Retina Desgastada
Idéias, opiniões e murmúrios sobre os jogos eletrônicos
Comunidade do SteamTwitterRSS

4 de junho de 2010

A Revolução Chegou!

Possivelmente, o melhor trailer de jogo do ano:

Por favor, me congelem e me acordem em 2027. Com um braço cibernético, se possível.

Ouvindo: Aphex Twin - Digeridoo
Seu apoio é muito importante! Ajude esse blog a crescer! Patreon

13 comentários:

Rafael disse...

Acabei de ver esse vídeo no uol (pouco antes de entrar no seu site) e estou me sentindo dentro de uma cela impotente, sabendo que assim que eu sair do trabalho não terei nenhum jogo novo que ao menos possa me distrair até a chegada deste título, certamente sonharei com este vídeo....

GORDON FREEMAN disse...

EU TENHO O PRIMEIRO DEUS EX E O CNSIDERO UM DOS MELHORES GAMES QUE EU JA JOGUEI,UMA MISTURA DE FPS COM RPG QUE SE PASSA NO FUTURO,COM AMPLAS OPÇÕES ABERTAS PARA O JOGADOR ESCOLHER.ESPERO QUE ESTE SEJA TÃO BOM QUANTO O PRIMEIRO E EU JA COLOQUEI EM MINHA LISTA.PARA QUEM NUNCA JOGOU ESTA É UMA BOA OPORTUNIDADE ,MAS ACONSELHO QUE JOGUEM O PRIMEIRO DEUS EX, PORQUE É UM DOS MELHORES JOGOS DE TODOS OS TEMPOS!!

Marcos A. S. Almeida disse...

Amigos,não sei se é porque sou da " velha guarda" ou se os que são dessa mesma época produzem jogos e filmes ou se é apenas impressão mesmo, mas quando eu vi esse trailler tive a sensação de já ter visto algumas partes do seu conteúdo em outro lugar.Mais específicamente num filme " Cult" chamado BLADE RUNNER:O CAÇADOR DE ANDRÒIDES...Não, não acho que seja plágio, cópia ou algo do gênero, mas como esse filme virou de certa forma referência pra outras criações, pode ter influenciado os criadores de novo jogo também.Bom, pode ser que eu esteja " viajando na maionese", mas que me deu essa impressão, deu!

C. Aquino disse...

Blade Runner é o pai da estética visual cyberpunk, nada mais natural que influencie gerações. Tive exatamente a mesma impressão ao ver o trailer. Outra influência clara é da série Matrix. Se este jogo conseguir casar a atmosfera noir de Blade Runner com a ação estilizada de Matrix, teremos um clássico capaz até de superar o legendário primeiro Deus Ex.

Bruno disse...

O primeiro Deus Ex foi épico, disp3ensa qualquer tipo de comentário. Cansei de contar quantas vezes zerei aquele jogo.
Daí anunciaram o Deus Ex 2. Fiquei tão eufórico quanto qualquer fã pode ficar. Contando os dias, horas, minutos e segundos p/ o lançamento. Quando finalmente coloquei minhas mãos no jogo, me deparo com aquela... Colcha de retalhos, aquele Frankenstein, aquele lixo que foi Deus Ex 2. A decepção foi grande. Por isso, p/ mim, Deus Ex não é uma série. É um jogo só, que foi o primeiro. Quando fiquei sabendo do terceiro, senti um misto de esperança e desconfiança. E continuo desconfiado.
Claro, a Square já tem meu dinheiro garantido p/ este título, mas não vou entrar no hype.

Nelson disse...

Tem muita coisa de Ghost in the Shell aí também, no que se refere à cibernética na sociedade (até mesmo a paleta de cores remete à Innocence)... se eles souberem aproveitar na jogabilidade essa referência que pra mim é a mais impecável franquia cyberpunk destes últimos 15 anos e tiverem aprendido com os erros de IW, esse jogo merece uma igreja renascentista

Éder R. M. disse...

Eu assisti esse trailer assim que sai. Muito bom. Tenho acompanhado com expectativa as notícias referentes ao DX3.

O jogo Deus EX, pra mim, é simplesmente o melhor jogo já lançado no planeta Terra. Pode parecer exagero, mas é assim que me sinto.

Eu poderia fazer um texto enorme ressaltando todas as qualidades (e inovações para a época) desse game fabuloso. Aliás, na minha humilde opinião, poucos jogos sequer se aproximaram do espírito ou mesmo da dimensão do primeiro Deus Ex. Cada cenário parece real (não os gráficos, claro; mas o design), cada personagem tem algo importante/interessante/instigante para dizer; cada local tem diferentes caminhos e opções, e a trama é épica e fascinante. Democracia, liberdade, poder, condição humana; esses são apenas alguns dos temas da história.

O segundo foi muito decepcionante. Era uma "versão resumida" do primeiro, na qual tudo foi diminuído. Até a história demora pra realmente engrenrar, apesar de mais pro final do jodo ter alguns diálogos muito bons e instigantes. (mais do que muitos filmes e livros por aí - assim como o primeiro DX, mas no 1° TUDO era maravilhoso).

