Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamTwitterRSS

1 de maio de 2012

Traição nas Estrelas

Embora a ação militar coordenada de 15 mil atacantes da Goonswarm impressione pelos números e pela ousadia, não foi a primeira e tampouco será a última demonstração da vilania no universo de EVE Online. Ainda que eu nunca tenha jogado o MMORPG nem mesmo por um minuto, suas histórias e lendas sempre me intrigaram desde que tive a dúbia chance de dividir um escritório com um viciado no jogo. E de todas as crônicas, nenhum até agora me espantou mais do que a derrocada da guilda Ubiqua Seraph.

Em 2005, a Ubiqua Seraph era uma das maiores potências dentro do universo de EVE. Uma corporação riquíssima com controle de vastas regiões e posse de colossais naves de combate. Odiada por muitos, temida por todos. Até cruzar o caminho do paciente e assustadoramente organizado Guiding Hand Social Club (GHSC). Em poucas horas, no dia 18 de abril daquele ano, a CEO da Ubiqua Seraph foi assassinada, sua imponente nave destruída e quase todas as reservas de capital e recursos da corporação foram parar nos bolsos de seu inimigo secreto. Foi a concretização do trabalho de um ano. Não um ano em termos de jogo. Um ano no mundo real, doze meses de infiltração e intriga, de mensagens cifradas e traições.

Arenis Xemdal A especialidade da GHSC são os agentes duplos. Um grupo de operativos da guilda foi infiltrado na Ubiqua Seraph e escalou gradativamente os degraus da hierarquia corporativa até os altos escalões. Arenis Xemdal conseguiu até mesmo a façanha de se tornar o braço direito de Lady Mirial, a toda-poderosa CEO da corporação. A Xemdal foi garantida a utilização de uma Imperial Apocalypse, uma nave tão poderosa que apenas duas existiam em todo o MMORPG. Nem Mirial tinha acesso a tamanho poder de fogo, ainda que sua Navy Apocalypse estivesse apenas um patamar abaixo em termos de capacidade bélica. Mais do que isso, Xemdal tinha a total confiança do conselho da guilda e era capaz de vetar planos e debater de igual com Lady Mirial. Mas a GHSC também tinha agentes plantados em diversos níveis da organização.

No dia marcado para o golpe, todos os operativos se posicionaram próximos aos depósitos de riquezas da Ubiqua Seraph. Mirial cedeu ao orgulho e se deixou convencer por Arenis a tirar as duas mais poderosas naves da armada de seus hangares e desfilar pelo espaço, em um arrogante demonstração do poder da guilda. Quem ousaria desafiar tamanho poder de fogo? Quem poderia fazer frente a uma corporação que tinha dinheiro o suficiente para ostentar naves tão custosas? A GHSC ousava. No último minuto, uma das naves da guilda de assassinos foi avistada se aproximando para a emboscada. Mirial agiu rápido e realizou um salto curto para outro setor da galáxia. No seu rastro, Xemdal, seu braço direito, seu tenente de confiança, seu nêmeses. Mesmo sem o apoio de outras naves da GHSC, a Imperial Apocalypse era mais do que o suficiente para aniquilar a Navy Apocalypse de Mirial. Foi uma batalha de titãs, jamais vista antes em EVE.

Apocalypse vs Apocalypse

Enquanto Lady Mirial testemunhava a gradativa destruição de seus escudos,  a palavra código "Nicole" foi transmitida para todos os agentes da GHSC. Era a senha para o assalto. Todos os depósitos da Ubiqua Seraph foram saqueados simultaneamente por quem tinha conquistado acesso legítimo. Nenhuma "porta" foi arrombada, nenhum tiro foi disparado. No lugar onde deveria estar a riqueza compartilhada da guilda, restou somente uma mensagem da Guiding Hand Social Club assumindo a autoria do golpe.

A queda da Ubiqua Seraph foi um crime encomendado. Algum rival da corporação entrou em contato com a GHSC e contratou seus serviços. Foi pago o equivalente a 500 dólares, mas em dinheiro do jogo. Uma quantia pequena para tamanho ato, mas o contratante misterioso declarou que a GHSC poderia ficar com tudo que conseguisse colocar a mão. Ele não queria nada, exceto duas coisas: a humilhante derrota da Ubiqua Seraph e o cadáver frio de Lady Mirial entregue de bandeja.

