Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamTwitterRSS

1 de julho de 2010

Coisa do Demo

Seguindo os conselhos dos camaradas Ghedin e NevesZerg em meu post anterior, irei segurar meus impulsos e não vou comprar Fuel. Ghedin sugere que eu tire a prova baixando o demo do jogo, de 1GB. A solução era tão óbvia e, no entanto, eu não a percebi. Na dúvida, baixe o demo, ora bolas!

Descobri que, nos últimos ANOS, o único demo que eu baixei foi o do novo Aliens vs Predator. Com resultados pouco satisfatórios, após uma noite inteira de download.

alma Antes disso, experimentei os demos de Prey, F.E.A.R. e Starship Troopers, para vocês terem uma noção do tempo que passou. Era uma época em que eu queria me inteirar um pouco mais sobre as novidades em primeira mão e testar os limites de minha máquina ao mesmo tempo. A melhor opção para baixar demos naquela época (e ainda hoje) era o site nZone, da nVidia. Ao contrário dos grandes portais que limitam sua velocidade, tem tempo de espera ou exigem uma assinatura premium, cadastro, CPF da avó paterna, plugin especial e outras burocracias, no nZone os links são diretos, a velocidade é boa e não precisa de nada: clicou, baixou. Mas, de todos os demos, apenas Prey mereceu entrar para minha coleção.

Meu teste com F.E.A.R. não durou dez minutos. Os gráficos não me empolgaram, a velocidade dos controles foi muito devagar para meu gosto, a atmosfera não me cativou. Alguém poderia argumentar (e com razão) que dez minutos não são suficientes para julgar um título, mas trago comigo esta péssima primeira impressão do FPS. Um preconceito(?) que não tive vontade de desfazer.

Meu teste com Starship Troopers durou mais de dez minutos! Não por mérito do jogo, vale dizer, mas apenas por que a batalha em que eu desisti do título tinha uma quantidade infinita de alienígenas surgindo. Quando eu me dei conta de que não iria sair dali e que tinha desperdiçado bons quinze minutos de minha vida, fechei e desinstalei. Confesso ser fã do filme (e não ter lido o livro original), mas, em termos de jogos, Starship Troopers continua devendo algo que valha a pena.

Do pacote, restou Prey. Joguei por uma hora, imerso na estranha história, nos estranhos ambientes e nas estranhas funcionalidades inseridas no jogo. Parei quando me dei conta de que precisaria repetir todos aqueles passos de novo na versão completa. Uma hora de repetição poderia inclusive prejudicar minha percepção da qualidade do título! Eu criei para mim mesmo uma situação em que gostar do demo significaria arriscar o impacto inicial do próprio jogo... Até hoje, ainda estou guardando distância de Prey para poder volta a jogá-lo "como se fosse a primeira vez".

Nos Bons e Velhos Tempos...

CD-Expert Na época áurea em que eu comprava CD-ROMs em bancas de jornal, demos eram extremamente acessíveis. Em cada CD, você tinha quinze, vinte jogos à sua disposição, um mundo a ser descoberto. Era impossível, nesta quantidade, não ter pelo menos alguma coisa interessante no pacote. Conheci Half-Life assim. Conheci Blood. Conheci Shadow Warrior, Duke Nukem, Age of Empires, Close Combat, Diablo, Hexen, MDK, POD, Take no Prisoners, dezenas deles desta forma.

Outros tantos, eu baixava pela conexão discada enquanto jogava MUD, contando as horas para a conclusão. Road Rash, House of the Dead, Enemy Infestation, Incubation, Terminal Velocity, Ecstatica. Naquele tempo, demos eram leves. Um demo de 50MB era considerado um absurdo de grande. Mesmo com banda lenta, a espera não era tão grande assim.

Sem dinheiro para jogos completos e com um universo inteiro para explorar, os demos me mantiveram no vício por muitos anos. Meu gosto se formava. Quando o dinheiro dava e a impaciência era grande, eu comprava um CD-ROM. Pode parecer estranho hoje em dia, mas eu podia comprar uma revista na banca pelo simples motivo de trazer um demo que eu queria. Foi assim com Blood 2, por exemplo.

Mas, tudo passa. Os jogos cresceram em complexidade e megabytes. Cada CD passava a ter dez, cinco, três e até um demo de jogo no máximo. Para que arriscar meu suado dinheiro com algo que poderia não me agradar? Era melhor esperar concluir o download, mesmo que levasse vários dias. Inversamente proporcional, o tempo que eu tinha para me dedicar aos jogos se reduzia ano a ano.

Se o tempo diminuía, o dinheiro disponível passava a pertencer a outro patamar. Economizando nos demos e com maior poder aquisitivo, eu já podia comprar os lançamentos completos nas bancas de jornais. Sem tempo, banda ou dinheiro para investir em demos e com jogos inteiros ao meu alcance, esta era chegou ao fim.

Demos? Pra Quê?