Quanto a esse trailer, achei genial. A mistura da famosa pintura "Lição de Anatomia", de Rembrandt, com o mito de Ícaro é absurdamente bem pensada! Aliás, na mitologia, Ícaro é filho de... Daedalus! Pra quem jogou o primeiro DX, sabe que esse é o nome de uma das inteligências artificiais presentes no jogo. Bela referência.

Rafael disse...

Galera, tenho (assim como muitos de vocês aqui) anos de games nas costas, quando o assunto é experiência me considero da velha guarda também (pqp são 22 anos jogando já), quando o assunto é jogabilidade eu me rendo aos jogos comtemorâneos. Me sinto um total ignorante quando o assunto é Deus EX, me envergonho em dizer que não joguei nenhum, sempre gostei de jogos de tiro frenético e na época tinha Duke nukem3d, Quake... Nada que justifique. Por isso não sei se vocês estão viajando demais na maionese ou eu quem sou um completo idiota aqui por não entender "do que" vocês estão falando. Mas digo, faz um bom tempo que não me empolgo com um trailer de game....

Marcos A. S. Almeida disse...

Rafael não se lamente...particularmente não gostei de Deux Ex quando o experimentei por ser muito RPG pro meu gosto ( diálogos em excesso são enfadonhos...) , pois sou seu contemporâneo e um dos primeiros jogos á me encantar foi o clássico dos clássicos chamado DOOM!De lá pra cá foram Quakes, Starcrafts, Super Mários e Mortal Kombats da vida que fizeram a minha cabeça e o mais próximo que cheguei de um RPG foi Chrono Trigger (SNES) e Zelda:Ocarina of time (N64) e juro que tentei fechá-los mas não consegui, pois os Dooms da vida sempre me chamavam...Confesso que as rodas de conversa e comentários sobre as qualidades de um RPG sempre me encantaram , mas os jogos mesmo, nunca.Bom, dei essa volta toda pra lhe dizer que Deus Ex foi um jogo aclamado pela crítica e pelo público, mas se você não gosta de RPGs não perdeu NADA.E que se você tentar jogá-lo agora , terá a mesma sensação que meu filho teve ao jogar o " meu" tão elogiado DOOM: decepção.Gráfico tosco, jogabilidade horrível e história...bom, deixa prá lá.Sensação semelhante quando depois de mais de 10 anos resolvi jogar novamente um jogo que na época adorei e fechei:Myth-The Fallen Lords.Perdeu completamente a graça, principalmente poque continuo jogando games de estratégia e a comparação é inevitável...
Só pra finalizar: depois que o Aquino me explicou que existem dois tipos de RPG , o ocidental e o oriental ,aqui http://blog.retinadesgastada.com.br/2010/01/rpg-para-quem-nao-gosta-de-rpg.html , resolvi experimentar um ocidental: Mass Effect 2.Jogaço( tudo bem, tudo bem, os diálogos continuam enfandonhos...) mas depois vêm alguém e me diz que Mass Effect 2 é o RPG mais FPS que existe! Aí eu desisto!

C. Aquino disse...

Minha primeira tentativa de jogar o Deus Ex original não foi muito bem-sucedida. Eu estava sem paciência e esperando um FPS convencional. Resultado: nunca saí do tutorial! Com o tempo, descobri que tinha perdido um clássico. Ainda espero o dia em que poderei voltar a ele com o mesmo deslumbre de tantos outros fãs e vencer minha impressão inicial. Quem sabe eu não me animo agora?

Éder R. M. disse...

Bom, cada tem tem suas preferências e viva a diferença.

Mas quem não gosta do primeiro Deus Ex por ser "muito RPG", "não ser um FPS típico" ou por ter "muito diálogo", ou não gosta de RPGs de VERDADE (ou jogos híbridos, que eu adoro) ou não entendeu a proposta do game.

Pode paracer "estranho" mas eu poucas vezes gostei mesmo de um jogo simplesmente pelo quesito "diversão". É importante, obviamente, mas o que me cativa e me torna fã mesmo são jogos que tentam ser originais, saindo da mesmice da esmagadora maioria dos jogos (que desde sempre, em geral são clones uns dos outros) e que se também se dedicam à história/personagens. Pra mim, jogos são ótimos veículos para se contar histórias, assim como livros e filmes, e é uma pena que a maior parte dos jogos (e dos jogadores :/ ) prefiram games sem história nenhuma e apenas ação desenfreada (e repetitiva).

E cheguei ao meu "gosto" de games jogando (principalmente nos - saudosos - anos 90 e pelo início dos anos 2000) TODO tipo de game. Ação, RPG, estratégia, adventure, esportes, corrida, aventura, plataforma e tudo mais que se possa imaginar. Assim, conhecendo vários estilos, fui cada vez jogando mais e identificando aquele tipo que realmente me interessava. É uma pena que ainda hoje muitas pessoas evitem experimentar coisas "diferentes" do que estão acostumadas, pois algumas vezes podemos nos surpreender e conhecer obras fantásticas.

