuhauuhauhau

Fagner P. disse...

ahahahah, muito bom. Eu conheci o Killing Floor através de vocês também, daqui do blog. E desde então nunca mais parei de jogar, 200 horas de jogo, 3 perks em level 6. Muitos mapas fechado sozinho, só eu e o Aquino, ahahahah. Eu praticamente abandonei meu Xbox, desde que eu comecei a jogar KF, o único jogo que joguei simultaneamente foi o Skyrim, mas depois voltei pro KF. Eu to dando uma parada também, principalmente por que quase não tem mais servidores brasileiros, os que tem, são no normal ou hard, e jogar suicidal ou HoE em servidor gringo com ping em 300 é dose.
Bom, como o Gyodai disse, espero que tenha mais umas partidas casuais, aqui e ali, e podem me chamar que to dentro.

Jimmy666 disse...

Que mapas falta no hard?Vamos fazer a despedida esse domingo ou agora sábado a noite zerando os dois mapas que te faltam!

Rebeca disse...

Foi divertido acompanhar as missões de vocês aqui no Retina. =)

PS: Na torcida pra que um dos jogos da sua fila seja Silent Hill: The Room. O seu texto sobre SH2 foi um dos mais incríveis que já li, adoraria ler suas impressões sobre The Room também (mesmo que num futuro distante).

Jobs disse...

Então somos dois Retina, exatamente no dia 22 de janeiro consegui todas as conquistas e a partir desta data o KF fico meio sem sentido para mim, o jogo me ofereceu 624 horas de pura diversão mas como vc eu tb tive que tocar a bola pra frente. Mas pretendo voltar um dia, em uma próxima atualização, novos mapas, novas conquistas. E aproveitando o post tb gostaria de agradecer a todos a pelos momentos de diversão no KF e um até breve.

C. Aquino disse...

Jobs e Fagner parando também? Más notícias...

Então, respondendo ao camarada Jimmy 666, quem topa uma despedida oficial nesta sexta-feira de noite? Mapas: Bedlam e Hospital of Horrors no modo Hard? Com direito a screenshots da galera e relatório de batalha no fim de semana!

C. Aquino disse...

E... Meu Deus, Jobs! Conseguiu todas as conquistas?? Depois não sabe porque é considerado uma lenda viva. Aí está uma meta que nem me passou pela cabeça! Parabéns múltiplos!

Marcos A. S. Almeida disse...

Ehehehe, só estava faltando você nesses comentários , Jobs.624 horas?Todas as conquistas? Isso nem o Chuck conseguiu.
Rebeca, realmente The Room é incrível.Ele quebrou a mecânica dos anteriores ao nos manter num quarto claustrofóbico que têm de ser exorcizado e talvez por isso muitos fãs não gostaram dele.Mas particularmente , depois do SH1 o The room foi o que mais gostei.O SH2 apesar da narrativa melhorada manteve basicamente a mesma mecânica do primeiro e pra mim foi "mais do mesmo".Já o três comecei mas não me empolguei.Isso só pra falar dos que saíram pra PS2.Ok , eu sei que Origins e Shatered Memories também saíram pra PS2 , mas foram ports tão porcos que não os considero.

Fagner P. disse...

Se eu ficar em casa, sexta a noite, eu to dentro da jogatina! O problema é que provavelmente vai dar mais de 6 pessoas...

Jobs disse...

Saideira do KF...se for lá pelas 23:00 eu to dentro.

C. Aquino disse...

Fagner, se eu não estou enganado, é possível configurar o servidor para mais de 6 jogadores. Vou confirmar isso... mas será no máximo 8 porque não sei se minha conexão ou meu PC dão conta do recado.

Jobs, 23hs me parece um bom horário para eu ter certeza de que meu filho pegou no sono!

Raphael AirnMusic disse...

Puxa, nem tive a chance de jogar com vcs. Se rolar a partida na sexta e eu puder, posso jogar? Estou no nivel mais basico do basico e nao quero atrapalhar tbem.

Se tiver muita gente, podiamos dividir em um mapa mais dificil pra quem joga muito e um mais basico pra quem quase nao joga hehe

Rebeca disse...

Ah, então você jogou! Que bom ouvir isso, ele é meu segundo Silent Hill favorito também. Mas o que eu mais vejo é gente odiando The Room. rsrs

Valeu pela resposta e desculpa o off-topic, Aquino. =)

Fagner P. disse...

Rebeca, você estava na Campus Party? Foi palestrante? Eu assisti a palestra dada pelas moças do Girls of War, e foi excelente.

Jimmy666 disse...

Girls of War esteve aqui em Blumenau no N3rdcon, mas nem vi a palestra.
Como a maioria já é lvl 6 ao menos em suporte, jogando no hard não tem problemas de ter um ou dois jogadores de lvl muito baixo, fica até bom pra não ficar fácil demais.
Sexta a noite eu posso pois folgo no sábado!

Rebeca disse...

Fagner, que legal que você viu a palestra e gostou! Era eu, sim. =D

No blog tem uns posts sobre a nossa participação na Campus e na N3rdcon, se quiser dá uma passada lá pra conferir.

Marcos A. S. Almeida disse...

Bom,eu me habilito a "hostear" um no normal se tiver alguém com nível baixo.Estou precisando "upar" meu Sharpshooter.O ideal é se soubesse-mos com antecedência quantos serão.

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino | Seja um patrono!

My Playstation WallpapersXbox WallpapersPC Game Wallpapers

High Hell