E dez minutos são suficientes? Não poderia eu ter uma opinião diferente sobre F.E.A.R. se meu jogo fosse completo? Impelido pelo investimento eu não poderia ter me forçado a jogar mais um pouco e ter descoberto um grande título? E o que acontece quando o demo é bom demais e você lamenta não poder emendar direto na experiência total? Por cinco dólares não valeria o risco de não gostar de Fuel? É possível transportar meus saves para o jogo completo? Se não, por quê?

Hoje em dia, passei a confiar mais nas análises em revistas e sites especializados. O Mobygames e sua base de reviews feitas por jogadores como eu e você provou ser uma fonte inesgotável de boas opiniões. Com meu gosto formado após anos de tentativa e erro, eu poderia comparar impressões e descobrir antecipadamente o que poderia me agradar ou não. O primeiro Fallout eu comprei no escuro, sem experimentar demo algum. O mesmo valeu para Anachronox, Halo, Baldur's Gate 2, The Suffering e outros de minha lista de favoritos. Adquiri muita porcaria também, mas, tirando um erro ou outro, acho que atingi um ponto que consigo prever minha resposta a este ou àquele título.

Longo post... tudo para dizer que continuo cogitando Fuel. E vou baixar o demo essa noite.

Enquanto isso, a indústria já está tomando suas próprias decisões e logo chegará o dia em que os demos serão coisa do passado para todo mundo. Da pior maneira possível.

Ouvindo: Moby - Sleep Alone
Seu apoio é muito importante! Ajude esse blog a crescer! Patreon

7 comentários:

Marcos A. S. Almeida disse...

É Aquino, bons tempos...como já disse anteriormente , somos conteporâneos de BIGMAX e CD EXPERT, e realmente , eram muitos demos e que eu também utilizava ( e na maioria das vêzes ficava frustrado) para testar os limites do meu Pentium 166 MMX ( com MMX hein!). E foi testando demos que me empolguei com TOMB RAIDER ( sim , o 1º) e fiquei frustrado não pelo desempenho, mas por ser curto demais...Mas virei fã e fiquei mais entusiasmado quando descobri que ATÉ o BONO VOX jogava Tomb Raider! E foi através de demo que descobri outro game muito estranho que rodava "lerdamente " em meu PC: GALÀPAGOS. Rodava , mas tão lerdo que desisti do demo, mas fiquei muito interessado no game que mostrava uma aranha mecânica andando sobre plataformas.Após algum tempo e um pc melhor , rodei o demo novamente , redondinho , mas a qualidade do jogo...Felizmente não investi no jogo completo!!!

C. Aquino disse...

Que o Demo (com "D" maiúsculo) leve a alma dos desenvolvedores de Galapagos. Ótima idéia, péssima implementação. Um dos jogos mais torturantes já inventados...

NevesZerg disse...

Demos que joguei na epoca foram, duke nukem (shareware), shadow warrior, blood, out of this world. Gostava muito, jogava o demo varias vezes, bons tempos.
Mas FUEL, nao vale os bytes.. hehe

Bruno disse...

Cacetada... Vc acredita que essa CD-EXPERT com Forsaken foi foi a primeira revista e o primeiro jogo que comprei na vida? Lembrando agora, Forsaken era um lixo já naquela época. Mas gastei horas e horas de minha vida pilotando e explodindo inimigos com minha moto robótica flutuante HK-5, que teve seus chips infestados por megalomania, algo que nunca vou conseguir entender.
Sobre o F.E.A.R., não me considero um fã, mas gosto dos jogos da série. A história é descartável (apesar de ter um bom potencial se tivesse sido melhor trabalhada), sem profundidade alguma, mas é divertido. Principalmente no segundo, quando vc usa um robô e sai metendo chumbo em soldados, carros, outros robôs e etc. Enfim, pode ser que vc não tenha gostado da demo pq a pouca história do jogo simplesmente não existe lá. É até possível que jogando o completo vc se encante com a história de Alma, que apronta altas confusões com uma turminha morta da pesada em Armachan, e seu personagem, mas não acho muito provável.
Parece que estão trabalhando melhor na história do terceiro jogo da série, mas não coloco minha mão no fogo.

Fagner (Stigmata) disse...

Esse post foi perfeito, parece que você escreveu parte da minha história com games aí. hahaha Comecei da mesma forma, com demos, e quase os mesmos que você jogou. Foi a melhor epoca que eu tive com jogos, quando eu tinha tempo e não tinha tanto dinheiro pra gastar com jogos que não valeriam um centavo. Até hoje jogo alguns, Quake, Doom, e Age of Empires que me rendeu na compra de todos os titulos ja lançados até hoje sem arrependimentos, foi o principal deles. Só uma dica, eu particularmente gostei muito de Prey, pra quem gosta de mistério e bons gráficos é um prato cheio.

Anônimo disse...

bacana demais teu blog. abraço.

David
(tierromar.zip.net)

Anônimo disse...

ei em época de copa do mundo tu não falou nada sobre jogo de futebol, voce poderia dar uma palinha sobre esse assunto.

já estamos na reta final

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino | Seja um patrono!

My Playstation WallpapersXbox WallpapersPC Game Wallpapers

High Hell