Eu me lembro, em 2000, quando experimentei o demo do DX 1 e fiquei maravilhado. Lá estava o tipo de jogo que eu sempre procurei: uma espécie de "simulador de realidade", com caminhos alternativos, (pequenos) eventos se modificando devido a minhas decisões, NPCs para conversar (ou matar :D ) em vários lugares, uma história instigante e de primeira linha (melhor que muitos filmes e livros por aí, como sempre digo)... Poucos jogos conseguiram me deixar imerso em seu mundo assim como DX, de passar uma sensação tão grande de estar EM mundo real, NO mundo real.

Quem se importa com gráficos de primeira linha quando só se tem FPS descerebrados, no qual o objetivo é só matar, matar matar... fica repetitivo muito rápido.

Sobre a jogabilidade híbrida, por exemplo, acho que DX é muito mais intuitivo (e divertido de jogar) do que System Shock 2 (seu jogo "parente" :) ), por exemplo, que é desnecessariamente complexo em alguns quesitos.

Quatro coisas definem DX: ORIGINALIDADE, caminhos alternativos para o jogador, jogabilidade híbrida (FPS com muito RPG) e história fenomenal (por extensão, bastante diálogo - que é sempre maravilhoso de se ouvir e pensar sobre).

Quem não gosta de RPG ou jogos que REALMENTE tenham história certamente não gostará de DX.

Aliás, pra mim, Mass Effect, enquanto "RPG", ou mesmo a nível de história, não chega peryo de DX. Ou Baldur's Gate 2, que é a obra-prima da Bioware (Dragon Age bem que tentou :) ).

Enfim, provavelmente sou um cara antiquado, que cresceu respirando muitos adventures e RPGs e tem saudade da época onde vários jogos, de alguma forma, eram especiais e tinham algo a dizer... Claro, hoje em dia há alguns games que se destacam, como Bioshock (que é um "sucessor" do SS2 :D ), mas são poucos, muito poucos, na minmha opinião. Cada vez me desinteresso mais de jogos "normais", e há muito poucos games que chamam minha atenção.

Muita reciclagem, cópia da cópia, idéias desgastadas e histórias idem... Mas eu sinceramente espero que DX3 possa me lembrar da época de ouro dos games. :)

Um conselho, caro dono do blog: a game designer Jane Jensen, aclamada nos anos 90 pela série de adventures "Gabriel Knight", vai lançar este ano um novo adventure para PC e Xbox 360 chamado "Gray Matter". Acho que seria interessante você dedicar um post a esse jogo, para alegria dos veteranos jogadores de adventure do PC. :)

Desculpe todo esse texto resmungão, e obrigado pela atenção!

Rafael disse...

Bom eu me considero um cara do CONTRA. Portanto se um filme ou jogo faz um enorme sucesso logo de cara, eu já torço o nariz, não costumo gostar daquilo que agrada a maioria. Algum poeta disse certa vez (não me lembro o nome) "não quero participar de nenhum clube que me aceite como socio" (quando li isso me identifiquei na hora). Tenho que aceitar algo só porque dizem que é bom? Mas não se engane por minha personalidade, não sou daqueles de tacar pedra sem motivo, não falo mal de jogo ou filme algum sem ter assistido ou jogado até o fim, não posso dizer que não gosto de repolho sem nunca ter provado. Um exemplo que eu sempre cito onde quer que seja é o Half Life, que é um dos jogos que eu mais odeio (e joguei todos), mas nunca me deu motivos de querer jogá-los novamente (tenho meus motivos pra isso e requer muitas linhas de explicação). A Série Resident Evil é outra, salvo o capitulo 2 os demais títulos só me deram nauseas. E lembro que quando anunciaram Silent Hill (não tinha nem vídeo, só uma foto da Cibyl Benet) já o considerava o melhor do genero, só por tentar algo diferente algo mais ousado. Deus EX quando saiu, falaram tanto dele que eu acabei perdendo o interesse e adoro RPG, amo FPS e quando sai uma mistura dos dois bem feita então..... S.T.A.L.K.E.R é o exemplo, falem mal, falem muito mal dele, mas é pra mim um jogaço com bug e tudo o mais, não vejo a hora de jogar o novo. Tem o tal do Bioshock também, mas no momento o considero um jogo muito caro, pra se aventurar em algo que provávelmente não despertará meu interesse após seu final, sem um multiplayer ou co-op, mas assim que o preço do 1 baixar eu compro. Despertou meu interesse nesse Deus EX agora, mas não gosto de pegar a história pela metade, portanto me obrigo a achar o primeiro (o segundo estou comprando hj, mas não quero jogar antes do primeiro) e ver no que dá.... Não costumo errar, afinal cada um sabe o gosto que tem... Abraço a todos!

MArcos A. S. Almeida disse...

Bom,depois disso tudo só posso dizer - Viva lá difference!

Retina Desgastada

Blog criado e mantido por C. Aquino | Seja um patrono!

My Playstation WallpapersXbox WallpapersPC Game Wallpapers

High Hell