Lady Mirial Em EVE Online, quando sua nave é destruída, seu personagem é ejetado em uma cápsula de fuga para seguir jogando. É considerado desleal destruir a cápsula: ela não representa perigo algum e tampouco rende pontos ou remuneração financeira. Se sua cápsula for destruída, também não significa o fim do jogo pra você: um clone seu será gerado com suas estatísticas de semanas atrás. Infelizmente, todos os caríssimos implantes cibernéticos que você possa ter acumulado desde que começou a jogar se perdem no processo de clonagem. O contratante da GHSC queria a cápsula de fuga destruída e o cadáver capturado e entregue em seu hangar.

Além dos cerca de 500 dólares pagos adiantados pelo contratante, a GHSC conseguiu roubar o equivalente a 16.500 dólares e alcançar uma fama temível. A mortífera guilda de espiões e assassinos continua na ativa até hoje, com o mesmo diretor da época do seu mais ousado ataque. Ubiqua Seraph nunca mais se recuperou da traição e encerrou suas atividades em outubro de 2006. Arenis Xemdal continuou sua carreira como piloto para outras corporações, após sair da Guiding Hand Social Club, em 2006; seu último registro é de 2010, a serviço da Viziam. Lady Mirial se desligou de EVE; os relatos são contraditórios, mas todos são unânimes em afirmar que sua saída do MMORPG não esteve relacionada ao atentado e aconteceu muitos meses depois.

A identidade do contratante não foi localizada. Nem seu macabro troféu.

Ouvindo: Deathstars - Modern Death
Seu apoio é muito importante! Ajude esse blog a crescer! Patreon

8 comentários:

Oliver disse...

"Nem seu macabro troféu." ahahah morri de rir com essa parte.

iguuu'Poa disse...

É a arte que imita a vida ou a vida que imita a arte?

Sempre meticuloso e esbanjando boa escrita, Aquino. Parabéns :D

Não é a primeira vez que me espanto com o quão longe MMO's podem ir, tem tanta história bizarra do wow... Gente se prostituindo por dinheiro ingame, garoto cometendo suicídio por querer encontrar os heróis do Warcraft, modelos famosas européias jogando wow nus, famosos jogando wow, policiais prendendo bandidos através do jogo, dentre inifitas bizarrices possíveis nesses queridos mundos virtuais.

Jimmy666 disse...

Fora os presidiários chineses obrigados a jogar WOW para o governo ganhar dinheiro com os itens ingame...
Sério, parece notícia da VEJA para demonizar os Estados socialistas, uheuhehuehueh...
Enfim, faz tempo que não jogo MMo pq como foi dito aqui, é necessária uma dedicação extrema demais...
Chega logo dia 11 pra mim botar as mãos no SF X Tekken!

:)

estacado disse...

ótima história. eu invejo quem tem tamanha organização pra um jogo desses, ainda mais se tratando de número tão grande de envolvidos.

tem aquela que aconteceu no WOW que um cara morreu (na vida real) e os amigos de guilda dele resolveram fazer um funeral in-game do personagem. ai uma galera da facção oposta invadiu o "funeral" e matou todo mundo.

p.s fora de assunto, mas li por ai que em agosto sairá uma DLC nova pra killing.

iguuu'Poa disse...

Estacado, talvez vocÊ se refira a Snowly, uma jogadora chinesa. E ela morreu de exaustão depois de jogar por 3 dias seguidos.

Aliás, essa notícia eu descobri numa figurinha de big big(será que ainda existe esse chiclete?)

iguuu'Poa disse...

E a propósito, eu tenho essa figurinha até hoje XD

estacado disse...

iguuu

uia, morreu assim é? eu ouvi essa historia em um nerdcast, mas nao lembrava como foi a morte da pessoa. que coisa bizarra.

Breno disse...

Não tem muito haver com o post,mas eu vi uns videos tão incriveis de Quake 3 Defrag que resolvi postar aqui pra quem quiser ver!

http://www.youtube.com/watch?v=AA5eOmkR3ZI&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=QYBs_lslyuY&feature=relmfu

Quem disse que parkour comecou com Mirros edge

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino | Seja um patrono!

My Playstation WallpapersXbox WallpapersPC Game Wallpapers

Regalia